Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Liga da Justiça #14 & 15 - VAMU RUSHA, mas só um poquinho. Devagar e sempre.

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Liga da Justiça #14 & 15 - VAMU RUSHA, mas só um poquinho. Devagar e sempre.

    AVISO
    Devido a dificuldade em realizar tópicos de avaliação, decidi transformar este tópico do gibi LIGA DA JUSTIÇA como uma espécie de "Tópico Oficial" da edição da Panini na mesma dinâmica que os tópicos oficiais de edições americanas e nos mesmos moldes do Tópico de Avaliação dos X-Men, criado pelo Cajun um tempo atrás.

    Pretendo continuar atualizando o tópico com a edição do mês, mas fiquem a vontade para tomar a frente quando tiverem lido a edição do mês e já querer postar avaliação. Se por acaso a decisão não agradar ou se um usuário prefira criar seus próprios tópicos de avaliação, por favor contate os Moderadores da Pasta Quadrinhos ou então pode dirigir a pasta de Reclamações para análise.

    Obrigado a todos e abraços! Vamos ler gibis!
    ----------------------------------





    A nova revista Liga da Justiça marca a estreia de uma nova formação da equipe, pronta para encarar a Totalidade, uma fonte de energia cósmica que acaba de aterrissar na Terra. Um desafio que se torna ainda maior com a intervenção da Legião do Mal. Não perca a estreia dessa nova fase, capitaneada pelo roteirista Scott Snyder.

    (Justice League 1-2)


    Revista mensal
    Formato americano (17 x 26 cm)
    52 páginas
    Papel Couché
    Capa Cartão, Lombada Canoa (Grampeada)
    R$ 9,90
    Distribuição nacional

    --------------------------------------------------

    Depois de tanto tempo finalmente me animei em abrir um tópico de avaliação para essa nova encarnação da Liga da Justiça, agora sob a batuta do Scott Snyder.... . Scott Snyder pra quem não sabe é o mesmo cabra que fez o run do Batman nos Novos 52 fazendo aquele negócio rocambolesco, enfadonho, cheio de texto inútil, mas que por algum motivo fizeram sucesso entre os fanboys iletrados que leem gibi. Acham "divertido" um negócio sem o mínimo senso de estética e estilo, o gosto do Snyder é agonia.






    O gibi começa com arte de Jim Cheung, um artista que sempre salta aos olhos, pra chamar atenção do público leitor. O problema é que o Snyder SOCA TANTA PALAVRA E CAIXA DE TEXTO QUE FODE QUALQUER NARRATIVA! O desenhista simplesmente não trabalha, não faz nada memorável, porque aparentemente Snyder é o cara que ganha por palavra escrita e não deixa a porra do desenhista mostrar o seu talento. Ao longo de todo o gibi somos apresentados com essa estética de retardado, que pra se contar uma história a imagem não é necessária e o desenhista é um mero ilustrador das palavras do roteirista.



    a nova sala de reunião fica na "mente" dos personagens. Eles discutem na mente do Ajáx nesse esqueminha aí de sentar em volta da mesa. É a sofisticação pela sofisticação.



    A forma como é apresentado só não é pior do que o conteúdo do gibi: em meio a essa nova formação da Liga, criada a partir dos eventos de Sem Justiça, Lex Luthor começa uma trama incompreensível para derrotar a Liga e controlar o mundo (por que não?). Entrementes uma energia fuderosa provinda da Muralha da Fonte começa a singrar o espaço em direção a Terra. Deixa os heróis com apenas 3 minutos para reagir, mas de alguma forma o Batman já tem o John Stewart plantado no espaço esperando para disparar contra o projétil. Aí eles converam pra caralho só que FUDEU, é a TOTALIDADE que está vindo. Ajáx fica com o cu na mão, mas o Luthor vai mostrar a piroca já já. Eita.




    A nova Legião do Mal



    O Snyder precisa EXPLICAR o gibi pro leitor se não ele não entende! O leitor é muito imbecil, aí o Snyder precisa explicar tin tin por tin tin o que está acontecendo pro pobre coitado do leitor de gibi, uma espécie de retardado semi-alfabetizado, entender o que está acontecendo. Só que explicar diretamente fica muito pedrês, né? Aí o Snyder precisa escrever de maneira ENFADONHA E PROLIXA para parecer inteligente. A parte dois mostra o Luthor colocando seu plano incompreensível em prática, os heróis da Liga em ação e decidindo como vão lidar com a Totalidade.






    Na arte, Jorge Jimenez faz um trabalho muito bom, pena que não consegue fazer nada memorável graças a verborragia do Snyder. São páginas e mais páginas onde o Grodd passa pelo plano de Luthor, como vão agir, etc, só que isso não explicando porra nenhuma. E outra seção mostra como sera o approach da Liga da Justiça na Totalidade, que por algum motivo eles precisam injetar justiceiros dentro do corpo daqueles que vão entrar na cabeça lá do satanás.




    Snyder é tão burro que o mérito dele foi de criar o espectro de luz da "emoção negativa", puta que me pariu...



    É uma pena que quando a Liga tenha uma equipe de arte fuderosa (deus sabe que na fase Bryan Hitch não foi assim...) tenha como roteirista o bostão do Snyder. Sério, bicho, como é que alguém pode GOSTAR disso me foge a qualquer lógica. Eu já li as edições seguintes, LI E RELI aliás, e as coisas não melhoram não. Em breve continuo as avaliações. A conferir...


    o Batman fala com o Lanterna a milhares de anos luz através de uma conexão mental do Monstro do Pântano no meio do espaço e em meio a luta. É muito arrojado, meu.


