Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA



    Em algum lugar entre a fronteira da autoajuda e da religião está a Fundação Mundo Sincero. Sua criadora começou como uma escritora obscura de literatura descartável de horror e decidiu mudar o mundo uma mente por vez. Seus adeptos mandam em Hollywood e obedecem a todos os comandos de sua líder.


    Isso é praticamente tudo que se sabe sobre o movimento – ou seria seita? – fundado pela reclusa guru Astrid Mueller. A jornalista Chloe Pierce tem certeza de que há algo mais por trás da fachada da Mundo Sincero. O noivo dela foi um fiel seguidor de Astrid até atirar na própria cabeça com uma cópia de livro da guru em mãos. Chloe agora busca por respostas da mulher cuja palavra comanda a lealdade de milhões – e está disposta a invadir o santuário conhecido como Sala Imaculada para encontrá-las.


    Mas existe mais por trás de Astrid Mueller do que Chloe jamais imaginaria – e a verdade que está prestes a descobrir é mais surpreendente do que qualquer uma das façanhas de Astrid, e muito mais aterradora do que qualquer um dos livros dela.


    Da mente da super-roteirista Gail Simone e do talentoso artista Jon Davis-Hunt surge SALA IMACULADA, uma nova visão do horror que lhe conduzirá pelo mundo de sexo, ciências, celebridade e sobrenatural mantido atrás de salas trancadas.


    Contém Clean Room 1 a 6
    164 páginas
    Papel LWC
    Capa Cartão
    Distribuição setorizada para bancas, nacional para lojas e bancas especializadas em HQs
    R$ 23,90
    Acho que nunca li nada da Gail Simone e sentia falta de ler algum gibi bom da Vertigo faz tempo - ainda não terminei DPF e Inescrito foi uma decepção gigante para mim - e a Image tem me chamado muito mais a atenção além da galera eventualmente reclamar da gestão da editora pioneira em quadrinhos mainstream mais ""adultos"". Resolvi dar uma chance.

    Me arrependi.

    Tipo, é um gibi sobre demônios ou algo do tipo. Tem uma cacetada de mistérios e NENHUM se explica nesse primeiro volume. Se você for ler, sei lá, as duas primeiras partes da história não consegue se interessar por nada porque é só um monte de conceito jogado e nada que te prenda de verdade e te faça pensar "nossa, que história boa ou inesperada", é só um monte de clichê. Em nenhum momento você fica tenso (nem quando o "vilão" do volume aparece) e algumas situações são resolvidas da maneira mais esdruxula possível.

    Vou continuar acompanhando? Claro, porque sou otário e acredito em gibis que demoram pra se desenvolver e acabam valendo a pena - Hickman que o diga. Mas esse primeiro volume foi complicado, viu?
    .

  • #2
    Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

    Acho que a unica coisa legal foi a arte.

    E é besta um produto pra querer ser adulto apelar pra comentarios ou cenas que envolvem sexo. O demônio (ou seilaoque) falando bobagem pra protagonista foi muito vergonha alheia.

    Comment


    • #3
      Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

      Esse gibi é ruim mesmo.

      Mas todo sofrimento/arrependimento pra quem não gosta de Inescrito é pouco.

      ps: nada pessoal
      “Back like lateral passin'
      With that motherfuckin' gladiator manner of rappin'
      As an addict I let percocets and xannies relax me
      Fall back if your paddies is Maxi, please”

      Comment


      • #4
        Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

        Bicho, não adianta, aquela segunda metade de Inescrito é medonha
        .

        Comment


        • #5
          Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

          pare. estou avisando.
          “Back like lateral passin'
          With that motherfuckin' gladiator manner of rappin'
          As an addict I let percocets and xannies relax me
          Fall back if your paddies is Maxi, please”

          Comment


          • #6
            Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

            tava lá escrito de todo tamanho GAIL SIMONE na capa

            Comment


            • #7
              Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

              eu comprei também e ainda vou ler. Bom saber que tem nudez

              Aliás, a personagem principal é ruiva, né? Se for, isso quer dizer muita coisa

              Comment


              • #8
                Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                Postado originalmente por Pato_Osborn_Olsen Ver Post
                eu comprei também e ainda vou ler. Bom saber que tem nudez

                Aliás, a personagem principal é ruiva, né? Se for, isso quer dizer muita coisa
                A protagonista é negra, a ruiva é a vilã da trama.

