Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[Avaliação] Um Pequeno Assassinato

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [Avaliação] Um Pequeno Assassinato



    Timothy Hole é um publicitário bem-sucedido que acaba de aceitar o trabalho de sua vida. Contudo, as coisas começam a sair dos trilhos quando ele passa a ser perseguido por uma estranha criança, que o faz se questionar quem realmente é e, principalmente, como afeta as pessoas ao seu redor.

    Uma história sobre os pequenos homicídios que todos têm de cometer para seguir em frente. Um rastro de mortes de coisas aparentemente insignificantes. Afinal, quanto dano pode causar um pequeno assassinato?

    Escrita por Alan Moore, na mesma época que Do Inferno, e lançada originalmente em 1991, Um pequeno assassinato (formato 20,5 x 27,5 cm, 112 páginas, R$ 54,90) tem arte pintada do argentino Oscar Zárate. A obra apresenta uma trama de cunho altamente psicológico, recheada de alegorias, simbolismo e metáforas; uma exploração da culpa de um indivíduo e da forma como a mente deturpa e adapta as lembranças de um ocorrido, para disfarçar traumas e o sentimento de fracasso que, vez ou outra, acomete todos as pessoas.
    Timothy Hole é comunista, mas acaba trabalhando com propaganda, vendendo produtos para os capitalistas. Ele abandona seu emprego quando a empresa em que ele trabalha esta mal das pernas e vai trabalhar nos EUA por ter recebido uma proposta irresistível. Ele volta a Inglaterra e vamos descobrindo mais do seu passado, ele parece ser o tipo de pessoa que não consegue tomar decisões difíceis sobre a vida. O menino que o persegue e o atormenta é ele mesmo, seu eu menino, seu eu ainda puro. Timothy cresceu e deixou para trás todo o seu idealismo, toda aquela bondade infantil ficou no passado, ele agora é um adulto e acabou fazendo concessões e coisas que ele considera ruins. Com a sua volta a Inglaterra e a morte do seu eu adulto quem sabe ele pode recomeçar uma nova vida desta vez mais e acordo com seus ideais.

    Esse gibi parece uma referência ao próprio Alan Moore, vejamos, foi para os EUA escrever gibis de super-heróis, se desencantou com a indústria e voltou a Inglaterra. Achei interessante que quanto mais a história avança para o futuro, mais descobrimos sobre o passado do Timothy, cada capítulo volta mais e mais no passado.

    Bom, esse é um que gibi pode ter várias interpretações, já coloquei aqui pra reler e tentar captar mais coisas.

  • #2
    Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

    Parece até ser chato, mas estão falando bem. Vou dar uma conferida

    Comment


    • #3
      Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

      e se fosse Um GRANDE Assassinato pareceria legal?
      fotografia é desenho de luz

      Comment


      • #4
        Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

        Devo ter "piscado" em algum momento nessa HQ, pois não entendi muito bem o final.
        Lloyd Cole - O Melhor cantor de Rock do mundo!

        Comment


        • #5
          Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

          Olha, verdade seja dita, essa HQ é uma das mais chatas do Moore, só perde pra Promethea.

          Comment


          • #6
            Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

            Gostei bastante dessa evolução cronológica do personagem ao mesmo tempo se desenvolvendo para o passado e para o futuro, principalmente em relação à memória ser fluida.
            São rememorações pontuais que nem sempre correspondem à realidade, mas àquilo que construímos e passamos a lembrar de nosso passado.

            Comment


            • #7
              [avaliação] Um Pequeno Assassinato

              De Alan Moore, o criador de Watchmen, V de Vingança e Liga Extraordinária, e o artista expressionista Oscar Zárate, nasce a história de Timothy Hole, um publicitário bem-sucedido que acaba de aceitar o trabalho de sua vida. Contudo, as coisas começam a sair dos trilhos quando ele passa a ser perseguido por uma estranha criança, que o faz se questionar quem realmente é e, principalmente, como afeta as pessoas ao seu redor. Uma história sobre os pequenos homicídios que todos têm de cometer para seguir em frente. Um rastro de mortes de coisas aparentemente insignificantes. Afinal, quanto dano pode causar um pequeno assassinato? Uma das obras mais intelectuais, pessoais e contundentes de Alan Moore, publicada pela primeira vez no Brasil, num volume de luxo que apresenta a história completa, entrevista com os autores e texto introdutório de Carlos Sampayo (outro gigante dos quadrinhos). Vencedora do Prêmio Eisner de melhor graphic novel em 1994.




