Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET



    140 PESSOAS. 18 BILHÕES DE DÓLARES. NENHUMA REGRA.

    Larry Ferrell inventou uma rede social revolucionária que conecta a vida de milhões de pessoas – e que o tornou um dos homens mais ricos do mundo. Mas o recluso fundador da Headspace está morrendo e decidiu doar a fortuna que acumulou para 140 usuários aleatórios.

    Saídos dos mais diversos recantos do globo, os vencedores da maior loteria da história foram levados até a ilha privativa de Ferrel para conhecer os perturbadores termos de sua nova riqueza: os 18 bilhões foram divididos igualmente entre todos, mas, se qualquer um deles morrer, o dinheiro será redistribuído entre os sobreviventes.

    E assim começa o último e mais ambicioso projeto de engenharia social de Ferrel, um vasto experimento feito para revelar a verdadeira natureza da humanidade.

    E com ele também começa a contagem regressiva da vida de 140 pessoas.

    UNFOLLOW, a aclamada nova série Vertigo do escritor ROB WILLIAMS (A REALEZA) e do artista MIKE DOWLING (Death Sentence), com arte também do desenhista convidado R.M. GUÉRA (ESCALPO), penetra na criptografia acumulada da civilização para hackear a sociedade até o seu cerne em UNFOLLOW: 140 TIPOS.


    (Unfollow 1 a 6)

    Encadernado
    Periodicidade Eventual
    17 x 26 cm
    148 páginas
    Papel LWC
    Capa Cartão
    Lombada Quadrada
    Distribuição setorizada para bancas, nacional para lojas e bancas especializadas em HQs.
    R$ 23,90
    ---------------------------------------


    Nova série da Vertigo lançada pela Panini e a pergunta que fica para o leitor/comprador é "se vai sair na amazon ou saraiva para pegar desconto". A segunda pergunta que chega na cabeça do indivíduo é se a série vale a pena. Anos atrás a Panini fez um excelente trabalho de marketing ("excelente" é exagero) ao lançar as séries Unwritten e Sweet Tooth pela Vertigo, ao ponto de distribuírem em comics shops pequenos "formatinhos" com a primeira edição de cada para atiçar o leitor. Na época só consegui pôr as mãos na "amostra grátis" de Unwritten, que achei uma merda, e Sweet Tooth não fui atrás por causa dos desenhos feios. Pois bem, anos depois o bestão aqui conseguiu ler Sweet Tooth emprestado (ainda acho Unwritten mediano, mas é uma boa história, não li tudo) e vi que era uma DAS MELHORES SÉRIES DE QUADRINHOS JÁ PUBLICADAS NO BRASIL. História excelente mesmo, e o otariano aqui perdeu de ter em formato modesto, tendo que recorrer agora a importados Deluxe. Pois bem, será que a história vai se repetir com este Unfollow? Talvez seja a maldição do gibi em língua brasileira, mas com título estrangeiro? Vão comprar pensando que é importado e barato?





    Não deixei a oportunidade passar (em parte por conta de comentários soltos pelo MBB sobre a série) e conferi. Amigos, que gibi do caralho. Se tem uma história mais moderna sendo contada em quadrinhos, certamente não está tendo a divulgação ou o apreço que merece, porque esta aqui já é muito boa. A história é frenética, dinâmica, ágil e "tunada" ao máximo. Eu queria ser mais ligado nas xoxômídias como colegas do fórum, tais como o matheus 90, lupusin, o novato prestogaudio ou Bochester, até o Rienji, mas vamos a velha carne de vaca que é o que eu sei fazer mesmo. A premissa do gibi é essa de seu resumo e a partir disso é que o autor vai construindo elementos e personagens pra deixar a história pica.





    Aliás, escritor esse que acreditem ou não é o Robin Williams. Sim, o mesmo de um insípido, pra não dizer o mínimo, Esquadrão Suicida Renascimento, que aliás, considerando este trabalho, e o de muitos anos atrás que a Panini lançou recentemente, A Reazela (avaliação a conferir), acho que ultimamente anda tomando chá de bosta pra escrever os gibis da DC, porque acredite ou não, esses da Vertigo são no mínimo, ótimas leituras. Como eu expliquei antes, comprar este gibi foi um total tiro no escuro e o nome do autor não me fez ter maiores esperanças, mas a história aqui contada é realmente boa e não enrola o leitor.