  • #2
    a mesa redonda mental é Morrison, né



    Comment


    • #3
      A vida do Snyder é ser um Morrison sem 10% do brilho. Batman dele é a fase Morrison com mais textos e agora essa Liga tenta ser grandiosa igual a JLA do Morrison. E também falha, é claro.

      Gibi cacetíssimo de chato. Pior é ver os americanos falando que quando o Tynion entra o gibi fica ainda melhor. Chega a ser cômico.


      Postado originalmente por Gesuis
      Eu, um cara com certo conhecimento e bagagem, que é ligado em música nem sabia que um deles tinha morrido, de tão relevante que eles são.
      Comentando sobre os Beastie Boys


      www.twitter.com/matheuslaneri

      Siga-me!

      Comment


      • #4
        Postado originalmente por matheus 90 Ver Post
        A vida do Snyder é ser um Morrison sem 10% do brilho. Batman dele é a fase Morrison com mais textos e agora essa Liga tenta ser grandiosa igual a JLA do Morrison. E também falha, é claro.

        Gibi cacetíssimo de chato. Pior é ver os americanos falando que quando o Tynion entra o gibi fica ainda melhor. Chega a ser cômico.
        Caraaaaaaaaaalho. Tynion IV ESCREVENDO? Aí esse gibi vai ficar INTRAGÁVEL!



        Postado originalmente por FLUFFY Ver Post
        a mesa redonda mental é Morrison, né





        Porra, nem isso é original no cara.


        Pior que com TRÊS TELEPATAS na equipe a época e de forma mais elegante, Morrison deixa VEROSSÍMIL a parada. Eu não me surpreenderia se o Snyder nunca mais usasse essa """"ideia""" dele...


        Em tempo, um vídeo dum cabra no youtube que pensa de forma similar a mim:

        Comment


        • #5
          fora que uma coisa são esses telepatas nível xavier


          outra coisa é o Ajax, o famoso COMUNICADOR da liga da justiça, hoje obsoleto graças ao Whats app

          Comment


          • #6
            gibi chato da porra
            fotografia é desenho de luz

            Comment


            • #7



              Sob o controle da luz ultravioleta, John Stewart vai de maior esperança da Liga à maior ameaça, principalmente quando parte para cima dos colegas Aquaman, Flash e Mulher-Maravilha. Ao mesmo tempo, Superman e Caçador de Marte encaram novas ameaças ao se aproximarem da Totalidade, e duas delas estão dentro do corpo de cada um.

              (Justice League 3-4)


              Revista tradicional
              17 x 26 cm
              52 páginas
              Papel LWC
              Capa Cartão, Lombada Canoa (Grampeada)
              R$ 9,90
              Distribuição nacional

              ------------------------------------------


              Continuando a saga "a Totalidade", nesta edição temos conhecimento de outra luz do espectro ultra-violeta que o Sinestro já conhecia faz anos, mas resolveu usar só depois, mesmo havendo criado a Tropa dos Lanternas Amarelos, lá na "Guerra do Anel" (Sinestro Corps War). Ele deve ter achado muito fuderoso pra usar a energia do Umbrax, e usou somente a energia amarela, aí agora ele apelou. Ah, e ele é o herói de nossa história, tá? Por uma página.



              o herói de nossa história. NOT!



              O "Umbrax" é essa porra de energia nova aí que o Sinestro tá utilizando e aparente ter alguma ligação com a força da Totalidade. O JOHN STEWART É TÃO BOSTA QUE MESMO POSSUÍDO PELA ENERGIA, LEVA UM PAU DE MEIA LIGA logo nos primeiros minutos. O Cyborg dá um chega pra lá nele, pra você ver como ele é coitado. Por que o John tá assim se foi completamente inútil? Essa foi a "peça" que o Scott Snyder colocou no enredo para dar a revelação de como deter o poder do Umbrax na próxima edição. Enquanto isso, DENTRO DA TOTALIDADE, Ajáx e Super-Homem continuam enfrentando a porra dos deuses e a Moça Gavião e Batman, DENTRO DOS HERÓIS RESPECTIVAMENTE, enfrentam a gala de deus que já entrou no cu dos justiceiros. E nisso eles mal imaginam que o Luthor e o Coringa já entraram no cu do Super-Homem e do Ajáx desde que enfrentaram lá o tal do Crocodilo Involuído da última edição. Classy







              Na parte seguinte temos mais justiceiros se fudendo: após uma página que mostra como o Grodd é mau, só pra fazer uma ligação com alguma aleatoriedade que o Snyder cita ao final do gibi para parecer poético, agora são Cyborg e Lanterna John que se fodem na mão do Sinestro, fuderoso por causa do Umbrax, e Flash, Mulher Maravilha e Aquaman se fodem na mão de Grodd BUFFADO por conta do poder da INAÇÃO. Puta que me pariu, OUTRA FORÇA? O SNYDER DEVE TÁ ESTUDANDO MUITA FÍSICA QUÂNTICA! A INAÇÃO NÃO SERIA TIPO A INÉRCIA??? Me ajudem aí porque eu bombei nessa matéria (e em todas as outras...). Isso enquanto os justiceiros investigam a força da Inação lá no fundo do oceano num templo abandonado, não me pergunte porquê...



              a emoção do Luthor se escondendo no cu do Super-Homem



              Essa edição melhorou MUITO em comparação com a anterior. Mas isso não quer dizer muita coisa. Snyder coloca os Justiceiros a mercê da Legião do Mal e parecia que tudo se desenharia para uma conclusão na próxima edição. Mas você está enganado, amiguinho, afinal de contas foi preciso mais prazo pros desenhistas fodões fazerem uma última parte da história, embora o Jorge Jimenez já esteja MUITO BOM aqui, prejudicado apenas pela narrativa truncada do Snyder, mas aqui é onde ele se sai melhor. Aí depois dessa parte que parece o clímax, onde todas as cartas estão na mesa e tudo vai pro caralho, o Snyder cria o CLÍMAX DO CLÍMAX, espichando sua história desnecessariamente e colocando a revelação mais cretina que eu já vi esse ano. A conferir. Em breve.




