Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Lanterna Verde #1 - Um policial do espaço

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Lanterna Verde #1 - Um policial do espaço



    LANTERNA VERDE 1

    O maior lanterna verde de todos tempos está de volta e, uma vez mais, Hal Jordan mergulha de cabeça em uma investigação. Uma série de artefatos misteriosos foi furtada, e cabe ao lanterna desvendar quem está por trás desses crimes antes que o pior aconteça e um novo mal desperte pela galáxia.

    Publicado originalmente em: The Green Lantern 1 e 2

    Formato: 17 x 26 cm
    Estrutura: 56 páginas
    Tipo de Capa: Cartão
    Lombada: Canoa
    Julho/2019

    ----------------------------------


    Convidar Morisson para Lanterna Verde parecia uma ideia promissora, mas esses 2 primeiros capítulos da maxissérie deixaram a desejar.
    Em vez de criar um novo épico, ele resolveu explorar o lado policial dos lanternas para contar histórias menos bombásticas. Menos entropia e fim do universo, mais combate ao crime. A iniciativa é boa principalmente depois de um run tão marcante como do Geoff Johns. Só que a julgar pelo início ficou parecendo uma história de pouco brilho escrita para Heavy Metal (por acaso hoje editada pelo próprio Morisson). O autor até brinca com conceitos e pirações, mas a trama principal não deixa espaço para desenvolver muito. E ao contrário de outros autores, um Morisson menor continua sendo um gibi menor.
    De brinde fica a criação do grande lanterna verde catarro.
    Last edited by Miranda; 07-08-2019, 08:45 PM.

  • #2
    amigo, bota os comandos "img /img" separados por colchetes para aparecer a imagem da capa no post.


    Em tempo:

    Comment


    • #3
      Morrinson aprontando loucura em Lanterna Verde, desconstruindo tudo da fase do JHONS. Desenhos de seres estranhos, locais obscuros.... será que casa mesmo com Lanterna Verde?

      Comment


      • #4
        Olha, GIBI LEGAL PRA CARALHO, hein? Às vezes pra ser uma ótima história não precisa inventar a roda, ou trazer coisas bombásticas, ou o que quer que seja. Basta uma ideia legal e saber conduzir com maestria. Aqui o Morrison faz isso pra ninguém botar defeito, gibi do peru mesmo, recomendo.






        A história começa com esse zé aí, Maxim Tox, em busca de criminosos espaciais. Só que aí vão parar numa treta ainda maior envolvendo algo a ver com anti-matéria. Os criminosos terminam escapando, parando na Terra e o Jordan "THE MAN" Lanterna Verde precisa cuidar do caso. Mesmo com uma trama simples, achei a condução soberba. Não tem caixa de texto pau no cu é só balãozinho, falazinha e pau na máquina.





        A trama a medida que avança se complica um pouco mais, envolvendo uns tais de "Blackstars" que acredito que sejam uma gangue rival dos "Darkstalkers", que era uma espécia de tropa intergaláctica fuleira dos anos 90. Os Guardiões acham que haverá um traidor entre a Tropa, revelado no "Livro de Oa", que ganhou um aspecto onírico muito bom.






        O que eu achei mais interessante é que o Morrison foge daquele estereótipo de "babacão" que o Jordan tem e dá uma roupagem muito coerente: um cabra que vai pro espaço se tornar uma força de defesa espacial certamente tem muita informação e senso de procedimento que não condiz com um cabeça de vento. Gibi muito do caralho! Compra certa, quero nem saber. Gibi DAQUELE JEITO, comprado em suaves prestações de 10 reais (se for mensal!). A arte de Liam Sharp é um desbunde e casa perfeitamente com o "universo" alienígena de Lanterna Verde. Aliás, lembra bastante o finado Bernie Wreginshonto em sua arte e narrativa em Monstro do Pântano do Moore, ouso dizer. Gibizão.







