Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Flash Renascimento #3: A Volta dos Vilões

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Flash Renascimento #3: A Volta dos Vilões



    Wally West, também conhecido como Kid Flash, decide dar uma força para o seu casal favorito, Barry Allen e Íris West. O garoto percorre a cidade e mantém tudo sob controle enquanto os dois desfrutam de um merecido descanso. É a chance definitiva para que o relacionamento deles finalmente entre nos eixos! Enquanto isso, a cidade vive uma relativa calmaria com a incerta relação entre os cidadãos e a Galeria de Vilões. Caminhando na tênue linha entre o vigilantismo e a criminalidade, ninguém sabe muito bem o que esperar do Capitão Frio e seus comparsas. Mas é claro que o Flash quer estar um passo à frente da situação e mergulha de cabeça em uma investigação para compreender melhor as reais intenções da Galeria e, o mais importante, o seu atual paradeiro.


    (The Flash 13-20)


    Encadernado
    17 x 26 cm
    188 páginas
    Papel LWC
    Capa Cartão, Lombada Quadrada
    R$ 28,90
    Distribuição Nacional
    ----------------------------


    Uma das leituras mais "gibi gibi" que se pode ter na atualidade é pegar um gibi dessa nova fase do Flash pelo Joshua Williamson. Williamson até o momento é mais conhecido pela pouco bem falada, mas muito divertida Liga da Justiça vs. Esquadrão Suicida e pela parceria que fez com o Tom King Deuso na ajeitadinha e intrigante Batman/ Flash - O Bóton. No momento ele também é creditado na saga sendo publicada atualmente Sem Justiça em Liga da Justiça.






    O encadernado abre com uma história bobilda, porém bacaninha, onde a Íris e o Barry querem um tempo pra foder, mas o Barry fica sempre se envolvendo com as tretas do Flash, aí o Kid Flash, Wally West Afro, toma conta da cidade por um dia e se engalfinha com o Poço de Piche enquanto sua tia se engalfinha com a rola do Barry. É uma história okay, inofensiva, mas que dá uma "descontraída" antes do bicho pegar. A Íris é retratada como uma repórter foda, mais rapariga que a Lois Lane em início de carreira. A arte do Neil Googe é bem bacana.





    Depois começa a história principal do encadernado, A Volta dos Vilões. Difícil ter um arco do Flash envolvendo a Galeria que seja fraco ou ruim e aqui não é diferente. O que se segue é uma trama um tanto elaborada e bem divertida onde os vilões enganam o Flash para cumprir seu objetivo. Não é assim nada de outro mundo, mas é um gibi honesto.





    É bem simples e direto, porém funciona. Onda Térmica, Mestre dos Espelhos, Patinadora Dourada, Mago do Tempo e Trapaceiro liderados pelo Capitão Frio dão uma canseira no Flash, mas logo explora a fraqueza de um deles e dá a volta por cima. É BASICÃO PRA CARALHO, mas é muito divertido. O embate final é bem narrado e ao final a Galeria se encontra em outro patamar. Na arte, não sou fã de Carmine Di Giancomendino, mas aqui estranhamente funciona. Mesmo com TEXTO PRA CARALHO, bem narrado diga-se, funciona. A parte final do embate ainda tem arte adicional de Davide Gianfelice e mais Neil Googe, que passaram imperceptíveis, o que quer dizer que a salada funcionou.



    eu não me canso de ler essa merda


    Depois disso o encadernado tem mais uma história em duas partes envolvendo um membro da Galeria que não participou da história, o Capitão Bumerangue. Aqui é uma história meio de bonding envolvendo o Barry e o Wally só que não tem lá o final que se esperaria. Tem um rolo aí que o Flash Reverso é na verdade PAI desse Wally e morreu em algum momento. Aqui mostra como, achei meio paia, mas o que vale é tirar essa bosta do caminho (parece que esse Flash Reverso não deu muito certo). Arte de Jesus Merino e Andy Owens que fazem um trabalho apresentável.



    Flash no pau



    O gibi termina com uma história onde a Íris é a personagem principal. Ela fica puta com as desviadas do Barry, achando até que ele não gosta de muié, e termina se infiltrando numa treta com uma organização de criminosos cientistas tecnológicos, o Buraco Negro. Olha, história bem divertida e bacana. Arte do Neil Googe, desde já, um dos melhores artistas a passar pela série.






    Cara, o gibi do Flash é isso aí. Não é nada de outro mundo (quando o gibi é redundante, eu também começo a me repetir), mas não vai OFENDER o leitor, o que hoje em dia já é muito. Dentre os personagens mais conhecidos da grande mídia, como Arqueiro Verde, Supergirl, Batgirl, e agora Aquaman, dos que eu li pelo menos, o Flash se mostrou o mais APRAZÍVEL (Exterminador é infinitamente melhor, mas não é conhecido do grande público e só a partir do ano passado começou a ganhar mais destaque). Dá pra ler e curtir o gibi, e pelo menos você não fica com tédio, como em Supergirl ou raiva mesmo, como em Arqueiro Verde. Por isso que eu disse no começo que é um "gibi gibi", um gibi com jeito de gibi. Até mesmo os ganchos para os próximos arcos são dispostos de maneira que só vão fazer referência no futuro mesmo, e não no arco específico, como foi o caso da aparição do Flash Reverso que vai culminar com o arco da edição #4 já resenhado aqui e a Dr.a Dhawan, ex-peguete do Flash que acredito vai estar presente no volume 5, a conferir.



    Íris West "será que meu namorado é gay?"


    O gibi ainda termina com algumas capas variantes de Dave Johnson, bem legais, emulando capas antigas do Flash contra vilões da Galeria. Gibi que dá pra passar o tempo cagando numa boa, só espero que melhore um pouco e fique mais empolgante e memorável, como a galerinha dos scans no tópico oficial vive incensando, mas acho que não é pra tanto (mas agora eu já gastei o dinheiro, né, filhas da puta?).




    compre seu gibi, peça pro filha da puta do artista rabiscar em cima dele

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] Flash Renascimento #3: A Volta dos Vilões

    Joshua Williamson é o Waid antes do Twiter
    fotografia é desenho de luz

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] Flash Renascimento #3: A Volta dos Vilões

      Ele passa antes do crossover com o Batman, O Bóton e trata-se de um volume grande, quase 190 páginas, com três pequenos arcos, mas que apresenta um desenvolvimento fluido, rápido (sem trocadilhos), e ainda assim cheio de elementos colocados para gerar novos arcos em histórias futuras. No geral, acredito que ele serve como uma ponte entre o início do Renascimento onde tivemos uma explosão de velocistas e um novo momento.

      Achei engraçado o plano infalível (a lá Cebolinha) do Capitão Frio, o clássico último roubo, mas que quebra o que vinha sendo desenvolvido anteriormente com a Galeria agindo quase como aliados do Flash.


      Comment

      Working...
      X