              Sinestro arrombando o anel do John Stewart na arte do Jorge Jimenez pagando seus pecados desenhando pro Snyder

              Comment


              • #8



                A Legião do Mal não se tornou uma ameaça de um dia para o outro, e tudo começou, claro, com Lex Luthor. Conheça um pouco da origem do mais aterrorizante grupo de vilões da DC da atualidade e saiba porque estão atrás da Totalidade. E mais: acompanhe o estrago que Luthor e Coringa estão prestes a fazer no interior do corpo do Superman e do Caçador de Marte.


                (Justice League 5-6)


                Revista tradicional
                17 x 26 cm
                148 páginas
                Papel LWC
                Capa Cartão, Lombada Quadrada
                R$ 9,90
                Distribuição nacional

                ------------------------------------------------


                Antes do CLÍMAX DO CLÍMAX do arco do Scott Snyder, temos uma história escrita pelo Tynion IV, que agora o matheusin falou que vai assumir o roteiro do título até que faz sentido, mostrando como essa nova pero no mucho Legião do Mal do Lex Luthor se formou. Mostra também ele indo ao futuro e todo mundo babando o ovo dele lá porque ele descobriu que o negócio mesmo é a zoeira. História bem banal, na verdade. Nada muito esclarecedor. O foda é que esse tipo de história devia JUSTAMENTE SERVIR para explicar coisas para o leitor que estão nubladas, como O QUE DIABOS É A TAL DA TOTALIDADE, ou até mesmo UMA BOA MOTIVAÇÃO ao Luthor. Nem tchun.



                Luthor quer viajar no tempo. Por quê? Num tô intendeno nada




                O único destaque dessa história é a arte do Doug Mankhe mesmo, e apesar de ser tanto quanto ou até mais verborrágico que o Snyder, já dá pra ver que o Tynion IV é mais contido e pelo menos tem uma NOÇÃO de como escrever um gibi. A narrativa, mesmo cheia de verborragia, não é tão truncada e até rende bons momentos, como o Grodd nas Nações Unidas DEFENDENDO O GOVERNO BOLSONARO, embora não faça sentido algum. Assim como O GOVERNO BOLSONARO.



                esse trecho não tem sentido nenhum, mas foi legal


                Já na parte seguinte do gibi temos o CLÍMAX DO CLÍMAX do Scott Snyder. Aqui as coisas estão indo AINDA MAIS PRO CARALHO, MAS ESPERA UM POUQUINHO MAIS QUE TEM MAIS UMA EDIÇÃO PRA FECHAR O ARCO. Moça Gavião e Batman estão fudidos. Lanterna John e Cyborg estão presos dentro do QG da Liga, atacados por toda a população da Terra que adotou o UMBRAX como novo aplicativo de mobilidade. E o Flash tá se peidando todo por conta da força da INAÇÃO. Snyder, seu gênio da física, você conseguiu de novo.




                Batman só quer ser o fodão, mas vai levar um pau



                Enquanto os justiceiros estão tentando dar a volta por cima, o John Stewart tem a EPIFANIA que vai salvar o gibi. Esse deve ser um dos piores momentos que eu já li nos gibis, onde o cara SE PERCEBE que tá segurando a "força do Umbrax" e DE UM ROMPANTE descobre como DERROTAR ESSA FORÇA. É como se você não soubesse mais a posição de cagar e descobrisse que sabe usar o banheiro. É RIDÍCULO. Em UMA PÁGINA o John descobre que a solução é deixar a força do Umbrax fluir. É muito cretino, velho. Na sequência, uma explicação ainda pior para liberar as pessoas da Terra: John Stewart vai cruzar super rápido a Terra, graças ao carro do Flash que foi PINCELADO na primeira edição, e aí o Ajáx vai entrar na mente das pessoas e mandar um "relaxa e goza". Puta que me pariu, eu me senti OFENDIDO por esse gibi. É por isso que essa porra de gibi vende, porque o Snyder apela para o leitor TACANHO de gibis que come qualquer bobagem, nem lê o que tá sendo escrito ou entende, até porque os escritores são os mestres do tangiversismo, só veem as figuras bonitas e thcau pro louro. Meu deus, que porcaria.




                Me senti ULTRAJADO!




                Mermau, vei, QUE PORRA É ESSA? Que porra mais escrota. Vai tomar no cu. O pior de tudo é que o ARROMBADO DO SNYDER REALMENTE SE ESFORÇOUI PRA ESCREVER ESSA JOÇA! Diferente de escritores como Sam HUMPRIES, O PIOLHENTO, ou o MACONHEUIRO DO MIKE COSTA, OU PIOR AINDA, A CHUPONA DE BILOLAS GORDAS DA BECKY CLOONAN, que fazem essas merdas, tipo em 10 MINUTOS E NÃO LIGAM PRA PORRA NENHUMA, eu vejo que o Snyder é daqueles tabacudos que passam HORAAAAAASS elaborando um roteiro, e vem com essa história merda. Sabe aquela piada que 1000 macacos escrevendo por 1000 anos vão escrever o melhor romance de todos os tempos? Só que não. Pronto, esse macaco é o Snyder. CAGANDO NAS PÁGINAS DO ROTEIRO. COM ESFORÇO E CARINHO.




                this is the new shit: ao longo do gibi o Snyder não se furta de FILOSOFAR sobre a natureza de seus personagens. Meu deus do céu...




