Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Tex Anual 19 - O Nascimento de um Herói (Nueces Valley)

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Tex Anual 19 - O Nascimento de um Herói (Nueces Valley)

    Tex Anual 19

    O Nascimento de um Herói

    Roteiro: Mauro Boselli * Desenhos: Pasquale Del Vecchio



    A história de como Jim Bridger, o famoso mountain man, entrou na vida de Tex antes mesmo de seu nascimento, e de como a existência de ambos se cruzou nos anos posteriores. Também é a história dos pioneiros do rio Nueces, que povoaram um vale selvagem do Texas, onde multiplicavam-se comanches e bandidos. A história de Ken e Mae Willer, de Jim Baker, Gunny Bill, do Major Leavitt e de jovens corajosos como Hutch, Rod Vergil e*Damned*Dick... sem esquecer os dois irmãos Sam*e*Tex Willer! Ou seja, todos os personagens que formaram o caráter e forjaram o nascimento do maior herói do faroeste de todos os tempos!
    Desde minha adolescência que sempre curti ler os Anuais do Tex em pleno clima natalino, algumas de minhas histórias favoritas estão lá nos primeiros volumes como O Caçador de Fósseis, O Ouro dos Confederados, O Trem Blindado etc. Adorava devorar aqueles tijolões de mais de trezentas páginas, porém, com o passar do tempo a qualidade dos roteiros e desenhos foram caindo, salvo algumas excessões. Eis que nesse ano de 2017, às vésperas do Tex completar 70 anos muito bem vividos, começaram a soltar na Itália histórias que evocavam os primeiros anos do personagem, ainda jovem e inexperiente, Nueces Valley foi uma delas regredindo ainda mais na cronologia do personagem e iniciando a trama com um Tex ainda no ventre de sua mãe, poderia ser só mais uma trama entre tantas mas logo a enxurrada de elogios vindo dos leitores italianos chamaram minha atenção e fiquei bastante ansioso pra ler a história, pois bem, valeu a pena esperar.

    O nosso gibi começa com os mountain man Jim Bridger e Jim Baker no território do Texas, entre suas andanças descobrem que tem uma caravana de pioneiros migrando para o vale do Nueces, uma região inóspita, palco de muitos conflitos sangrentos envolvendo índios, mexicanos e antigos pioneiros que não viveram para contar história, logo Bridger e Baker saem ao encalço da caravana para alertarem sobre os riscos de uma expedição daquelas e ajudarem num inevitável confronto com índios Comanches. Nessa caravana estão Ken e Mae Willer, os pais do nosso herói, Mae já grávida do Tex. O embate com os Comanches e os pioneiros acaba ocorrendo mas estes últimos conseguem escapar graças a ajuda dos dois mountain man.

    Os colonos se estabelem no vale do Nueces, Tex agora já é uma criança e tem um irmão um ano mais novo, Sam Willer. Ambos tem a difícil tarefa de sepultar ao lado do pai a jovem mãe que foi vítima do inverno rigoroso. Passado algum tempo temos o retorno de Jim Bridger e Jim Baker que vem ao Nueces a convite de Gunny Bill para ajudar Ken Willer numa corajosa travessia levando uma boiada gigantesca para a cidade de Corpus Christ, Tex e Sam vão junto mesmo ainda sendo crianças e nesse interim ocorre contra tempos onde se revela ainda mais a bravura do Jim Bridger e dos homens do Nueces.

    Esse é o primeiro ato da trama, achei irretocável, Mauro Boselli mostra como se constrõe o cânone do personagem, mirando numa aventura envolvente e focando as atenções não no Tex, mas nos personagens a seu redor, pois são esses que vão lhe servir de espelho futuramente. Ken Willer o corajoso pioneiro mas não tão habilidoso, porém um excelente líder, Gunny Bill o mentor de Tex no uso das armas, e Jim Bridger o aventureiro corajoso que dispara o no jovem Tex a vontade de se aventurar pelo mundo. Aliás, vale ressaltar que Jim Bridger é um personagem histórico e é o protagonista moral do gibi, uma lenda do Oeste preparando o território para outra lenda.

    O segundo ato vai contar as peripécias de um jovem Tex, cercado de seus amigos Hutch e Rod aprontando todo tipo de situações para quebrar a rotina do pacato vale do Nueces, até que um dia resolvem escoltar uma manada num trajeto ainda mais perigoso e longo do que o feito por Tex em sua infância, a longíqua jornada vai terminar em São Francisco com nossos heróis metidos em farras e bebedeiras se envolvendo em todo tipo de confusão e briga numa pegada totalmente G. L. bonelli, o criador de Tex, nesse ínterim já se juntou ao grupo outro personagem canonico, Damned Dick. Para não alongar muito vamos ao último ato.

    O final da trama, ao melhor estilo Os Imperdoáveis, temos um velho Jim Bridger lutando por seus direitos após ter sido passado pra trás por um velho "amigo", mesmo sendo uma lenda do Oeste já é visto pelos cidadãos de "bem" como algo ultrapassado e com isso, acaba sendo vítima de abusos e humilhações, Tex reencontra com seu amigo para fechar um ciclo iniciado há muitos anos atrás, é a nova lenda indo de encontro com seu mentor para um ajuste de contas final, ambos lado a laddo, velho e novo.

    Com brilhantes desenhos do Pasquale Del Vecchio, Boselli mostra como se mexer no cânone de um personagem clássico, ao invés de estragar tudo com tramas forçadas e uma chuva de fã service, monta uma aventura onde a lenda ganha mais força, novos personagens são acrescentados, lacunas são fechadas, e um novo clássico é criado. Gostei bastante do que o Boselli mostrou, o primeiro ato é o melhor onde o Bridger é o grande protagonista, seguido do desfecho onde temos uma velha lenda do Oeste querendo firmar seu lugar como algo ainda sólido e capaz de mudar os rumos da história. O gibi se sustenta por si só, na qualidade dos roteiros e desenhos, agora logicamente que será bem mais emocionante para os veteranos de guerra que conhecem a mitologia do personagem.










    Jim Bridger ou Moebius?

    Last edited by Mountain Man; 18-12-2017, 12:07 AM.
    “Quando quero relaxar leio ensaios de Engels. Quando quero algo mais sério, leio Corto Maltese.” Umberto Eco.
Working...
X