Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[HQ News]Leis de Incentivo e a Produção de Quadrinhos

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [HQ News]Leis de Incentivo e a Produção de Quadrinhos

    Escrito por Faubin
    terça, 08 de janeiro de 2008

    Da mesma forma que ocorre com o cinema os quadrinhos no Brasil contam com o recurso de leis de incentivo a cultura para fomentar a produção nacional de quadrinhos.


    A revista Graffiti, publicada há quinze anos em Belo Horizonte conta com a lei de incentivo, tendo inclusive expandido para uma série de álbuns da coleção 100% Quadrinhos.


    Outro bom exemplo é a coleção Cidades Ilustradas, que conta com patrocínio, via Lei Rouanet da Shell, o que viabiliza álbuns bastante ousados para o mercado nacional, tendo projetado autores e a própria Casa 21 como uma editora de porte. Basta olharmos o último álbum São Paulo, ilustrado por David Lloyd.
    [hide:b507ae8987]
    [/hide:b507ae8987]
    Da mesma forma, não podemos esquecer que o maior festival de quadrinhos conta com recursos da Lei Estadual de Minas Gerais, o FIQBH.



    Mas esses são apenas alguns exemplos de como a Lei de Incentivo, seja em qualquer esfera, Federal, Municipal ou Estadual pode ajudar a enriquecer o cenário de quadrinhos. O quadrinista Marcelo Lélis, que publicou inicialmente uma revista pela Lei Municipal de BH (Saino a Percurá), hoje tem um álbum a ser editado na França, dá para conferir algumas artes no seu blog.

    Mas não basta. Aprovar um projeto requer muito cuidado ao realizar, e quando se trata de captar o recurso, não faltam críticas a como as empresas e seus respectivos departamentos de marketing definem o que é e o que não é “incentivável”. Ou seja, mesmo depois de ter que escrever o projeto, ainda é necessário muitas vezes, vender a idéia, ou contratar alguém que o faça.


    Pelo menos na capital mineira, o cenário de publicações, salvo raras exceções, sempre girou em torno das leis de incentivo. Sem um cenário que conte com editoras de quadrinhos, certamente uma das formas encontradas é o incentivo fiscal.



    Aprovados em 2007 para captação ou fundo (recursos repassados pelo município ao projeto) tivemos os seguintes projetos para captação, via lei estadual:

    Memória do Quadrinho e das Artes Gráficas de Minas Gerais, do jornalista Pablo Pires, um dos editores da revista Graffiti, no valor para captação de R$ 80.000,00.


    3ª Mostra Nacional de Humor de Varginha – com o proponente Paulo Antônio Carvalho, no valor de R$ 150.000,00


    E ainda o 3º Salão Nacional de Humor, tendo como proponente Marcelo Procópio Oliveira no valor de R$ 200.000,00



    Na Lei Municipal (Belo Horizonte), categoria Fundo de Incentivo tivemos

    DUKE, DEZ ANOS DE HUMOR com o valor aprovado de R$ 34.230,00


    REVISTA GRAFFITI 76% QUADRINHOS com o valor aprovado de R$ 34.980,00

    Ainda temos os dados da Lei Rouanet que permanece aberta o ano inteiro, mas para quem quer se beneficiar com os recursos da lei, recomendamos cursos ofertados pelas prefeituras e estados que possuem este tipo de benefício fiscal, e ir se preparando desde já.

    Apesar de serem números significativos, muitas vezes esses projetos não se viabilizam pela falta de patrocínio por parte das empresas, ou seja, ter um projeto aprovado não é garantia que ele vai sair do (ou no) papel. De qualquer modo é uma forma de começar.



    As informações foram fornecidas nos sites respectivos da Fundação Municipal de Cultura de Belo Horizonte, e da Secretaria de Estado da Cultura de MG.

    Fonte: Quadrinho.com

    Outras cidades, como Rio, SP, Salvador, Curitiba, Porto Alegre, Maceió, possuem esse fundo pela Prefeitura Municipal tb?

    Amplexos éticos
    KAL-EL
    ARTHUR, ME DÁ MEU CHIP!!!

  • #2
    Re: [HQ News]Leis de Incentivo e a Produção de Quadrinhos

    Postado originalmente por kal-el
    Outras cidades, como Rio, SP, Salvador, Curitiba, Porto Alegre, Maceió, possuem esse fundo pela Prefeitura Municipal também?
    Eu arriscaria dizer que TODAS as grandes capitais tem legislação municipal de incentivo à cultura e a maior parte dos estados tem legislação estadual neste sentido.

    Só que a utilização para quadrinhos não é comum, já que as empresas preferem incentivar outras atividades. Ademais, na maior parte dos estados, a lei de incentivo prevê uma "contrapartida" (ou seja, a utilização de recursos próprios, e não só de imposto). Aí ninguém quer mexer no caixa...
    BEHOLD MY POWER

    Comment


    • #3
      É triste quando um país precisa incentivar as HQs com legislação ou grana pública.
      Enquanto isso, lá estão os EUA e o Japão, só pra citar dois exemplos, que arrebentam de vender quadrinhos em precisar passar o chapéu pro Estado.
      "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

      Comment


      • #4
        Acho q não me expressei bem, PP. A LEi Municipal, provavelmente todas têm, mas a questão q eu levntei foi o Fundo... o Fundo Municipal tem um detalhe: se o seu projeto custa até tantos mil renais, a Prefeitura já te repassa a grana, e não a empresa... (não tenho certeza se é assim mesmo, posso estar enganado... mas sei q tem uma diferença da aprovação pro fundo p aprovação p captação).
        BK, concordo c vc... é triste mesmo ter q depender disso... mas num país onde a produção de quadrinhos muitas vezes se resume a publicar coisas d fora, onde as grandes editoras dificilmente publicam material nacional em condições acessíveis à maior parcela da população interessada, e onde as pequenas editoras acabam quebrando com pouco tempo d vida... pelo menos é um alento, né?
        Amplexos éticos
        KAL-EL
        ARTHUR, ME DÁ MEU CHIP!!!

        Comment


        • #5
          Sei lá

          Isso é só ponte pra figurinha carimbada não gastar grana e colocar merda no mercado!!

          Sabe como é, quem conhece o dono da grana é que vai se dar bem... ainda mais se for do PT e fazer hq partidária

          AI, fodeu!!

          Comment

          Working...
          X