                Coisas como "você tem que pisar fundo! Use suas EMOÇÕES como combustível" são o tipo de frase que se encontra de um lado pra outro nesse gibi. Não basta elaborar roteiros bosta, tem que escrever como retardado também. Esse tipo de gibi me faz sentir SAUDADES do Bryan Hitch escrevendo (que eu achava muito do caralho, aliás). Acho que a galera pira é nos bonequinho voando e atirando pra tudo que é lado mesmo. Esse tipo de gibi APEQUENA a ótima arte do Jorge Jimenez.




                seria o Scott Snyder a PERSONAFICAÇÃO do Luthor nesta história? Onde ele sonha que todos babem o ovo dele? "Meu DC 1 Milhão é melhor do que o do Morrison, viu?"


                Comment


                • #9



                  A batalha entre a Liga da Justiça e a Legião do Mal atinge seu clímax com a chegada de um novo herói e de um novo vilão, além de confrontos avassaladores, como o da Moça-Gavião contra Lex Luthor. Não perca a apoteótica conclusão de A Totalidade. E mais: acompanhe o segundo capítulo da trajetória da Legião.


                  (Justice League 7-8)


                  Revista mensal
                  17 x 26 cm
                  52 páginas
                  Papel LWC
                  Capa Couché, Lombada Canoa (Grampeada)
                  R$ 9,90
                  Distribuição nacional

                  ---------------------------------------------


                  CONCLUSÃO DA TOTALIDADE! NINGUÉM ESCAPA INCÓLUME! Muita ação, muita aventura, muita superação e os Justiceiros dão a volta por cima em Luthor e sua Legião do Mal por pura epifania da última edição! Enquanto a gente tem um começo com primeira página pro Snyder LEMBRAR A GENTE QUE MATOU O VANDAL SAVAGE NUMA CENA MERDA DO CARALHO, temos a Mulher Gavião que não consegue dar uma porrada decente na cabeça do Lex Luthor (mesmo depois dizendo que é foda nisso), o Lanterna Verde John Stewart correndo o mundo com o carro do Flash pra entrar na mente das pessoas e dizer que tem que relaxar e gozar com a maldade, e o Flash se peidando todo pra controlar a vontade de cagar.




                  Mulher Gavião: a primeira coisa que aprendeu foi a bater, mas não aprendeu direito pelo visto...




                  Mermaum, vai tomar no cu esse gibi. Eu acho que vou começar muitas avaliações escrevendo isso, mas é verdade. Que caralho de APONDEGADO EXCALIBUTÁRIO é esse? Um gibi onde PARECE QUE AS COISAS ESTÃO NUMA TENSÃO FODA, mas na verdade é confete de bosta jogado na sua cara pelo peido de um elefante rosa. O gibi ofende DESSE JEITO. Ninguém entendeu direito até agora o que porra é essa Totalidade a não ser uma bolota de catota da Muralha da Fonte, mas DE ALGUM MODO Luthor sabia o que ela representava e vai atrás dela, mesmo os Justiceiros descobrindo ela em poucos minutos que adentrou o sistema solar (isso foi mostrado na primeira edição). Como se desgraça pouca fosse bobagem, ainda temos a REDENÇÃO do John Stewart, que ao meu ver, NUNCA PAGOU OU TEVE UMA HISTÓRIA SIGNIFICATIVA pelos acontecimentos mostrados em Odisseia Cósmica.






                  O Super-Homem não faz PORRA NENHUMA ao longo do gibi, o que é até engraçado se você considerar que o shodown entre Mulher Gavião e Luthor se passa no cu do Super. Aí pra completar a gente tem o Flash SE PEIDANDO TODO PRA CONTROLAR A FORÇA DA INAÇÃO? Ah? É isso mesmo! SE FODE AÍ COERÊNCIA! Puta que me pariu, DESDE QUANDO o Flash pode controlar essa porra? Aliás, força da Inação é o caralho, né? Quem inventou isso nunca deve ter tido uma aula de Física na vida. Parece até que esses escritores de quadrinhos não fizeram o segundo grau, um bando de analfabetos que não sabe o que é INÉRCIA. Aí vai uns analfabetos de pai e mãe do caralho desses, só porque leem bosta e escrevem groselha, ficam se achando grandes escritores. Se ler bosta e escrever tranqueira fosse determinante pro cara ser letrado, o Canibosta que lê Antagonista e vem aqui todo dia escrever bobagem já seria membro da Academia Brasileira de Letras.





                  O pior de tudo é que os panacas do Grodd, Arraia Negra e Mulher Leopardo DEIXARAM os justiceiros lá num "canto obscuro" onde se reunia tecnologia Atlante e Amazoniana (não pergunte...) aí depois QUANDO O FLASH COMEÇA A SE PEIDAR TODO, INVENTAM DE QUERER DERRUBAR A ESTRUTURA EM CIMA DELES. PORRA! Por que não mataram antes, caralho? Lógica de desenho animado essa porra de gibi. Ao final, conseguem o fragmento da Totalidade, aparece o Starman todo cagado (porque sim...) e Luthor AGORA VAI USAR AS BIG GUNS! Filho da puta, POR QUE NÃO USOU ESSE CARALHO ANTES? Aliás, não usa não, pelo amor de deus, que é aquela merda de "Batman que Ri", Batman que Ri pro caralho, só se for...




