Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Liga da Justiça Renascimento #18: O Povo Contra a Liga da Justiça - parte 2

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Liga da Justiça Renascimento #18: O Povo Contra a Liga da Justiça - parte 2




    A opinião pública massacra a Liga da Justiça assim que um vídeo com a morte da freira feita refém atinge as redes sociais. Em uma vertiginosa espiral descendente, a equipe precisa esclarecer a verdade por trás dos fatos e ainda se proteger de boatos e mentiras que ameaçam colocar os heróis uns contra os outros. Para piorar, terão que encarar um novo adversário que clama saber tudo sobre a Liga. Não perca a continuação de O Povo Contra a Liga da Justiça.

    (Justice League 36-37)


    Revista mensal
    17 x 26 cm
    52 páginas
    Papel LWC
    Capa Couché, Lombada Canoa (Grampeada)
    R$ 7,50
    Distribuição Nacional
    ----------------------------

    Continua a nova fase excelente capitaneada pelo Christopher Priest e na esteira dos acontecimentos da edição anterior de estreia, com a confiabilidade da Liga sendo posta a prova, agora a equipe se vê as voltas com um "assassino copycat" que se fantasia de Batman e mata os "desafetos" e críticos da Liga.




    Em meio a isso, vemos a Liga agir ainda com o fantasma da desconfiança pairando sobre seus membros. Porra, galera o gibi MELHOROU 200% COM A ENTRADA DO CHRISTOPHER PRIEST, A HORA DE COMPRAR O GIBI É ESSA!!! Gibi absolutamente do caralho, com um quê do gibi do Exterminador, dinâmico e ritmo quente, que o autor IMPINGIU em seus roteiros. Do caralho demais tá isso aqui. Pete Woods e Philippe Briones completam a trinca.



    o fã é o Tidus da Liga da Justiça


    Ainda tem um poster muito fuderoso com arte de J.G. Jones no miolo da revista.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] Liga da Justiça Renascimento #18: O Povo Contra a Liga da Justiça - parte 2

    Li o arco inteiro e não sei... o Priest começou bem a história, mas não segurou legal até o final. A história começa de forma frenética, a Liga da Justiça atuando em diversas frentes e o Batman coordenando e sentindo cada vez mais cansado resultando em quase catástrofes. Achei legal a estrutura narrativa episódica que o Priest já colocava no Exterminador, mas ao invés de temporalidades diferentes ele foca nos personagens e embora consiga empregar um ritmo mais empolgante que o Bryan Hitch, esse arco ainda não me convenceu.

    O autor começa a jogar diversos elementos que, sozinhos, poderiam se transformar em boas histórias, se bem desenvolvidos, mas não, escolhe agir por uma linha que tornou a história confusa e aparentemente com pouca consequência. A interação entre os heróis mesmo me pareceu vazia, além do Batman temos apenas o Cyborg o que desenvolve um micro arco próprio, o resto dos personagens só estão em cena ou com tramas para encher as páginas. Pra não falar do Superman e Aquaman que pareciam peixes fora d'Água.

    Esperando pelo próximo arco, quem sabe...

    Comment

    Working...
    X