    A história como dito, escreve por si só: nas primeiras edições somos apresentados ao que seriam os "protagonistas" da história, #Dave Mete Bola, uma espécie de Apolosclay da favela, #CourtneyOMG, o que seria a Noturna se tivesse dinheiro, #AkiraOfTheUniverse, um malaio sensível e sem freios morais, @Ravan, que seria uma espécie de mulher que entra no MBB, tipo o João Antônio Peixão ou Thalita, para depois chorar onde a mãe não vê e #DiáconoDoSenhor, um tipo de Hulkboy querendo se vingar do MBB. Todas essas figuras são apresentadas para o leitor e a medida que a história avança vamos conhecendo suas interessantes histórias e o papel que irão desempenhar. Eu por exemplo, achei o Apolosclay da favela uma bosta de personagem, mas não deixa de ser interessante colocar ele nesse caldeirão.





    Sim, porque a medida que a história avança, como o próprio gibi diz, é uma espécie de experiência social, filosófica e humana ver o que acontece quando a medida que o tempo passa, alguns integrantes dos herdeiros da fortuna do milhardário das xoxomídias, o que aconteceria se o Canibal fosse rico, vão morrendo e a fortuna dos caras aumenta. O que aconteceria se as pessoas fossem postas nessas condições? O mais interessante nisso tudo é que numa linguagem direta, objetiva e sem frescura, quase um Rubem Fonseca, o Robin Williams entrega para o leitor uma experiência de leitura marginal.





    Gostei bastante do gibi. Pode ser que depois fique uma merda, pode ser que a história degringole e o Robin Williams cague no pau, como anda fazendo em Esquadrão Suicida, mas a premissa é boa e a história segue ótima. Impossível de terminar a leitura deste volume e não esperar ansioso pelo próximo. Diria até que mais do que o já aclamado O Xerife da Babilônia, que tem a história um tanto que dispersa demais, mas é proposital da narrativa. A galera diz que a Vertigo não é mais a mesma, mas esta série é de 2016 e diria que é um sopro de criatividade e tanto nos gibis. É claro que renderia uma série pra dar dinheiro pros seus criadores.



    A História de Apolosclay: um novatinho lutando para deixar de ser restolho


    A arte fica a cargo do Mike Dowling que não é um primor estético, mas certamente é um mestre da narrativa. E a arte dele não é ruim, é só de um estilo realista meio desleixado, que depende demais das cores e arte-final. A última parte é desenhada por R.M. Guéra, que a Panini não creditou adequadamente: colocou seu nome na folha de rosto do início do encadernado, mas no capítulo desenhado propriamente pelo artista, não consta seu nome. De qualquer modo, é uma ótima equipe de arte, ao passar das folhas você já se acostuma com a arte de Mike Dowling e não consegue imaginar o cara desenhando outra coisa que não esta série.



    Passado do Hulkboy_Pacifista em arte de R.M. Guéra para Unfollow #6



    A edição da Panini está boa. Exceto pelo acima citado nome do desenhista que só aparece no começo do gibi e não do capítulo que o corresponde. Mas minha edição veio com uma pequena falha: o corte dela foi feito que parte de cima do gibi se perde parte do texto, quando muito acima. Percebi que parece que ampliaram DEMAIS a página, aí na hora de cortar, os balões que ficam mais acima foram um pouco cortados também. Mas nada que prejudicou a leitura. Certamente é uma cagada da Panini, mas gostaria de saber se houve em mais edições ou somente no meu lote específico antes de sair por aí soltando os cachorros.



    Unfollow: sobra até para o Elton John

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

    me pareceu interessante

    que desenhos feios

    agora que parei com gibi de Superman e Action comics NOJENTOS (o que me deixa leve, mas não completamente leve, até eu xingar os títulos em todos os tópicos possíveis), estão sobrando 20 reais mensais aí que vou realocar pra gibi bom

    a pergunta que não quer calar: Será que depois vai sair na amazon ou saraiva para pegar desconto?

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

      Achei do caralho esse gibi. Torço muito pra que não perca o fio da meada no final. Porque 140 personagens onde um ou outro ficará vivo no final, com certeza usarão algum artifício narrativo de um personagem explodir todos os outros de uma vez só. Espero que os demais encadernados sejam tão bons quanto este.
      Vendo e compro alguns quadrinhos, quer ver a lista? É só clicar http://www.mbbforum.com/mbb/showthre...48#post4071048

      Comment


      • #4
        Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

        Postado originalmente por FLUFFY Ver Post
        me pareceu interessante

        que desenhos feios

        agora que parei com gibi de Superman e Action comics NOJENTOS (o que me deixa leve, mas não completamente leve, até eu xingar os títulos em todos os tópicos possíveis), estão sobrando 20 reais mensais aí que vou realocar pra gibi bom

        a pergunta que não quer calar: Será que depois vai sair na amazon ou saraiva para pegar desconto?
        https://www.livrariacultura.com.br/p...w-n01-46666775

        Não comprei, mas fiquei curioso.