                  Luthor AGORA vai usar as BIG GUNS! (por favor, apenas pare...)



                  A história seguinte mostra que porra o Starman do passado tá fazendo lá. Aliás, mostra COMO ele foi parar lá, o que ele foi fazer é um tanto quanto deixado para os próximos capítulos. Aparentemente, Luthor atacou ele no passado, o porque vai depender unicamente da habilidade do Snyder em fazer uma história coesa, que é quase zero. Esse capítulo no entanto é escrito pelo James Tynion IV, que embora seja baba ovo e chupa rola do Snyder, até que é um discípulo melhor que seu mestre, mas sem a expertise de fazer um gibi safado ser tão hypado. Mas o Tynion AO MENOS sabe escrever algo coerente. Cretino e imbecil, mas ainda assim coerente. A história serve mais como prólogo de "A Totalidade" e epílogo para a próxima saga "Terra Afogada", e o Tynion escrevendo diálogos passáveis entre Luthor e Batman que ri do caralho, mas que na cabeça do Tynion ele pensa estar escrevendo um novo Silêncio dos Inocentes.







                  Liga da Justiça continua sendo aquele gibi BEM PANACA de se acompanhar, com histórias enfadonhas e um roteiro pra lá de cansado, mas pelo menos tem uma equipe de arte fuderosa. Na conclusão de Totalidade tivemos a volta de Jim Cheung na arte, que é sempre bom, apesar de suas "carinhas John Byrne" sem muita variedade e no epílogo temos MIKEL JANINHO fazendo mísera. Na arte, ao menos, o gibi tá impecável. Eu vou continuar comprando porque sou fã da Liga e porque comprar mensal sem ao menos um gibi merda pra se comprar e falar mal não é colecionar gibi de verdade. Eu comprava até Fator X.




                  quem é Perpétua? É aquela que te mete FERRO NA BONECA!

                  Comment


                  • #10



                    Superman e Batman seguem discutindo qual é a forma correta de retomar a Lua ao seu devido lugar. Enquanto isso, Aquaman e Mulher-Maravilha reforçam sua confiança mútua em uma missão muito especial; e Moça-Gavião e Caçador de Marte começam um longo processo de recu-peração física e emocional.


                    (Justice League 2018 9-10)


                    Revista mensal
                    Formato americano (17 x 26 cm)
                    48 páginas
                    Miolo couché
                    Capa cartão, lombada canoa
                    R$ 9,90
                    Distribuição nacional

                    ---------------------------------------------


                    Continuando as avaliações atrasados do gibi da Liga da Justiça, aqui na quinta edição temos uma espécie de epílogo a história anterior (outro epílogo, aliás) numa história curta envolvendo o Super, a tabaquice do Batman e alguns dos Justiceiros. No evento do arco anterior, a Lua foi destruída (nem percebi devido ao roteiro amarradinho de Snyder), e como o Super não fez porra nenhuma na saga, é ele que vai consertar. Aí o Batman, TODO FUDIDO, inventa de colocar a armadurinha dele de ossos quebrados e vai alertar o Super pra ameaça de alienígenas que atacam a Lua. Em meio a isso, vemos os Justiceiros interagindo entre si, Flash e John fazendo amizade, Mulher Gavião e Ajáx se estranhando e Aquaman e Mulher Maravilha comentando dos quartos dos demais companheiros.






                    Essa história seria boa se não fosse ruim. Devia ser uma espécie de "história leve" mostrando o apreço do Super pela Terra e as belezas naturais, talvez com alguma graça envolvida, mas como Scott Snyder e sutileza jamais devem andar juntos, o cara me faz um história que IGNORA COMPLETAMENTE eventos importantes do arco anterior, como a chegada dum catatônico Starman, e ainda tem a pachorra de escrever o Batman mais imbecil de todos os tempos. É como se fosse um fanboy do Batgod do Morrison escrevendo o personagem. Só que quando o Morrison fazia era comedido e em momentos chaves que você achava o personagem foda, tal qual um Wolverine do Chris Claremont. Quando o Snyder utiliza, ainda mais de maneira cretina, só faz o Batman parecer um mongolzão adolescente querendo se perfazer de bonzão no meio de um monte de cara que podia arrancar a cabeça dele num piscar de olhos.






                    Saca só isso: com a destruição da Lua, a ideia do Batman é fazer com que a Lua seja uma arma de proteção para a Terra. Só isso é de uma imbecilidade ímpar e o Batman nunca se atreveria a falar uma idiotice dessas pra outros Justiceiros. Aqui além de ficar enchendo o saco do Super com isso, o Batman fica insistindo e COLOCA UMA HORDA DE ALIENÍGENAS DEMONÍACOS para enfrentar o Super! Sim, o Batman faz com que os aliens vão até a Terra para enfrentar o Super apenas pra provar estar certo! Aí quando o Super dá de ombos e saca que é uma tabaquice do Batman, o Batman manda um mega monstro pra lá e o Super tranquilão que ele vai cancelar o ataque antes de qualquer coisa de errada aconteça. No último momento o Batman faz isso. Eu acho que quando o Snyder escreve algo assim não imagina que transforma quem devia ser um dos caras mais sensatos da Liga numa espécie de adolescente de 16 anos com poder de ser ouvido. Se a "power fantasy" de leitores de Super-homem e Conan são personagens que podem fazer o que quiserem, a mesma fantasia para, sei lá, ELEITORES DE BOLSONARO, é um personagem que se diz mauzão, faz coisas de mauzão e que por algum motivo, TODOS OUVEM ELE, acham o cara mais fuderoso do recinto e sempre o levam a sério.




