Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] - O Espetacular Homem-Aranha #24

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] - O Espetacular Homem-Aranha #24



    Um clássico vilão aracnídeo é capaz de se reinventar para acabar com a vida de Peter Parker, o Espetacular Homem-Aranha! E J. Jonah Jameson está prestes a aprontar mais uma! O que será que nosso editor favorito está tramando contra o famoso Escalador de Paredes?

    Peter Parker: The Spectacular Spider-Man #4, #5 e #6

    76 páginas - R$10,50
    Achei que o arco deu uma bela melhorada. Diferente da edição anterior, Zdarsky demonstra mais foco e se concentra na caça do Sabre Cinzento a Teresa Durand. O lance dos celulares Starkfones hackeados (e irrastreáveis), por exemplo, mal é mencionado. Ele também dá um tempo nas participações, digamos assim, pouco significativas (como a Coração de Ferro e o Homem-Formiga), no último número.

    A perseguição à Teresa fica mais interessante, agora que o Sabre Cinzento jogou a m&[email protected] no ventilador, escancarando pro público que o Homem-Aranha está dando cobertura a uma agente renegada da SHIELD. E é só questão de tempo para a m&[email protected] respingar em Peter Parker, já que, agora, o Aranha trabalha oficialmente para ele.

    Outra coisa positiva desse início do Zdarsky é o destaque conferido a Jonah Jameson, que ficou um pouco apagado nos últimos tempos.

    O roteirista continua flertando com a cretinice, como no momento em que o Aranha sobe num palco e arrisca um show de comédia stand-up. É uma sequência cretina, mas que diverte.

    4.jpg


    A arte de Adam Kubert também me agradou mais, por não oscilar tanto quanto na edição passada.

    Na terceira história, o Aranha cumpre sua promessa e concede uma entrevista exclusiva a Jonah Jameson.

    Achei que Zdarsky soube explorar bem a situação, alternando momentos de tensão, drama, descontração, empatia… Também fiquei surpreso com a forma escolhida pelo roteirista para encerrar a entrevista.

    Spoiler!


    Sinal de que Zdarsky quis realmente fazer da entrevista um momento marcante na vida de ambos os personagens. Vamos ver como isso vai afetar o relacionamento entre eles daqui pra frente.

    A arte do tal Walsh (que a Panini não publicou o nome completo) é basicona, mas eficiente. Para o estilo da história, funcionou a contento.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] - O Espetacular Homem-Aranha #24

    Postado originalmente por Cabral Ver Post
    Achei que o arco deu uma bela melhorada. Diferente da edição anterior, Zdarsky demonstra mais foco e se concentra na caça do Sabre Cinzento a Teresa Durand. O lance dos celulares Starkfones hackeados (e irrastreáveis), por exemplo, mal é mencionado. Ele também dá um tempo nas participações, digamos assim, pouco significativas (como a Coração de Ferro e o Homem-Formiga), no último número.

    A perseguição à Teresa fica mais interessante, agora que o Sabre Cinzento jogou a m&[email protected] no ventilador, escancarando pro público que o Homem-Aranha está dando cobertura a uma agente renegada da SHIELD. E é só questão de tempo para a m&[email protected] respingar em Peter Parker, já que, agora, o Aranha trabalha oficialmente para ele.

    Outra coisa positiva desse início do Zdarsky é o destaque conferido a Jonah Jameson, que ficou um pouco apagado nos últimos tempos.

    O roteirista continua flertando com a cretinice, como no momento em que o Aranha sobe num palco e arrisca um show de comédia stand-up. É uma sequência cretina, mas que diverte.

    [ATTACH=CONFIG]5508[/ATTACH][/FONT]

    A arte de Adam Kubert também me agradou mais, por não oscilar tanto quanto na edição passada.

    Na terceira história, o Aranha cumpre sua promessa e concede uma entrevista exclusiva a Jonah Jameson.

    Achei que Zdarsky soube explorar bem a situação, alternando momentos de tensão, drama, descontração, empatia… Também fiquei surpreso com a forma escolhida pelo roteirista para encerrar a entrevista.

    Spoiler!


    Sinal de que Zdarsky quis realmente fazer da entrevista um momento marcante na vida de ambos os personagens. Vamos ver como isso vai afetar o relacionamento entre eles daqui pra frente.

    A arte do tal Walsh (que a Panini não publicou o nome completo) é basicona, mas eficiente. Para o estilo da história, funcionou a contento.
    A rigor é isso, concordo com a maioria das opiniões, com exceção de:

    Não é que o plot dos celulares hackeados foi esquecido, é que ele foi uma ferramenta pra levar a uma trama maior, que é a do Consertador em busca dos dados dos heróis que se consultam com seu irmão.




    Esse tipo de trama de "organização contra heróis" é complicado para terminar satisfatoriamente. Depende muito da habilidade do roteirista, coisa que o Zdarsky ainda não me convenceu.




    Essa parte do stand up comedy foi a parte mais vergonha alheia do gibi, não achei graça nenhuma.




    Achei o diálogo entre Jonah e Aranha muito merda, muito pouco inspirado. Ainda mais depois do final significativo que teve. Essa história devia ter sido MEMORÁVEL do ponto de vista narrativo, mas no final das contas foi o final chamativo que mais chamou atenção ao invés da história. Ao invés de uma boa reflexão sobre os dois personagens envolvidos, com literalmente DÉCADAS de história sobre eles, temos uma narrativa rasa. A história se resume a narrar o histórico dos dois, mais piadinhas infames envolvendo bolo e esse Aranha imaturo que me dá nos nervos e eventualmente um lampejo de algo mais interessante, mas que nunca vai pra frente. Ainda por cima termina com gancho safado e com o Jonah sendo um safado, como sempre.


    a mesma merda de sempre


    No mais, concordo com o que o Cabral disse. O gibi tá MUITO LEGAL, um Aranha com jeitão de Aranha que eu não via a anos, nem mesmo na mensal do Sbost. O gibi ficou mais divertido, mais contido. A arte do Kubert realmente tá dando uma agilidade ao Aranha digna de Dikto e Macfarlane. O tal do Walsh uma boa pedida pra uma história que devia ser MAIS INTIMISTA entre o Jonah e o Aranha, mas por conta dos diálogos pouco inspirados do Zdarsky, não foi tudo aquilo que poderia ser. A arte fez a sua parte.





    O poster do gibi no miolo é um com o velho Stan desenhado pelo Scott Campbell. Profética homenagem.

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] - O Espetacular Homem-Aranha #24

      Como a última história é o momento mais importante da edição, acho que ela deveria ter sido a capa principal e não a de trás.
      Last edited by Luís Fajardo; 06-12-2019, 04:50 PM.

      Comment

      Working...
      X