Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Blood - Pipca & Nanquim

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Blood - Pipca & Nanquim

    BLOOD: UMA HISTÓRIA DE SANGUE, de J.M. DeMatteis & Kent Williams


    BLOOD: UMA HISTÓRIA DE SANGUE
    J.M. DeMatteis & Kent Williams


    Um bebê é encontrado por uma jovem em um rio e criado até o início da idade adulta, quando é deixado aos cuidados do Monastério para ser iniciado nos ensinamentos de Deus. Quando o rapaz descobre que não é a mão divina que escreve os livros que regem sua doutrina, mas sim a de seu mentor, ele se sente traído e parte, mas não sem antes assassinar o homem, em um acesso de fúria.

    Sem rumo certo, ele dá início a uma jornada de autoconhecimento, até se deparar com uma tribo de vampiros em uma floresta que, contra a sua vontade, o transforma em um deles. Nesse dia nasce Blood, o vampiro…Escrita pelo lendário J.M. DeMatteis (Moonshadow, Homem-Aranha: A Última Caçada de Kraven) e com a estupenda arte pintada de Kent Williams (Wolverine e Destrutor: Fusão), BLOOD: UMA HISTÓRIA DE SANGUE narra uma jornada metafórica pelos caminhos do interminável ciclo da vida para encontrar as sementes da redenção e do amor eterno. Uma vida tomada pela sede de sangue.A edição da Editora Pipoca & Nanquim compila todas as quatro partes da história em 196 páginas coloridas, papel de alta gramatura e capa dura com verniz localizado e cor especial.

    OS AUTORES:

    J.M. DeMatteis – Nascido e criado no Brooklyn, em Nova York, John Marc DeMatteis era músico profissional e jornalista musical antes de entrar para o mercado de histórias em quadrinhos, no final dos anos 1970. Ele escreveu os principais ícones da DC e Marvel Comics – incluindo memoráveis sagas do Homem-Aranha, como a clássica A Última Caçada de Kraven, e Doutor Estranho: Shamballa. Também fez Liga da Justiça Internacional (pela qual, com seus parceiros, Keith Giffen e Kevin Maguire, recebeu o Prêmio Eisner); mas foi aclamado principalmente por suas graphic novels originais extremamente sofisticadas, como Seekers Into the Mystery, Blood: Uma História de Sangue, The Last One, Mercy, a autobiografia Brooklyn Dreams e a paradigmática Moonshadow, com arte de Jon J. Muth, Kent Williams e George Pratt. Seu sucesso nos quadrinhos o levou a trabalhos na televisão, onde escreveu roteiros para Liga da Justiça Sem Limites, Batman: Os Bravos e Destemidos, Os Jovens Titãs em Ação!, Constantine: City of Demons, entre outros; e no cinema colaborou com Batman vs. Robin e a sequência Batman: Sangue Ruim. Recentemente, cuidou dos roteiros de Scooby Apocalipse, para a reformulação do Universo Hannah-Barbera lançada pela DC Comics.Kent Williams – Formado pelo Pratt Institute, de Nova York, Kent Williams tem uma longa lista de louvores por seus trabalhos como pintor, desenhista, ilustrador e quadrinista. Entre eles, o prestigioso Prêmio Yellow Kid, no festival de quadrinhos de Lucca, na Itália. Entre suas obras nos quadrinhos estão as graphic novels Blood: Uma História de Sangue, Wolverine e Destrutor: Fusão e The Fountain, do cineasta Darren Aronofsky. Ele fez exposições solo de suas pinturas em Nova York, Los Angeles, São Francisco, Sundance e muitas outras galerias. Atualmente, Williams mora em Los Angeles, com seus dois filhos, Kerig Sun e Ian Kai, e com a companheira Soey Milk.FICHA TÉCNICA
    – Editora Pipoca & Nanquim
    – Formato: 17×26 cm
    – 196 páginas
    – Miolo em papel couchê 115g/m2
    – Capa dura com aplicação de verniz e cor especial
    – 1ª edição – agosto/2018.
    – Preço: R$ 59,90
    – ISBN: 978-85-93695-12-4
    – Tradução: Bernardo Santana
    – Pré-venda exclusiva na Amazon: http://bit.ly/bloodpn



    Blood


    Olhe eu estava lá decantando meu amargor com o catálogo do P&N no tópico da editora, já que a meu gosto eu esperava mais das escolhas que eles fazem por ter me decepcionado com algumas das coisas que peguei da editora.


    Mas Blood - que estava com opiniões bem divididas entre os MBBistas lá - a mim é uma das melhores coisas que eles lançaram.


    Realmente o ponto alto é a arte, achei muito inventiva e criativa, o tipo de coisa que eu espero de um gibi que já caminhou pela Vertigo. Tem uma representação muito expressiva sem abrir mão do tom de certa forma “onírico” que a história tem.


    A representação de dor é especialmente interessante e tem muita originalidade em um tema relativamente comum (vampiros, por mais que esse esteja longe de ser o tema maior da obra)


    Lembrei do 5e20 em Elektra Assassina, inclusive pelo uso de alguma estruturas de narrativa gráfica mais incomuns, como as páginas com varios quadros.


    Acho q faz todo sentido quem diz que o ponto forte é a arte. Aqui a história esra a serviço da arte e não o contrário. A história em si é simples e sem maiores desenvolvimentos, um tema ou algo do tipo, é de certa forma uma narrativa da caminhada do personagem, com a noção de retorno ao início.


    Tanto assim que ha ate uma certa repetição em alguns diálogos que não passam muita coisa, de certa forma se encerram em si mesmos sem maior relevância. Mas certamente é o tipo de coisa que hoje em dia haja quem ache sensacional, profundo, “artístico” (SIC).


    Um escritor mais talentoso certamente entregaria passagens mais instigantes, a atmosfera do gibi nao é fácil de ser posta em palavras.


    Interessante que na abertura da 3º edição há míseras 4 5 páginas contando o que seria um “paralelo” a história principal com o personagem no mundo mundano. A meu ver uma forma de puxar um contraponto pra estabelecer que a história é uma metáfora de algo “mundano” por assim dizer.


    Dentro do que é contado nesse paralelo fico com a sensação de uma abstração pra falar em velhice e paternidade. Mas nem acho que fazer grandes digressões em busca desse sentido seja essencial pra gostar de Blood.


    Visualmente acredito que tenha sido o quadrinho mais interessante que tive contato esse ano.


    Acabamento de luxo e papel maravilhoso deixo para a crítica especializada. Me aterei a dizer que é um gibi que orna bem a estante.
    Let´s put a smile on that face!!!

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] Blood - Pipca & Nanquim

    Passo.
    Em breve...
    __________________________________________________ _________________

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] Blood - Pipca & Nanquim

      é bom sim. pro nível das coisas feitas hoje é MUITO BOM. mas na época era só mais uma boa.
      Giovanni Giorgio

      Comment

      Working...
      X