Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO DUPLA] Tex #571 & #572 - O Bando das Serpentes/ A Eleição: Tex de Bungee Jumping atirando

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO DUPLA] Tex #571 & #572 - O Bando das Serpentes/ A Eleição: Tex de Bungee Jumping atirando



    O BANDO DAS SERPENTES
    Texto: Manfredi * Desenhos: Seijas

    Em Sacramento, Tex e Carson salvaram quatro jovens da forca depois de provar que o homem que eles mataram, um fora da lei conhecido como Alias, era um procurado com uma grande recompensa por sua cabeça e um pistoleiro a serviço da ferrovia que está sendo construída. Agora, sete anos depois, os dois parceiros voltam à cidade a convite de um daqueles jovens, Billy Drexel, que se candidatou ao cargo de governador.


    Formato 13,5 x 17,6 cm
    116 pags
    Preto & branco
    R$ 8,90
    Distribuição nacional
    ---------------



    A ELEIÇÃO
    Texto: Manfredi * Desenhos: Seijas


    Tex e Carson estão em Sacramento, capital da Califórnia, a convite do jovem Billy Drexel, que foi ajudado pelos rangers sete anos atrás e agora se candidatou a governador daquele estado. Mas, como em toda eleição, não faltam patifes e trapaceiros que querem agitar as águas, e alguém trama nas sombras para desencadear uma tempestade de chumbo quente.


    Formato 13,5 x 17,6 cm
    116 pags
    Preto & branco
    R$ 8,90
    Distribuição nacional
    ------------------------------------------


    Nossa história começa em Austin no Texas onde Willer e Carson estão se acostumando com a cidade como de costume: indo até um saloon pra comer e molhar a garganta. Só que quem assina o roteiro da história é Manfredi, proeminente autor de Mágico Vento, aí você já nota pequenas diferenças que fazem com que a história seja distinta das demais do Tex que tem por aí, não é nada genial - um comentário sobre uma comida típica do atendente do bar - mas dá uma cor toda nova e um frescor pras aventuras do ranger.





    Enquanto em Austin em busca de um criminoso procurado, descobrem o destino inusitado do mesmo e se deparam sem guegueguê e nem gagagá já com o "bando das serpentes" do título da edição #571. Uma ação desenfreada, e quem diria, até ajudada por alguns da população depois e Tex fica a par da putaria que tá acontecendo na cidade: membros da ferrovia contratam essas "serpentes" por fora para expulsar os habitantes da cidade e comprarem o terreno mais barato.



    Porque é ruim pra caralho conseguir imagens de um gibi específico de Tex - e sim, a cena acontece no gibi!!!


    O gibi é um pouco diferente das histórias "normais" de Tex até em seu enquadramento: em dado momento, o artista faz uma página com metade apresentando uma "imagem de estabelecimento" e depois uma sequência muito boa entre um quadro e outro mostrando a reação dos dois agentes da Pinkerton que cuidam da segurança do Sr. Finch, o representante da ferrovia. É uma besteira de nada, mas é uma coisa diferente na narrativa. A edição #571 termina com um grande shodown entre os agentes da ferrovia e Tex enquanto Carson cuida da retaguarda de seu pard contra Paulsen, uma outra figura pitoresca saída da imaginação do Manfredi.





    Sabe quando os finais de uma edição que continua na próxima sempre acabam meio cagados em Tex? Sem um "gancho" decente ou até mesmo de maneira abrupta, muito causado pela forma como a história é criada pra o artista destrinchar aquele roteiro em sei lá quantas edições? Ou pode até mesmo ser algo preparado, mas sempre acaba o gibi do Tex de uma maneira meio merdel? Pois bem, outra habilidade do Manfredi: descobrimos que no final da edição #571 que a história foi toda contada em flashback e que Tex e Carson estão VOLTANDO pra Austin por causa de um dos amigos que fizeram lá na época, Billy, e agora concorre para governador. O decorrer disso vemos na edição #572. Essa transição e gancho pra próxima edição foi do caralho. Aliás, foi algo "diferente" do habitual pro leitor de Tex.