                Comment


                • #9
                  Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                  Postado originalmente por Kenshin Himura Ver Post
                  A protagonista é negra, a ruiva é a vilã da trama.
                  Então é uma inversão de papéis inter-racial da autora que se põe nas próprias histórias


                  Mais interessante ainda

                  Comment


                  • #10
                    Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                    Postado originalmente por R2 Ver Post
                    Esse gibi é ruim mesmo.

                    Mas todo sofrimento/arrependimento pra quem não gosta de Inescrito é pouco.

                    ps: nada pessoal
                    É isso.

                    Postado originalmente por FLUFFY Ver Post
                    tava lá escrito de todo tamanho GAIL SIMONE na capa
                    Né? Parece até novatinho...

                    Comment


                    • #11
                      Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                      gail simone = vertigow generico anos 90.
                      Giovanni Giorgio

                      Comment


                      • #12
                        Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                        Encontrei esse gibi de graça no terminal rodoviário.
                        Também não gostei. A história da uma melhorada no finalzinho, mas e pouco pra me convencer a continuar


                        Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
                        "A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte"
                        - M. Ghandi -

                        Comment


                        • #13
                          Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                          [emoji38]

                          Enviado de meu SM-G955U1 usando Tapatalk

                          Comment


                          • #14
                            Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                            De vez em quando na vida a gente bate de frente com umas paradas tão ruins que você nem acredita. Justiceiro da Becky Cloonan, Daytripper dos Irmãos Farsa e Skreemer de Peter Milligan estão entre eles, de coisas tão absurdas, feitas com certo ESMERO que você não acredita que alguém de talento colocou seu esforço em tanta merda. É COMO SE O CARA NÃO PERCEBESSE que a parada que tá fazendo é ruim, aí tá a genialidade, que a gente não sabe se foi um acidente no percurso ou se é de propósito. E agora eu coloco nesse hall o que devia ser o trabalho autoral da Gail Simone, essa bosta de Sala Imaculada.





                            A história, ou pelo menos o que ME FOI PERMITIDO ENTENDER DELA, é a seguinte: anos atrás, tentaram matar a ruivinha Astrid Mueller atropelada, duas vezes, porque o cara que fez isso acordou de ovo virado. Aí anos mais tarde, estamos com a Chloe, jornalista atormentada que o noivo se matou e tentou se matar agora no começo do gibi. Aí a tal da Chloe leva a crer que o suicídio do noivo tem a ver com a organização que a Astrid Mueller fundou quando cresceu, a Sala Imaculada, através de livros, palestras, contatos com celebridades e etc, uma parada bem "Cientologia" (que genial... ) e daí parte a investigar. Já na primeira parte ela marca uma entrevista na central com a Astrid e apesar de certa dificuldade, rapidamente encontra com a "ídala" de milhões.





                            Agora some a isso uma narrativa TRUNCADA, que vai do nada a lugar nenhum em TODOS OS ASPECTOS, personagens pra lá de exagerados, parece que todos saíram de algum gibi do Mark Millar, umas porras duns mistérios do caralho que ninguém se preocupa sequer em deixar umas 5 páginas correndo, visões de monstro querendo assustar a protagonista o tempo todo e aparecendo só desde que ela entrou na Sala Imaculada, uns palavrões ali, umas coisas escabrosas aqui, pra dar aquele ar de "gibi adulto" e coroada com um pouco da boa e velha ultraviolência. Eu ACHO que descrevi o gibi, mas ele é tão perfeito em sua ruindade que acho que posso estar esquecendo alguma coisa.



