Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[avaliação] Cavaleiro da Lua #06

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [avaliação] Cavaleiro da Lua #06




    A historia roda, roda e termina no mesmo lugar... Marc Spector aceita sua esquizofrenia, aceita Jake Lockley, Steven Grant, e derrota Konshu - que morreu, mas sabemos que cedo ou tarde voltará.

    A parte boa é o retcon da origem de Spector, envolvendo o exercito, seus tempos como mercenario, Konshu, Frances, Marlene e Bushman.

    Nota 7,0

  • #2
    Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

    se aconteceu tudo isso aí que vc falou, como que ela roda e fica no mesmo lugar?

    Comment


    • #3
      Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

      Eu gostei bastante, um final digno para um arco interessante.

      Penso que, até metaforicamente, essa história simboliza muito bem a jornada interior, pelo menos, aquela que se preza.

      O herói consegue superar seus traumas e conviver com os aspectos plurais de sua própria existência, assim como consegue superar o complexo de Édipo, evoluindo para algo superior ao que era antes da aventura, sobretudo ponto de vista psicológico.

      Parece que não há mudança no status quo do personagem, mas acredito que essa era a intenção dos autores, que o crescimento fosse mais voltado para o amadurecimento e enriquecimento doa valores internos do que a interaçâo típica com o mundo externo da continuidade do universo marvel.

      Comment


      • #4
        Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

        Faz uns anos que eu digo que essas séries que correm à margem dos eventos da Marvel são bem melhores que as mais interligadas com o UM.
        Konshu não é meu Deus!

        Comment


        • #5
          Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

          Postado originalmente por Cavaleiro da Lua Ver Post
          Faz uns anos que eu digo que essas séries que correm à margem dos eventos da Marvel são bem melhores que as mais interligadas com o UM.
          Ué, mas não precisa ser muito especialista nisso. A grande maioria dessas megasagas dinamita o status quo dos titulos importantes e ai o roteirista tem que correr pra fazer algo com isso.

          Comment


          • #6
            Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

            Ah sim, verdade.
            Mas lembra quando todos os títulos tinham que estar interligados com o evento principal de alguma forma? Era um saco.
            Konshu não é meu Deus!

            Comment


            • #7
              Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

              Gostei bastante.
              Não achei que "rodou e continuou no mesmo lugar". No encadernado anterior, fomos levados a acreditar que, sim, Mark é maluco mesmo, mas há de fato uma entidade extradimensional chamada Konshu que utiliza a loucura dele pra se manifestar em nosso plano. Nesse encadernado descobrimos que tudo, inclusive Konshu, faz parte da loucura de Mark. Foi bonita a forma em que ele aceitou as partes "boas" de sua personalidade pra poder destruir a parte "doente", Konshu. Ele foi vitorioso onde o personagem do filme "Fragmentado" não foi.
              Um bom personagem num excelente arco dramático. Arte espetacular. Um bom gibi.


              Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
              "Em seu mundo, vocês me conhecem por um outro nome."
              Aslam

              Comment


              • #8
                Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

                Nesse encadernado descobrimos que tudo, inclusive Konshu, faz parte da loucura de Mark.
                nao foi essa minha leitura, eu percebi que Konshu precisava dele para se manifestar e Marc foi forte o suficiente para "fechar a porta".

                Comment


                • #9
                  Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

                  A loucura e esquizofrenia sempre imperou em Marc Spector, mas essa fase do Cavaleiro da Lua, o Lemire superou as expectativas. E também não vejo o Konshu como parte da personalidade do Spector, mas um deus que aproveitou a esquizofrenia do personagem para acessar a Terra.

                  Comment


                  • #10
                    Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

                    O que aconteceu com a Marlene?

                    Enviado de meu SM-J701MT usando o Tapatalk

                    Comment


                    • #11
                      Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

                      Li.

                      Muito boa a conclusão do arco e o retcon de origem do Da Lua. Acho que a ideia do Lemire era limpar a cronologia de origem do personagem e deixar tudo mais claro, mesclando o Marc com os problemas psicológicos típicos de nossos tempos. Ele basicamente tirou o Cavaleiro da Lua da dinâmica básica de alter-egos e o trouxe para a pós-modernidade.

                      A única coisa ruim em tudo isso talvez tenha sido a divisão da fase em 3 encadernados, que deixou a trama "arrastada".
                      .