              Nao é uma obra para todos. Apesar de ser sobre um tema batido, é contada de uma maneira difícil, com flashbacks e introspecções psicológicas. E é também muito ligada a epoca que foi idealizada e escrita: a queda do muro de Berlin e a "vitoria do Capitalismo" anunciada (ninguem previa o 11/09 à época). Tem a ver com particularidades como a eleição de Thatcher, a Inglaterra sendo ex-imperio, bem, temas caros à Moore. Apesar de ser uma boa historia, considero, sim, uma obre menor dele.

              Tem que se ter uma certa experiencia de vida e um certo conhecimento acerca do seculo XX para apreciar essa obra em sua completude.

              Nota 7,5

              Comment


              • #8
                Re: [avaliação] Um Pequeno Assassinato

                Lá no @funkomix, tem uma resenha por um amigo meu sobre a obra, que é bem bacana. Ainda tá na fila pra eu ler, mas será uma das próximas e volto pra postar.

                Comment


                • #9
                  Re: [avaliação] Um Pequeno Assassinato

                  uma das historias mais fracas do moore, que tava claramente todo felizão e tentando impressionar com uma história que finalmente não tinha mesmo super-heroi. mas é muito didatica, óbvia e tem umas bobagens tipo o feto morto (que ele espertamente larga a culpa no outro) que deixam claro que é uma das coisas mais amadoras que ele escreveu. ao contrário das histórias inovadoras dele (de super-heroi), que destruiam paradigmas e criavam tanta coisa nova que influenciam todo mundo até hoje, parece mais um filminho arte qualquer ou peça de TIATRO que o cara fica pelado em cena INSTROSPECIONANDO o tempo todo, ou seja, parece coisa que qualquer outro faria, não tem a marca da piroca sempre ereta e inovadora do rouxinol. quadrinho bem menor pra caralho no conjunto da obra do rouxinol.
                  Giovanni Giorgio

                  Comment


                  • #10
                    Re: [avaliação] Um Pequeno Assassinato

                    Já tem tópico, amigo.

                    http://www.mbbforum.com/mbb/showthre...no-Assassinato

                    Comment


                    • #11
                      Re: [avaliação] Um Pequeno Assassinato

                      nao sabia

                      alguem da moderação pode mover por favor os posts para http://www.mbbforum.com/mbb/showthre...no-Assassinato ?

                      Comment


                      • #12
                        Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

                        Tópicos mesclados.

                        Comment


                        • #13
                          Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

                          É definitivamente um gibi para poucos. Achei ele uma mescla de Asterios Polyp com talco de vidro, feita por um Moore ainda jovem porém muito ciente das ideias geniais que tinha. Muitos simbolismos da hq são pegadas na segunda ou terceira lida. Recomendo para todos que querem um quadrinho mais cabeçudo.
                          Vendo e compro alguns quadrinhos, quer ver a lista? É só clicar http://www.mbbforum.com/mbb/showthre...48#post4071048

                          Comment


                          • #14
                            Re: [Avaliação] Um Pequeno Assassinato

                            Gostei do gibi, embora realmente não exista brilhantismos aqui.
                            O tema é aquela coisa batida de não traia seus princípios, o seu eu criança chutaria sua bunda, etc. algo nível sessão da tarde como o final d' "A Herança de Mr. Deeds" .

                            Dito isso, a narrativa é muito bem conduzida. A leitura é instigante conforme você mergulha no passado do personagem e tenta desvendar o tormento dele. Confesso que embarquei na leitura esperando que fosse algo nível Um Dia de Fúria e ele se emputeceria até matar alguém no final Não imaginei que o assassinato seria simbólico, mas não me surpreendi, porque como disse, a coisa é bem mamão com açúcar.

                            Tem uns simbolismos a mais como o dos ovos e ninhos que eu não prestei muita atenção, mas espero pescar melhor numa futura leitura.

                            Spoiler!


                            Um adendo, o Oscar Zárate desenha a Maggie feia PRA CARALHO, puta que pariu! Só pode ter sido de propósito, causar uma repulsa no leitor também ou sei lá.

                            Quem tiver curiosidade acho que a história vale tranquilo uns 20-30 reais numa promoção. A edição tá muito bonita, o papel tem uma gramatura enorme e tem uma introdução e palavras dos autores de extras.
                            Last edited by Surfista Carioca; 16-07-2018, 07:20 PM.

                            Comment

                            Working...
                            X