                            a Gail também é expert em criar coadjuvantes verossímeis. Aqui temos os irmãos gêmeos barbudos sarados que são vizinhos da protagonista e que são super respeitosos com ela. Quando a Gail começa a colocar seus próprios fanfics eróticos no gibi eu estilei


                            O gibi "segue", na falta de termo melhor, a personagem da Chloe após a visita a Astrid. Aí se divide numa PORRA DUMA Sala Imaculada ( ) onde a PORRA da Astrid passa praticamente o GIBI INTEIRO tendo conversas pseudo-reveladoras, mezzo Silêncio dos Inocentes, mezzo Transformers com uma porra dum dos pacientes que incorpora esse espírito maligno, que pela terminologia usada e os acontecimentos que são mostrados, do passado de personagens, só posso crer que sejam as emoções negativas de eventos traumáticos, que tomam forma e assombram as pessoas. Agora o que isso tem a ver com pessoas morrendo e desprovidas de digitais de assassinos, aí eu não faço ideia. Vai ver a pessoa morreu de emossaum.



                            o gibi é meio X-Men também



                            Entrementes, vemos como Chloe reage a tudo isso, vemos ela ter visões e ser visitada por uma entidade. Nisso Chloe começa a ser perturbada por imagens do suicídio do noivo. Quando a experiência na "Sala Imaculada" termina, ela é prontamente visitada pela "emoção ruim" que vai até lá pra matar ela. Nota-se que em meio a tudo isso nada é sequer explicado. E um adendo, quando eu, e acredito que outros, reclamam que "não é explicado" não é como se nos quiséssemos que tudo fosse mastigadinho e explicado em textão de balão a lá Scott Snyder em Batman. Não. O que nos pedimos é que haja coisas como CAUSALIDADE, CONSEQUÊNCIAS ÓBVIAS E LÓGICAS quando a história pede (até mesmo um gibi viajado, como Patrulha do Destino e Shade, o Homem Mutável possuem sua lógica interna própria). Queremos ver alguma PROGRESSÃO na história para entendermos algo dela. Uma luta psíquica que dura umas 4 partes culminando com a entidade indo atacar a outra protagonista da série na puta que pariu da casa dela sem motivo aparente não "explica", nesses termos, porra nenhuma. Quando eu digo que as visões são incorporações de acontecimentos traumáticos negativos estou apenas especulando.






                            Eu ainda tô me debruçando sobre esse gibi, mas acho que é melhor parar por aqui. Eu sinceramente acho que é um ESPETÁCULO DA RUINDADE, porque nunca antes alguém teria a oportunidade de ver algo com tanto esmero ser tão merdel assim. São personagens interessantes demais, como aquela sapatão de Glee, numa história tão rebuscada e rocambolesca como essa. É a capela cistina da bosta gigante.



                            Astrid Mueller



                            Astrid Mueller, a sapatão de Glee, e um leitor regular desse gibi





                            O que salva nesse gibi é a arte... . Esse Jon Davis-Hunt pode se orgulhar de ser um artista fenomenal numa história mequetrefe e sem vergonha dessas. As capas que está fazendo também são sensacionais. A Gail Simone é uma gorda que gosta de se colocar entre os personagens, colocar suas fantasias (não a toa, a personagem mais inteligente e proeminente da série, Astrid, é ruiva igual a ela) na história e se apropriar dela. Espero que o Jon Davis ao menos esteja comendo essa gorda safada e a enchendo de pau. A edição possui capas originais e alguns esboços do artista.








                            Não pode falar mal do gibi, se não a patrulha que usa rosa vai desacreditar você na internerd



                            Postado originalmente por Nick Ver Post
                            Acho que nunca li nada da Gail Simone e sentia falta de ler algum gibi bom da Vertigo faz tempo - ainda não terminei DPF e Inescrito foi uma decepção gigante para mim - e a Image tem me chamado muito mais a atenção além da galera eventualmente reclamar da gestão da editora pioneira em quadrinhos mainstream mais ""adultos"". Resolvi dar uma chance.