        Comment


        • #5
          Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

          Baita surpresa. Peguei pra ler essa HQ sem expectativa alguma, com “má vontade” e felizmente fui pego de surpresa. A arte nas primeiras páginas do Michael Dowling são meio esquisitas, mas rapidamente se acostuma e surpreende muito positivamente. A trama é bem contextualizada aqui, demonstrando uns personagens que parecem ser os protagonistas diante o seguinte:
          140 PESSOAS. 18 BILHÕES DE DÓLARES. NENHUMA REGRA.

          Larry Ferrell inventou uma rede social revolucionária que conecta a vida de milhões de pessoas – e que o tornou um dos homens mais ricos do mundo. Mas o recluso fundador da Headspace está morrendo e decidiu doar a fortuna que acumulou para 140 usuários aleatórios.

          Saídos dos mais diversos recantos do globo, os vencedores da maior loteria da história foram levados até a ilha privativa de Ferrel para conhecer os perturbadores termos de sua nova riqueza: os 18 bilhões foram divididos igualmente entre todos, mas, se qualquer um deles morrer, o dinheiro será redistribuído entre os sobreviventes.
          E assim começa o último e mais ambicioso projeto de engenharia social de Ferrel, um vasto experimento feito para revelar a verdadeira natureza da humanidade.

          E com ele também começa a contagem regressiva da vida de 140 pessoas.
          O mistério que ronda a história me deixou curioso. E um dos destaques na HQ foi um diálogo que um personagem (ilusório?) faz com o leitor durante a demonstração de uma cena de assassinato que aconteceu. Nesse momento o Rob Williams questiona os limites, a “razão” e a natureza humana, brincando até mesmo com a Disney.
          Parece que serão três volumes no total, restando agora dois. Acompanharei fácil.

          Nota 8,5.

          Comment


          • #6
            Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

            gostei do enredo no estilo Black Mirror. Ta na moda falar isso agora, mas nesse caso faz sentido ambos mostram a tecnologia como ferramenta para potencializar os maiores defeitos do ser humano. Não curto muito os desenhos, mas não me impediu de gostar da história só tenho medo que o Rob Willians não entregue uma história a altura do que ele está plantando nessa primeira edição... ou sou eu esperando de mais...heheh...

            Comment


            • #7
              Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

              Só passando pra também concordar com os amigos de que essa história é do caralho!

              Tinha cofrado numa semana que o site da panini estava dando desconto de 40%, fora que essa aí já tava com uns 15% off. Eu já tinha ficado interessado na premissa, e com esses descontos não perdi nem tempo pra comprar

              Não só a premissa, como a linguagem e o desenvolvimento gradual e interessante dos personagens principais foram ótimos, incrível como o cara conseguiu dar um backstorie para os personagens principais e já entender seus dilemas e motivações, apesar do Rubstein ainda permanecer uma incógnita. Mas termina de um jeito que você já fica com vontade de ler o próximo TP.

              Diga-se de passagem, ótimo a panini ter lançado em TP. Não sei se em mensal teria toda fluidez que teve ao ler 6 edições direto. Enfim, espero que a série continue no alto nível e que a panini faça o favor de já providenciar o segundo TP logo

              Comment


              • #8
                Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

                Ótima historia. Atual, com personagens cativantes e que possui uma linha narrativa. As coisas nao sao "jogadas", há uma noção de causalidade aqui.

                Mas que aquela onça me deixou curioso, deixou.

                Nota 9,0

                Comment


                • #9
                  Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

                  Ao contrário dos colegas, não achei essa coca toda não. Também não desgostei. Direto ao ponto? Pra mim o autor perde muito tempo apresentando os personagens, algum mistério, mas não avança muito na coisa. Como ele terá apenas mais 12 edições, cujo o volume 2 já comprei, fico temeroso para onde ele levará a história... enfim.

                  https://www.instagram.com/p/Bh5mVhfn...en-by=funkomix

                  Música: Oddisee - Unfollow You (Feat. Olivier St. Louis) (Tangible Dream)
                  ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ ⠀⠀⠀⠀⠀⠀
                  Unfollow: 140 Tipos (Robin Williams, Quinton Winter, Mike Dowling e R.M. Guéra) (Panini)

                  Depois de ter publicado boa parte do material clássico e famoso o selo Vertigo, a Panini resolveu mirar nas coisas mais recentes. Nesse primeiro volume o autor gasta 6 edições para apresentar personagens instigantes, mas a história pouco sai do lugar. Larry Ferrel é o criador do Headspace, prestes a morrer ele decide dividir sua fortuna de 18 bilhões de dólares entre 140 pessoas ao redor do mundo e de maneira, aparentemente, aleatória. Acompanhamos alguns dos 140 indivíduos reunidos na ilha de Ferrel, que explica que conforme o número de participantes diminuir, maior o bolo individual da partilha cresce.

