Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] A arte de voar - Antonio Altarriba e Kim

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] A arte de voar - Antonio Altarriba e Kim



    A Arte de Voar

    Antonio Altarriba e Kim

    Capa comum: 224 páginas
    Editora: Veneta (30 de abril de 2018)

    No dia 4 de maio de 2001, um senhor de 90 anos, Antonio Altarriba Lope, salta do quarto andar da casa de repouso onde mora. Para entender esse último gesto de Altarriba, seu filho segue o fio das lembranças das histórias que o pai contava, avança em suas pesquisas e mergulha em uma jornada pelas tormentas que assolaram a Espanha e a Europa do século 20. O resultado é uma emocionante homenagem à coragem, aos ideais e à tão difícil arte de voar.

    Sem dúvidas esse foi até agora o melhor quadrinho que li em 2018 e olha que não foram poucas leituras e muito menos limitadas há um só tipo ou estilo. Recomendo essa obra pra quem busca não só um prazer momentâneo mas uma experiência literária pra se levar pra vida toda.

    Aproveitando o lançamento da obra Asa Quebrada, dos mesmos autores, a Veneta sabiamente colocou de volta no mercado esse A Arte de Voar, pois já fazia um tempo estava esgotada. Esse romance gráfico narra a história do pai do Antonio Altarriba, que já na idade de 90 anos e recolhido em uma casa de repouso, sobe no parapeito da janela do quarto andar e se atira no vazio dando fim a sua existência. Só que o fim é apenas o começo de uma longa jornada desses noventa anos de vida do Sr. Altarriba. Desde sua infância dura mas envolta em sonhos no vilarejo rural de Penãflor próximo a Saragoça, passando pela guerra civil espanhola e sua luta por ideais libertários, sua penosa experiência na segunda guerra, o exílio na França e a volta para Espanha, a desilusão com seus antigos companheiros de luta, a desilução consigo mesmo na perda de seus ideias, as aventuras amorosas, seu casamento e o nascimento do filho, até enfim seus últimos momentos na casa de repouso. Todos esses acontecimentos são narrados em primeira pessoa pelo Sr. Altarriba através do brilhante roteiro do seu filho e com desenhos extremamente detalhistas do Kim.

    Eu comecei a leitura ontem do quadrinho e em um primeiro momento estranhei as bordas das páginas que tem muito espaço em branco, até cheguei a comentar no tópico de últimas leituras, pesquisei e vi que a edição original também era assim então sosseguei. Hoje eu ia ler mais um capítulo (são quatro ao todo, representando os andares da queda do personagem), só que a história é tão imersiva que foi logo tudo, em nenhum momento me soou enfadonho ou cansativo, achei tudo na medida certa, com personagens secundários muito bem construídos, até quando ele está no asilo que você acha que vai ser a parte chata da leitura, tem figuras como o Hipólito e o Restituto que te fazem vibrar sem igual ou ficar pensativo e tocado com aquela cambada de velhos e o dia a dia na casa de repouso, cada um buscando um sentido de vida em suas limitações. Muito teria que ser dito para enaltecer esse trabalho por que a obra fala muito, de todas as formas possíveis, mas fica aí a minha recomendação desse quadrinho, na minha opinião uma obra prima.

    O trabalho da Veneta está excelente, papel e impressão de primeiras, só teria utilizado a outra arte de capa nessa reimpressão para combinar com o lançamento do Asa Quebrada que tem um desenho similar só que com a mãe do Altarriba, ao qual eu mal posso esperar para ter em mãos.




    Uma pena não terem usado essa arte para a capa da reimpressão.
    Last edited by Mountain Man; 05-06-2018, 12:45 AM.
    “Quando quero relaxar leio ensaios de Engels. Quando quero algo mais sério, leio Corto Maltese.” Umberto Eco.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] A arte de voar - Antonio Altarriba e Kim

    Li recentemente e dei uma pausa no fim do primeiro capítulo, mas na retomada não consegui parar mais, e olha que tem texto pra caramba. História envolvente e bem contada onde o estranhamento inicial dos desenhos se desfaz logo nas primeiras páginas, chegando à conclusão que não poderia ter sido outro estilo para ilustrar essa saga.

    É um drama fascinante, e como educador, me interessa muito ter a visão de um narrador in loco de acontecimentos da história mundial. Complementa, dá sentido e desmitifica muito do que nós vemos nos livros didáticos.

    Estou muito curioso para ler o Asa Quebrada, já que a mãe do autor ficou em segundo plano.

    Comment

    Working...
    X