                    Super-homem confiando no """"""""amigo""""" batman, quando já devia ter estourado a cabeça dele



                    Essa deve ter sido a história mais cretina da Liga que eu já li em toda minha vida. O Snyder conseguiu transformar o personagem que ele escreveu POR ANOS num adolescente de 16 anos ateu, metaleiro e conservador nos costumes e liberal para pedir dinheiro ao pai. Uma espécie de "Nando Moura com poderes" e o fez isso sem um pingo de ironia. Sério, o gibi simplesmente NÃO TEM ESSE TOM de achar o Batman um imbecil pelo que fez. Todo leitor normal vai achar isso, eu garanto, porque afinal de contas eu sou normal pra caralho. Arte de Jorge Jimenez salva a história de ser uma bosta completa.




                    Batman todo fodido, mas querendo ser o cara que manda. Porque ele é o Batman. Cê sabe, um cuzão.


                    Na segunda história temos o prelúdio para a saga crossover "Terra Afogada" que vai intercalar as publicações de Aquaman e Liga da Justiça (mas publicados inteiramente nesta mensal) e vai marcar o fim da fase Dan Abnett a frente do Aquacara. Scott Snyder faz algo bem básico para a premissa e parece até que a coisa vai, só que a premissa é meio idiota. Aparentemente um antepassado do Aquaman, Árion, encarcerou vários seres com poderes sobre as águas em um lugar chamado "Recife de Sangue" (ou seria melhor... HELLCIFE?????!?!!) e agora eles vão a desforra.








                    Percebam a imagem acima. Nela o Aquaman e a Mulher Maravilha fazem referência a ter encontrado o Poseidon, que como vimos na edição anterior foi morto pela Mulher Leopardo. Só que EM NENHUM MOMENTO DA PUBLICAÇÃO VIMOS ESSA CENA! Se o editorial da DC não comeu bola, o que acho difícil, então foi o editorial da Panini que não colocou quando tal cena ocorreu, o que suspeito tenha sido nas últimas edições do gibi do Esquadrão Suicida onde também houve um crossover com o gibi do Aquaman, mas que eu não sou mais louco de comprar. Nem por curiosidade mórbida.







                    Aí o objetivo desses Aquamans do espaço é fazer com que a Terra seja toda afogada e no processo as pessoas, POR TOCAREM NA ÁGUA, transformam-se em MONSTROS! Por que não? Meu deus, que ideia cretina. Eu nunca vi algo tão preguiçoso e sem propósito. Tipo, você JÁ SABE QUE NO FINAL VAI DAR TUDO CERTO, então o que está em jogo realmente aqui? Não tem DRAMA NENHUM se você pega as pessoas que podiam estar passando um perrengue fuderoso com a Terra sendo afogada, mas ao invés disso vamos transformar todos em monstros, que sabemos que no final tudo vai dar certo. Eu suspeito que essa ideia idiota tenha sido do Snyder, tenho certeza absoluta disso, me prove o contrário.



                    transformar as pessoas em monstros vai trazer drama sim, amiguinho



                    Sobre isso tem até um trecho bem idiota onde o NUCLEAR é transformado em monstro por tocar em um outro monstro, e Diana e Aquaman falam EXPLICITAMENTE para não tocar no bicho, aí o bicho AMARRA O AQUAMAN COM A LÍNGUA e NADA OCORRE! Como se não bastasse a ideia ser ruim, ainda FALTA COERÊNCIA NA PRÓPRIA ESTÓRIA! É adicionar escárnio a ofensa. A fome com a vontade de comer, o peido com a vontade de cagar. O que presta mesmo é a arte do Francis Mamapau, sempre bom de apreciar.



                    é a sequência depois dessa página. Perceba que o Nuclear é CUSPIDO pelo monstro e se transforma, aí o Aquaman é AGARRADO PELA LÍNGUA do monstro e nada acontece. Acho que faltou saliva.

                    Comment


                    • #11



                      Tudo deu errado e ninguém consegue encontrar o único homem que pode resolver a situação: Arthur Curry. O destino de todos os atlantes e seres da superfície repousa nos cansados, e ausentes, ombros do Aquaman! E parece que nem mesmo a presença de Mera, a nova rainha atlante, vai ser o suficiente para aplacar o mal que se avizinha.

                      (Aquaman 41, Justice League/ Aquaman: Drowned Earth)


                      Revista tradicional
                      17 x 26 cm
                      64 páginas
                      Papel Couché
                      Capa Cartão
                      Lombada Canoa (Grampeada)
                      R$ 12,90
                      Distribuição nacional

                      -------------------------------------------


                      Aqui começa a saga TERRA AFOGADA de fato e me parece que o Snyder convenceu o Dan Abnett antes de ser chutado do gibi do Aquaman fazer uma espécie de "Trono da Atlântida" pra chamar de si. É importante salientar que o Snyder não tem participação nos roteiros desta edição e isso se faz sentir: mesmo com a premissa idiota da água "contaminar" as pessoas, transformando-as em monstros marítimos, a trama é conduzida da melhor maneira possível. Enquanto em Atlântida os efeitos dos invasores são sentidos, restando a recém empossada rainha Mera a atitude de libertar o Mestre dos Oceanos, Aquaman tá comendo o peixe que o diabo amassou no "Recife de Sangue", um planeta onde estão os exilados pelo antepassado de Orin, Arion. Na Terra o bicho pega, Mera e Mestre dos Oceanos se aliam para deixar a Atlântida enquanto Batman coordena equipes de justiceiros para salvar as pessoas porque ele é o mais apto a fazer isso dentre todos os outros.



                      pior. premissa. ever!