        Postado originalmente por Miranda Ver Post

        Convidar Morisson para Lanterna Verde parecia uma ideia promissora, mas esses 2 primeiros capítulos da maxissérie deixaram a desejar.
        Em vez de criar um novo épico, ele resolveu explorar o lado policial dos lanternas para contar histórias menos bombásticas. Menos entropia e fim do universo, mais combate ao crime. A iniciativa é boa principalmente depois de um run tão marcante como do Geoff Johns. Só que a julgar pelo início ficou parecendo uma história de pouco brilho escrita para Heavy Metal (por acaso hoje editada pelo próprio Morisson). O autor até brinca com conceitos e pirações, mas a trama principal não deixa espaço para desenvolver muito. E ao contrário de outros autores, um Morisson menor continua sendo um gibi menor.
        De brinde fica a criação do grande lanterna verde catarro.

        Postado originalmente por WAGNER TORRES Ver Post
        Morrinson aprontando loucura em Lanterna Verde, desconstruindo tudo da fase do JHONS. Desenhos de seres estranhos, locais obscuros.... será que casa mesmo com Lanterna Verde?

        Olha, casou muito bem! Eu achei refrescante a história e não achei que "desconstruiu" a fase Johns. Aliás, do que caralhos vocês tão falando? "Seres estranhos" e "locais obscuros" tem TUDO A VER com Lanterna Verde. E "um Morrison menor continua sendo um gibi menor" em comparação a quem? Robert Venditi (que justiça seja feita, entregou bons gibis)? James Tynion IV??!???? eu trocaria um "Morrison menor" a qualquer hora por algo "muito bom" desses dois entre tantos outros!


        Aliás, vocês parecem que pularam da fase Johns direto pra esta, porra nunca pensei que "viúvas do Johns" se aplicasse aqui. Esperava mais ver "carpideiras do Vendido"


        Cara, não sei de onde você tirou que tem que ser um "maxi épico", mas eu fiquei muito do satisfeito com esse começo inspirado e cheio de ação e tramas do Morrison. TÁ TUDO LÁ, coisa bem legal mesmo. Pode não "inventar a roda" como vocês querem, mas querer isso e comparar com Geoff Johns é sacanagem - o run do Johns pode ter muitas qualidades, mas ninguém pode dizer que é um puta dum roteiro foda cheio de sacadas geniais.

        Comment


        • #5
          Postado originalmente por Pato_Osborn_Olsen Ver Post
          Olha, GIBI LEGAL PRA CARALHO, hein? Às vezes pra ser uma ótima história não precisa inventar a roda, ou trazer coisas bombásticas, ou o que quer que seja. Basta uma ideia legal e saber conduzir com maestria. Aqui o Morrison faz isso pra ninguém botar defeito, gibi do peru mesmo, recomendo.


          https://cdn.vox-cdn.com/thumbor/Xmc8...AB2EC17_1.jpeg



          A história começa com esse zé aí, Maxim Tox, em busca de criminosos espaciais. Só que aí vão parar numa treta ainda maior envolvendo algo a ver com anti-matéria. Os criminosos terminam escapando, parando na Terra e o Jordan "THE MAN" Lanterna Verde precisa cuidar do caso. Mesmo com uma trama simples, achei a condução soberba. Não tem caixa de texto pau no cu é só balãozinho, falazinha e pau na máquina.


          https://i.imgur.com/PpxfybK.jpg?1


          A trama a medida que avança se complica um pouco mais, envolvendo uns tais de "Blackstars" que acredito que sejam uma gangue rival dos "Darkstalkers", que era uma espécia de tropa intergaláctica fuleira dos anos 90. Os Guardiões acham que haverá um traidor entre a Tropa, revelado no "Livro de Oa", que ganhou um aspecto onírico muito bom.