                  Vemos David, um garoto negro de Ferguson, que inexplicavelmente fica alucinando sobre uma pantera; Courtney, uma ex ricaça que gosta de situações limite; Akira, uma espécie de celebridade pseudo-profeta japonês que desconfia do jogo de Larry por achar que ele tirou a ideia de seu livro; Ravan, repórter iraniana que é chamada inclusive para contar a história do evento; O Diácono, um bitolado religioso que acha que está em alguma missão sagrada, há uma pequena história dele contando quando Deus falou com ele pela primeira vez, Rubinstein que usa uma máscara, parece ser parceiro de Larry, mas age de maneira errática.

                  Todos personagens superinteressantes, mas fica apenas sugestionado seus potenciais. A história parece apenas uma apresentação, não vi ainda nenhuma crítica contundente a algum aspecto das redes sociais, apenas Courtney cita algo. Então, fica a vontade de ver até onde vai, porém com a desconfiança que estou sendo enganado tal qual os personagens por Larry. Um destaque: as cores do Quinton Winter são belas.

                  Comment


                  • #10
                    Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

                    Postado originalmente por Dylan Dog Ver Post
                    Ao contrário dos colegas, não achei essa coca toda não. Também não desgostei. Direto ao ponto? Pra mim o autor perde muito tempo apresentando os personagens, algum mistério, mas não avança muito na coisa. Como ele terá apenas mais 12 edições, cujo o volume 2 já comprei, fico temeroso para onde ele levará a história... enfim.

                    [...]

                    Todos personagens superinteressantes, mas fica apenas sugestionado seus potenciais. A história parece apenas uma apresentação, não vi ainda nenhuma crítica contundente a algum aspecto das redes sociais, apenas Courtney cita algo. Então, fica a vontade de ver até onde vai, porém com a desconfiança que estou sendo enganado tal qual os personagens por Larry. Um destaque: as cores do Quinton Winter são belas.

                    Bem, é uma apresentação talvez porque seja o primeiro arco?

                    E eu acho que é a graça do gibi não é mostrar CRITICA SOCIAL FUDEROSA DEMAIS LACROU, acho que a graça do gibi é mostrar justamente as mazelas das pessoas, contar uma história extrapolando o potencial das redes sociais e o leitor tirar suas próprias conclusões. O gibi não taxa um ou outro personagem disso ou de aquilo, ele deixa exclusivamente para o leitor achar o que quiser dos personagens. O melhor é isso: nenhuma discussão sobre a moralidade ou ser "crítico" sobre aquilo, mais moderno que isso, impossível.


                    O segundo arco eu achei que melhorou uma história que já tava do caralho! Não sei o que você vai achar do próximo encadernado, mas não acaba na segunda edição não

                    Comment


                    • #11
                      Re: [AVALIAÇÃO] Unfollow Volume 1: 140 Tipos: O QUADRINHO NA ERA DA INTERNET

                      Postado originalmente por Pato_Osborn_Olsen Ver Post
                      Bem, é uma apresentação talvez porque seja o primeiro arco? [emoji38]

                      E eu acho que é a graça do gibi não é mostrar CRITICA SOCIAL FUDEROSA DEMAIS LACROU, acho que a graça do gibi é mostrar justamente as mazelas das pessoas, contar uma história extrapolando o potencial das redes sociais e o leitor tirar suas próprias conclusões. O gibi não taxa um ou outro personagem disso ou de aquilo, ele deixa exclusivamente para o leitor achar o que quiser dos personagens. O melhor é isso: nenhuma discussão sobre a moralidade ou ser "crítico" sobre aquilo, mais moderno que isso, impossível.


                      O segundo arco eu achei que melhorou uma história que já tava do caralho! Não sei o que você vai achar do próximo encadernado, mas não acaba na segunda edição não [emoji38]
                      Tá na fila o segundo, o que me incomodou é que ele demorou na apresentação, aí fiquei pensando "ok, e?". Lerei o segundo logo, mas me pegou. Só espero que não fiquemos com a sensação de que ele jogou muita coisa no ar, mas aí a DC cortou as asas e teve que encerrar as pressas.

                      Enviado de meu Moto G (5) usando Tapatalk

                      Comment

                      Working...
                      X