                            Me arrependi.

                            Tipo, é um gibi sobre demônios ou algo do tipo. Tem uma cacetada de mistérios e NENHUM se explica nesse primeiro volume. Se você for ler, sei lá, as duas primeiras partes da história não consegue se interessar por nada porque é só um monte de conceito jogado e nada que te prenda de verdade e te faça pensar "nossa, que história boa ou inesperada", é só um monte de clichê. Em nenhum momento você fica tenso (nem quando o "vilão" do volume aparece) e algumas situações são resolvidas da maneira mais esdruxula possível.

                            Vou continuar acompanhando? Claro, porque sou otário e acredito em gibis que demoram pra se desenvolver e acabam valendo a pena - Hickman que o diga. Mas esse primeiro volume foi complicado, viu?
                            Bicho, que porra de gibi foi esse????!?!?!

                            Não é divertido, não é engraçado, o mistério é uma merda, os """""""""""""""""""""conceitos"""""""""""""" são uma merda, os personagens são outra bosta, os diálogos são um lixo. Caraaaaaalho.


                            Fazia tempo que eu não via TANTO ESFORÇO SENDO POSTO A SERVIÇO DE UM GIBI RUIM DESSES.


                            A Gail Simone parece que pegou uma "cartilha como escrever tensão e VErtigo", ou então ficou anotando todas as coisas que acontecem em gibis BONS DE VERDADE (flashaback, mistério, emoção, páginas de impacto, frases impactantes) e """"""""""esqueceu"""""""" que pra isso funcionar TEM QUE TER UMA HISTÓRIA INTERESSANTE segurando essas merdas.

                            O "vilão" é ótimo, visto que não tem correlação nenhuma que ele apareça na casa da tal Chloe exceto porque sim


                            Postado originalmente por Kenshin Himura Ver Post
                            Acho que a unica coisa legal foi a arte.

                            E é besta um produto pra querer ser adulto apelar pra comentarios ou cenas que envolvem sexo. O demônio (ou seilaoque) falando bobagem pra protagonista foi muito vergonha alheia.
                            A única coisa que presta mesmo é a arte do Jon Davis-Hunt, que parece um Frank Quitely mais bonitinho.

                            Essas porras de demônios do caralho a 4 são "construtos emocionais" criados por situações traumáticas, vai vendo.

                            Postado originalmente por R2 Ver Post
                            Esse gibi é ruim mesmo.

                            Mas todo sofrimento/arrependimento pra quem não gosta de Inescrito é pouco.

                            ps: nada pessoal
                            Você leu até onde? Porque puta que me pariu, qualquer um em sã consciência ia parar de comprar já nesse encadernado, podendo ter mais uma ou 20 edições pela frente. Mas eu tô no mesmo bonde do retardo do Nick que quando vê um trem desses descarrilar precisa ver até o fim até onde vai o estrago.


                            Postado originalmente por Sonic Team Ver Post
                            Encontrei esse gibi de graça no terminal rodoviário.
                            Também não gostei. A história da uma melhorada no finalzinho, mas e pouco pra me convencer a continuar


                            Enviado do meu iPhone usando Tapatalk
                            Caralho, bicho, LARGARAM o gibi no terminal e você leu? E ainda achou que "deu uma melhorada"?

                            Foi o Nick que deixou pra você o gibi no Terminal então?
                            Last edited by Pato_Osborn_Olsen; 03-04-2018, 04:39 PM.

                            Comment


                            • #15
                              Re: [avaliação] SALA IMACULADA VOL. 1: CONCEPÇÃO IMACULADA

                              Pior que eu já desisti e vendi minha edição para o Dylan

                              Baita amigo que sou, pelo menos avisei a ele que o gibi era uma bosta gigante várias vezes, mas ele ainda assim quis. Talvez em 2022 quando ele for ler descubra a verdade
                              .

                              Comment

                              Working...
                              X