          https://i.imgur.com/WMRbiXX.jpg?1



          O que eu achei mais interessante é que o Morrison foge daquele estereótipo de "babacão" que o Jordan tem e dá uma roupagem muito coerente: um cabra que vai pro espaço se tornar uma força de defesa espacial certamente tem muita informação e senso de procedimento que não condiz com um cabeça de vento. Gibi muito do caralho! Compra certa, quero nem saber. Gibi DAQUELE JEITO, comprado em suaves prestações de 10 reais (se for mensal!). A arte de Liam Sharp é um desbunde e casa perfeitamente com o "universo" alienígena de Lanterna Verde. Aliás, lembra bastante o finado Bernie Wreginshonto em sua arte e narrativa em Monstro do Pântano do Moore, ouso dizer. Gibizão.



          https://i.imgur.com/E1ENqI9.jpg?1









          Olha, casou muito bem! Eu achei refrescante a história e não achei que "desconstruiu" a fase Johns. Aliás, do que caralhos vocês tão falando? "Seres estranhos" e "locais obscuros" tem TUDO A VER com Lanterna Verde. E "um Morrison menor continua sendo um gibi menor" em comparação a quem? Robert Venditi (que justiça seja feita, entregou bons gibis)? James Tynion IV??!???? eu trocaria um "Morrison menor" a qualquer hora por algo "muito bom" desses dois entre tantos outros!


          Aliás, vocês parecem que pularam da fase Johns direto pra esta, porra nunca pensei que "viúvas do Johns" se aplicasse aqui. Esperava mais ver "carpideiras do Vendido"


          Cara, não sei de onde você tirou que tem que ser um "maxi épico", mas eu fiquei muito do satisfeito com esse começo inspirado e cheio de ação e tramas do Morrison. TÁ TUDO LÁ, coisa bem legal mesmo. Pode não "inventar a roda" como vocês querem, mas querer isso e comparar com Geoff Johns é sacanagem - o run do Johns pode ter muitas qualidades, mas ninguém pode dizer que é um puta dum roteiro foda cheio de sacadas geniais.
          Vc quotou os dois juntos como sendo uma opinião igual e eu discordo do que falou o Wagner Torres. Aí complica a resposta :
          Morrison tinha tudo para escrever um gibizão do Lanterna Verde. Nem precisa ser run de 100 edições sobre um mal que surgiu para zerar o universo. Doze números todos one shots (salvo engano a princípio seria assim) para mim tava redondo. Inclusive Morrison faz ótimos one shots. Mas por esse início vai ser uma história policial que se desenrola durante 12 edições. E de novo, por esse começo, nem é um policialesco legalzão. Bem longe de ser um dos filmes dos anos 70 e 80 que ele parece querer emular. Ficou xoxo.

          Pulei 100% do Vendido. Não dá para gastar dinheiro com gibi do Vendido (q nunca li, mas confio nos amici do fórum). Esse mano com número romano no lugar do sobrenome na vdd não sabia que existia
          Last edited by Miranda; 07-08-2019, 08:40 PM.

          Comment


          • #6
            A melhor coisa desse gibi, é justamente essas histórias com esse formato de coisas menores, pode acontecer justamente qualquer coisa nas histórias, e pra mim, o careca acertou bastante na caracterização do jordan até então.
            E ainda tem o cara trazendo todo tipo de ser bizarro do universo cósmico pra tropa, digo, olha esse lanterna vírus ai , sensacional

            Comment


            • #7
              O próprio Morrison já disse em entrevista - de antes da fase começar - que ele faria algo menos ambicioso. Que o Johns e os runs mais recentes (Vendido) já tinham trabalhado as sagas em grande escala muito bem.

              Comment


              • #8
                eu gostei do que li. peguei por ser o Grant e não manjo quase nada de lanterna. espero que o titulo continue auto contido.
                primeiras impressões muito boas. inventividade e bizarrice na medida certa, Lanternas obscuros enfim curtir a HQ e a arte.
                https://youtu.be/bPgYDxFgbtk

                Comment


                • #9
                  Esse é o gibi que eu pago dez conto com gosto. Esse e o do Tom King.

                  Comment

                  Working...
                  X