                      Comment


                      • #12
                        Re: [avaliação] Cavaleiro da Lua #06

                        Caras, eu terminei de ler esse gibi tem uns MESES e tava até numas de reler para ver se eu não tava de ovo virado quando li o gibi, mas tenho mais o que fazer na vida e tô numas dessas aí do Pip: tinha hora que eu já tava DE SACO CHEIO dessa porra de Marc Spector não saber mais pra onde ia. Na verdade, a parte que mostra ele ainda criança sendo abordada por Konshu e dando ideia de que ele criou uma personalidade é muito boa, mas porra, tem as horas que aparece a porra do CAVALEIRO DO FUNCIONALISMO PÚBLICO DE NOVO na porra da lanchonete do carai lá da neguinha. Aquilo é pra quê? É pra mostrar QUE ELA TÁ FODIDA PRA SE APONSETAR ENQUANTO MARCÃO GANHA CONTRIBUIÇÃO INTEGRAL? Vai pra Konshu pra falar merda, vai pra Konshu que o pariu!



                        "sou branquinho, funcionário público, meu pai é procurador federal, moro numa casa do caralho e ainda por cima sou Jew Boy - porra, bicho. Esses cara que tudo, véi. quer comer TODAS AS BRANQUINHAS baseado em raça, cor, emprego, status e até religião de branco do pauzão inventa - desde quando esse filha da puta do Cavaleiro da Repartição é judeu?



                        O negócio do passado Jew Boy dele tava até interessante, um tanto EXAGERADO de sua branquitude, mas tudo bem, o sobrenome confere, né? Agora quando a porra do gibi começa a virar de ponta cabeça, aí vai tomar no cu, né, Lemire? Aí tu de sacanagem com a minha cara. Esse cara fala um monte de merda, encontra o Satá de Três pé lá em cima do tapete - "Konshu, Konshu, me ajuda, me acode, tô fodido aqui, tô na puta que me pariu" - Eu PENSAVA que essa porra já tinha se acertado mentalmente na última edição, mas não, fica essa porra lutando em cima de Libélula do Espaço contra uma porra doida.



                        Cavaleiro da Lua e o protagonismo dos brancos



                        Como o Marc é fodaum, depois de fugir de casa e não virar um indigente, ainda consegue se alistar no exército. Não demora muito tempo e vira mercenário. Tudo isso é muito interessante, mas já tô de ovo virado só de saber que ele tem múltiplas personalidades DE NOVO na porra da história. Ele luta no plano egípcio enquanto seu passado se desfralda para o leitor. TUDO ISSO NOS LEVA A MENTE DE MAX SPECTOR? MAX, COMO É SER O BRANCÃO, JEW BOY, QUE CONSEGUE COMER TODAS AS PEPELAS E AINDA POR CIMA SER FUNCIONÁRIO PÚBLICO DE TERNO TRABALHANDO 3 HORAS POR DIA, DEPOIS DE FICAR COM A MAMÃE DANDO TALQUINHO E PASSANDO SOPA NA BOQUINHA SÓ PRECISANDO ESTUDAR, ME FALA AÍ VAI, MARCO, O TEU SEGREDO, QUE EU QUERO PASSAR PRA CONCURSO PÚBLICO FEDERAL TAMBÉM, OU TEM PEIXADA DE FAMÍLIA AÍ NO MEIO? AÍ É FODA.



                        Max Spector, Jew Boy: "minha vocação é ser funcionário público, trabalhar no ar condicionado, perto de casa, 3 horas por dia, ficar 10 dias em casa no carnaval, passear de terno no shopping porque sou importante. Eu nasci pra fazer isso, é meu destino"


                        O gibi termina com o Marc viajando na maionese, parece que o Jew Boy nunca fumou maconha na vida, aí quando fuma um bequi já se sente o drogadyto das ruas. Um street warrior. Ao final do gibi o Marc manda pro Konshu "o Estado é laico" e manda ele se fuder que não vai aprovar reforma da previdência porra nenhuma não. Ele quer é salário integral, é o direito adiquirido dele pro resto da vida. Que aumente a alíquota de CLTista vagabundos do caralho. Esse é o Spectao, Jew Boy do caralho e comedor de tabacas branquinhas e cremosas. Em outra vida eu queria ser assim.