                      Como dito no começo, a história é melhor do que se supunha. AINDA É UMA BELA DUMA MERDA, mas Abnett e no especial dos dois gibis, James Tynion IV, conseguem conduzir o plot com alguma dignidade. A história segue divertida, imbecil, porém divertidamente cretina até aqui. Na arte, temos Lan Medina fazendo um belo trabalho no título do Aquaman, o que só me deixa com vontade de conferir a série da Mera desenhado pelo mesmo (acho), e no especial Howard Porter fazendo um trabalho digno. Um elogio maior que esse e eu estaria exagerando.




                      aparentemente a Legião do Mal se aliou aos caras que querem afogar a Terra unicamente pra dar um pau no Aquaman. Sim, é estúpido nesse sentido.

                      Comment


                      • #12
                        quem compra aquaman, vai ter que comprar especificamente quais edições de liga da justiça pra ler este cross entre os títulos?

                        Comment


                        • #13
                          Postado originalmente por Aragorn Ver Post
                          quem compra aquaman, vai ter que comprar especificamente quais edições de liga da justiça pra ler este cross entre os títulos?
                          pode comprar a partir da edição #5, Aragorn

                          Comment


                          • #14



                            A ameaça marítima continua. Enquanto os membros restantes da Liga da Justiça estão espalhados pelos sete mares, devem se manter atentos para combater as forças dos Deuses do Mar e impedir que seus companheiros se tornem monstros marinhos!

                            (Aquaman 42, Justice League 11-12)


                            Revista mensal
                            17 x 26 cm (formato americano)
                            64 páginas
                            Papel Couché
                            Capa Cartão
                            Lombada Canoa (Grampeada)
                            R$ 11,90
                            Distribuição nacional

                            ----------------------------------------------


                            Terra Afogada é a saga que ninguém pediu, ninguém quis, mas que de alguma maneira James Tynion IV já estava com a ideia toda na cabeça, de uma premissa idiota que aposto que foi jogada pelo seu mestre, Scott Snyder. Eu meto o pau no Scott Snyder e mesmo que ele não tenha sido creditado nessa porra de gibi tenho a plena consciência que ele é o "autor moral" da história (detalhe, a primeira história é do Snyder!), visto que o Tynion é um de seus "Snydetes" na DC. O capítulo escrito pelo Dan Abnett é pura embromation e você vê daí que o cara já não tá levando muita fé no projeto e só quer pegar a rescisão dele e cair fora da empresa, mas o Tynion IV vem com essas ideias mirabolantes (que foram EJACULADAS em sua cabeça pelo Snyder).





                            Rapaz, esse negócio de "água que contamina e a pessoa vira monstro" é de umas paradas mais IMBECIS E IDIOTAS QUE EU JÁ LI NUM GIBI. O pior é que é entregue sem peso algum, sem relevância alguma, uma CHATEAÇÃO DO CARALHO, porque a gente SABE que no fim das contas vai tudo ser resolvido. Não tem tensão nenhuma. Ao invés desses PANACAS que estão escrevendo fazerem isso como um efeito colateral, ESCREVER PARA DEIXAR AS COISAS REALMENTE A PERIGO, eles apresentam isso como a causa final de todo o ato de inundar o planeta Terra. Por vias desta edição a gente sequer se lembra que essa porra tá assim e a história vira uma corrida atrás de um "Macguffin" que é a tal da "Lágrima da Choradeira", que é o artefato que vai resolver tudo magicamente.





                            Eu me enganei ao dizer que o Scott Snyder não escreve nada no gibi. Essa primeira parte é dele. Além de trabalhar os dois núcleos que são de fato importantes para a história, Super-Homem, Flash e depois Mera atrás da Lágrima da Choradeira, e Mulher Maravilha e Aquaman no Recife de Sangue se encontrando com Poseidon, o cabra não se aguenta e vai lá e me bota um começo com o Batman andando de cadeira de rodas de Star Trek, acompanhando a situação mundial como se fosse mudar algo e segurando nada mais nada menos que JARRO (que vai ser sumariamente esquecido mais adiante), o Starro no Jarro. Sacou? Vai se fuder. Até a parte escrita pelo Dan Abnett que é basicamente o Aquaman passando pelo Espírito Fantasma de Poseidon e arrumando forças pra não ser um bundão e resolver a situação é mais importante e interessante que isso.



                            onde foi que a Mulher Maravilha arrumou esse passarinho?



                            O gibi termina com mais embromation por parte do Poseidon com o Aquaman, passando seu conhecimento milenar e seu cetro, que vai ser o outro macguffin pro fim da história, o Batman enfrentando Grodd e VENCENDO O SINESTRO OFF PANEL, não menos e a Mera achando um vestígio de pentelho da "Lágrima que Chora", a última bosta rala a sair do cu do Arion, e usar ela pra dizimar todas as criaturas possuídas e expulsar as águas contaminadas. O gancho pra próxima edição é que o Arraia Negra (ele está com a Legião do Mal o tempo todo e AFOGAR A TERRA INTEIRA E TRANSFORMAR EM MONSTROS foi apenas um subterfúgio para obter a Totalidade) e os generais do mar vão liberar o KRAKEN DA MORTE NA VERA DESSA VEZ!





