Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] X-men: inferno Volume 2

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] X-men: inferno Volume 2



    O mundo dos X-Men arde em chamas quando começa o crossover mutante mais inflamável de todos os tempos. o X-Factor, os Novos Mutantes e os Exterminadores todos sentem o calor infernal com a chegada dos alienígenas invasores de corpos conhecidos como Ninhada. Illyana Rasputin, dos Novos Mutantes, se torna a Senhora do Limbo, mas forças sinistras se preparam para tomar essa pesada coroa de sua cabeça. E ainda: o X-Factor se encontra no meio de um confronto entre duas terríveis forças: Alto Evolucionário e Apocalipse.
    Apesar de não constar na descrição da contracapa, a edição também inclui uma história back-up de X-Factor

    Enfim, uma ótima edição... Pelo menos nas histórias referentes a X-men. Chris Claremont fez um trabalho muito bacana na história do Colossus com a Magia. O arco da Ninhada, eu já tinha lido na CHM e continua tão interessante quanto na primeira vez. Agora que estou tendo contato com essa fase Austrália, posso dizer que é uma das minha favoritas. A fase com o BYRNE! é icônica e tudo mais, mas aqui além do roteirista estar "amadurecido" e com roteiros/diálogos melhores, a seleção de personagens é bem interessante com várias personalidades interessantes.

    A história do anual também é muito interessante. Bacana a parte em que o tio Chris joga pros leitores a bola de que o filho da moça da Terra Selvagem é do Colossus mas não cai a ficha pro cara

    Aliás, tio Chris já tava numa vibe meio zueira nessa época... A piadinha do casal se pegando enquanto os X-men lutam com a ninhada me pareceu até mais engraçada nessa releitura. Também gostei de algumas cenas da Cristal na história do Anual como ela se tocando de que o Longshot sumiu...

    Só o back up com o Mojo lá foi bem mediano, mas acho interessante como o roteirista usa o personagem pra zoar o fato de que o título virou uma franquia lucrativa. Acho isso um ponto positivo pro tio Chris: enquanto outros sentem o peso da popularidade de um título desses, o cara abraçou a coisa e até aproveitou pra tirar sarro disso. Bem sacado.

    Sobre as demais histórias... X-Factor foi uma leitura decente. Mesmo o back up estrelando a "creche" foi mais tolerável do que em relação ao encadernado anterior.

    Novos Mutantes foi relativamente melhor em relação ao anterior mas não sei... Ainda acho que a Simonson deixou os novinhos muito mongóis. Soam mais como crianças abobalhadas. Ela tenta repetir a fórmula de Quarteto Futuro, mas enquanto lá funciona, aqui é simplesmente... Besta e sem graça.

    A história também traz uns back-ups relacionados ao Alto Evolucionário (com citações de que a história continua em edições que foram publicadas em edições da moribunda Abril). Creio que sejam parte de algum evento da época ou outra tipo de coisa. Seja como for, mesmo com roteiros do finado Mark Gruenwald, achei um material bem chatinho. Por sorte são curtas.

    Em termos de desenhos, os títulos de X-men estão bem servidos com Rick Leonardi, Marc Silvestri e Arthur Adams. X-Factor e Novos Mutantes também tem equipes decentes.

    Enfim, uma ótima sequência de histórias.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] X-men: inferno Volume 2

    Quais edições estão inclusas nesse volume?

    Enviado de meu SM-G935F usando o Tapatalk

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] X-men: inferno Volume 2

      Uncanny 231-234 e anuais de X-men (se não me engano o de número 12) mais os anuais de X-Factor e Novos Mutantes (não lembro o número). Além disso, tem um backup de X-factor mas não me atentei a numeração.

      Qualquer coisa, postaram a contracapa da edição no tópico de novidades da Panini. Deve estar perdido lá...

      Comment


      • #4
        Re: [AVALIAÇÃO] X-men: inferno Volume 2

        Tive tempo de ler só agora esse volume.

        Uncanny pra mim não é novidade, porque reli essa fase por Essential não tem muito tempo. É claramente a estrela da revista.

        Mas até que me surpreendeu a história do X-factor.
        Interessante as discussões entre o Alto Evolucionário e o Apocalipse.
        O chato é o Fera relembrando toda página que fica mais burro se usar sua força.
        E apesar de Dinamite e Rictor terem virado bons personagens depois, tenho certeza que esses alunos do X-factor são a segunda pior geração de pupilos mutantes. Perdem só para os Jovens X-men do Guggenheim.

        Quanto aos Novos Mutantes, é realmente um retrocesso essa abordagem da Louise.
        Ela faz até o Magneto ser um idiota, sendo enganado por crianças.
        Tem um contraste enorme, por exemplo, na Illyana da história escrita pro CC pra escrita pela Louise nesse volume.

        Comment

        Working...
        X