                        entrando na mente de um funcionário público afetado pela reforma da previdência



                        Na arte, Greg Smallwood fazendo mísera, tem nem o que dizer. Excelente artista. Capas originais e variantes ao final da edição também. Um desfecho meio sacal pra uma história boa e com uma arte do caralho. Após se libertar de Konshu a briga do Marc vai ser pra se aposentar antes dos 55 com salário integral.



                        "eu tenho trabalho a fazer. Duas horas por dia no ar condicionado com expediente se encerrando pro final de semana 3 horas da tarde de uma quinta-feira"



                        Postado originalmente por Pip Ver Post
                        A historia roda, roda e termina no mesmo lugar... Marc Spector aceita sua esquizofrenia, aceita Jake Lockley, Steven Grant, e derrota Konshu - que morreu, mas sabemos que cedo ou tarde voltará.

                        A parte boa é o retcon da origem de Spector, envolvendo o exercito, seus tempos como mercenario, Konshu, Frances, Marlene e Bushman.

                        Postado originalmente por Marevan Ver Post
                        Eu gostei bastante, um final digno para um arco interessante.

                        Penso que, até metaforicamente, essa história simboliza muito bem a jornada interior, pelo menos, aquela que se preza.

                        O herói consegue superar seus traumas e conviver com os aspectos plurais de sua própria existência, assim como consegue superar o complexo de Édipo, evoluindo para algo superior ao que era antes da aventura, sobretudo ponto de vista psicológico.

                        Parece que não há mudança no status quo do personagem, mas acredito que essa era a intenção dos autores, que o crescimento fosse mais voltado para o amadurecimento e enriquecimento doa valores internos do que a interaçâo típica com o mundo externo da continuidade do universo marvel.
                        Ou seja, "anda, anda, anda e volta pro mesmo lugar"


                        Postado originalmente por Nerd de Cristo Ver Post
                        Gostei bastante.
                        Não achei que "rodou e continuou no mesmo lugar". No encadernado anterior, fomos levados a acreditar que, sim, Mark é maluco mesmo, mas há de fato uma entidade extradimensional chamada Konshu que utiliza a loucura dele pra se manifestar em nosso plano. Nesse encadernado descobrimos que tudo, inclusive Konshu, faz parte da loucura de Mark. Foi bonita a forma em que ele aceitou as partes "boas" de sua personalidade pra poder destruir a parte "doente", Konshu. Ele foi vitorioso onde o personagem do filme "Fragmentado" não foi.
                        Um bom personagem num excelente arco dramático. Arte espetacular. Um bom gibi.


                        Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
                        O gibi de fato é bom, isso não se tira dele.


                        Mas eu achei um saco.

                        "As aventuras de Jew Boy, pra ser um homem branquinho e bonitinho, funcionário público"


                        Postado originalmente por Nick Ver Post
                        Li.

                        Muito boa a conclusão do arco e o retcon de origem do Da Lua. Acho que a ideia do Lemire era limpar a cronologia de origem do personagem e deixar tudo mais claro, mesclando o Marc com os problemas psicológicos típicos de nossos tempos. Ele basicamente tirou o Cavaleiro da Lua da dinâmica básica de alter-egos e o trouxe para a pós-modernidade.

                        A única coisa ruim em tudo isso talvez tenha sido a divisão da fase em 3 encadernados, que deixou a trama "arrastada".
                        É muito "fru fru", muita postergação. Em alguns momentos foram bons, mas aqui foi um saco da porra, gibi sem clímax.


                        É um "é, não é, e depois é de novo", vai tomar no cu esse gibi.


                        "Vou fazer uma viagem lisérgica" - o Jew Boy saiu do condomínio, comprou maconha e já se acha o drogado revoltys com o sistema.


                        Postado originalmente por prestogaudio Ver Post
                        A loucura e esquizofrenia sempre imperou em Marc Spector, mas essa fase do Cavaleiro da Lua, o Lemire superou as expectativas. E também não vejo o Konshu como parte da personalidade do Spector, mas um deus que aproveitou a esquizofrenia do personagem para acessar a Terra.

                        Gostei foi das observações sobre o enquadramento das páginas, páginas sem requadros dando sensação de movimento, e foi bem isso aí. Bom mesmo.

                        Comment

                        Working...
                        X