                            Mermaum, que puta gibi enfadonho, CHATO e desinteressante pra caralho. Os cara não consegue mais fazer uma história de fim de mundo boa. Os diálogos tão insuportáveis, parece mais que você tá lendo um livro ao invés de um gibi. Um livro ruim e mal escrito. Bicho, eu li agora a pouco a PRIMEIRA HISTÓRIA DE LANTERNA VERDE #2 e o Morrison consegue em DUAS PÁGINAS e o Liam Sharp desenhando só página de corpo inteiro e consegue criar um FIM DE MUNDO CATASTRÓFICO muito mais convincente, interessante e legal do que essas porras tão desde a edição passada tentando. Enquanto Snyder e companhia fazem quadros e mais quadros de pessoas sendo contaminadas e virando monstro por causa da água, em DOIS QUADROS E DOIS BALÕES o Morrison consegue criar uma situação de catástrofe mais interessante e convincente do que essa merda. Pelo amor de deus. Fica aqui o registro dos BONS TRABALHOS de Francis Manapul, Lan Medina e do monstro Frazer Irving desenhando esse gibi horrível, sendo obrigados a isso. Tem também arte de um pobre coitado chamado Bruno Redondo, mas nada que se destaque.




                            a motivação do Arraia Negra é que ele é contra a natureza. Ele e o ministro Ricardo Salles



                            Comment


                            • #15



                              É o final da saga “Terra Afogada”! Aquaman encara a verdade por trás do passado de seu povo, e deve encontrar uma forma de retornar ao trono ou aceitar que as ondas gigantes devastem o mundo da superfície. Enquanto isso, os membros restantes da Liga da Justiça entram em combate direto com os Deuses do Mar!

                              (Aquaman/Justice League: Drowned Earth 1, Justice League 2018 13)


                              Revista tradicional
                              Formato americano (17 x 26 cm)
                              64 páginas
                              Papel Couché
                              Capa Cartão, Lombada Canoa (Grampeada)
                              R$ 11,90
                              Distribuição nacional

                              ------------------------------------

                              MERMAUM, QUE PUTA GIBI RUIM DO CARALHO... . ME ECONOMIZE... , ME ECONOMIZE... . No final da saga encomendada pro filme do Aquaman, "Terra Afogada" (um pastiche do melhor "Guerra da Atlântida" do Geoff Johns), Aquaman volta do planeta dos Generais do Mar, encontra Mera, Flash e Super-Homem e juntos vão dar liberar as armas do Airon pra EXPLODIR os Generais do Mar e o Kraken do fim do mundo, que se tocar na água vai fuder tudo. Entre o cetro do Poseidon e a Lágrima da Extinção, é a Trombeta do Mar que vai fazer com que o Aquaman tenha o poder pra mudar tudo, transformando o item em uma Coroa do Mar de Espinhos. Arraia Negra se revolve se tornar o grande vilão da história, e o que resta é o final "Independence Day style".





                              Eu não vou me alongar TENTANDO explicar o roteiro e a trama desse gibi, basta saber que envolve essa série de itens, muita falação e abobrinha e que é CHATO PRA CARALHOOO. Gibi enfadonho, cansativo, PARECE QUE TÔ LENDO UM LIVRO. UM LIVRO RUIM. O Arraia Negra, que até então era um mero ladrão, resolve não se aliar mais a Luthor, virar-se contra os generais do mar e tomar a coroa de dentes pra controlar o Kraken do fim do mundo. Pra destruir o mundo. Por quê? Aliás, o Luthor é outro, que SE ALIOU COM OS GENERAIS DO MAR apenas pra OBTER A TOTALIDADE. A Tera? A Terra que se exploda, ou melhor, que se afogue.



                              Luthor: obteve a Totalidade, mas manda a Mulher Leopardo impedir os heróis de salvarem a Terra. Por quê se já obteve o que quis?



                              Esse "épico que cansa" foi feito apenas para "rebootar" o Aquaman para ficar mais fiel a versão do filme de dois anos atrás. Podre. Pra fazer isso, deixaram nas competentes mãos de Scott Snyder. Gibi tenebroso. Na arte, temos Francis Manapul, Howard Porter e um tal de Scott Godlewski pagando pelos seus pecados.



                              Aquaman se sacrifica no maior estilo "Independence Day", mas vai voltar a vida já já




                              Pra completar a completa bostejada que é esse gibi, o James Tynion não fica satisfeito e parece que entra numa disputa com o Scott Snyder pra ver quem escreve a pior história. Aqui nos temos mais um capítulo de "Legião do Mal", a série de histórias curtas focada nos vilões, e temos o Coringa CRIANDO UM GÁS DO RISO ESPECÍFICO GENETICAMENTE PARA CADA INTEGRANTE DA LEGIÃO, INCLUSIVE DOS VILÕES QUE ELE NÃO SABIA QUE SERIAM CHAMADOS, ENTRAR ESCONDIDO NO QG DA LEGIÃO QUE ESTÁ NA LUA apenas para DAR UMA LIÇÃO NO LUTHOR! O gibi é uma contração de roteiro tão grande em forma de história que eu pensei que lá pela metade fosse algum sonho do Brainiac ou algo assim, mas não. ACONTECEU TUDO MESMO! Coringa é o CORINGAGODE! Até a arte do Guilherm March, que geralmente eu gosto, parece que fez os personagens todos constipados para segurar o que é aquela merda.






                              Gibi tão ruim que deu vontade de quando terminar jogar pela janela pra ver se esqueci que já li isso na minha vida!

                              Comment

                              Working...
                              X