    Outra diferença: gibi já começa com Carson de olho nas putas


    Agora Tex precisa proteger Billy, um dos responsáveis pela morte do criminoso que Tex e Carson vieram procurar 8 anos atrás. Billy agora concorre a governador do Texas enquanto seus dois amigos, Mabel e Jerry fazem a corte para Tex e Kit. Curiosos sobre a fazenda que Billy podia ter perdido pra Ferrovia, os dois rangers encontram Mick cuidando do lugar. O quarto dos parceiros que fizeram o juramento sobre a morte de um dos capangas da ferrovia. Aqui a história é ainda mais conduzida por diálogos do que ação por si. Só não é mais chato porque o Manfredi teve o cuidado de fazer com que a galeria de coadjuvantes da história fosse bem apresentada pro leitor. É claro que ele enfia um tiroteio no meio da história, porque afinal ainda é um gibi do Tex. Um atentado a vida de Billy.





    Essas duas histórias (uma só na verdade em duas edições) foi bem boa. Algo diferente, mas ainda assim familiar. É engraçado notar também o quanto é faceiro o Tex do Manfredi, sempre com um sorriso no rosto e cheio das tiraras sarcásticas, como se nunca estivesse preocupado de verdade com a situação. Muito isso se deve a arte de Garcia Seijas que consegue imprimir um rosto cândido, mas ainda assim cheio de esperteza. O gibi também é repleto de quadros com o rosto dos personagens em primeiro plano. O artista é muito bom de fisionomia, nunca confundindo um personagem com outro. Um pouco disso pode ser notado nesta página não utilizada para o gibi:



    página não utilizada da história - a ferrovia é representada no jornal por um polvo negro com as letras "SP" gravadas nele ameaçando a cidade. Coincidência???



    História bem boa e diferente do Tex. Diferente pra bom, e não pra esquisito e viajado. Uma história sem muito tiro, afinal, reservando mais para o aspecto dos personagens, mas que não deixa de ser interessante. O final tem um showdown bem texniano. Manfredi também consegue deixar seu leitor na expectativa para saber se a história se encerrará com tragédia ou se Billy irá fazer as pazes com o seu namorado, Mick, e não ligará para o preconceito da sociedade do século XIX para assumir sua paixão pelo boyzinho.





    A edição da Mythos tá bem boa, com papel mais claro e uma boa impressão do preto e branco. Nem sempre isso se repete em demais histórias contudo, principalmente as republicações em Tex Coleção.
    Last edited by Pato_Osborn_Olsen; 10-09-2017, 09:47 PM.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO DUPLA] Tex #571 & #572 - O Bando das Serpentes/ A Eleição: Tex de Bungee Jumping atir

    Manfredi ainda sofre com as amarras Texianas, mas sua forma de narrativa mesmo que de forma mais sutil dá um tom a mais na história. Eu particularmente gostei mais da primeira parte, achei toda ela do caráleo, a segunda logicamente teve que dar uma freada para abordar os meandros políticos, coisa que o Manfredi domina bem e cansou de utilizar no MV.

    Velho, como o Seijas desenha, PQP, domínio total de narrativa e cenários espetaculares em cada quadro, nada de preguiça aqui, é amor pela profissão. Me lembrou o sombreado dos grandes mestres que desenharam Tex nos anos 80, em especial o Jesus Blasco. Não é qualquer um que dá pra desenhar o Tex, devido a noção de espaço que tem que ser muito bem construída ao redor dos personagens, e o Seijas faz isso com maestria, toda a ação vai transcorrendo de forma que o leitor se sente assistindo o tiroteio, cada personagem é muito bem caracterizado pra não ficar tipo "de onde saiu esse maluco?" em meio ao chumbo rolando.

    Ah, acho que a página da varanda foi usada sim na história e me veio na mente que o Manfredi também gosta de abordar o papel da mídia em suas histórias.

    Boa aventura, leitura rápida.
    “Quando quero relaxar leio ensaios de Engels. Quando quero algo mais sério, leio Corto Maltese.” Umberto Eco.

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO DUPLA] Tex #571 & #572 - O Bando das Serpentes/ A Eleição: Tex de Bungee Jumping atir

      Curti demais essa historia.

      A primeira parte dela realmente é superior pois tem mais elementos para se trabalhar, o mistério de quem entre os quatros amigos matou o serpente (aqui principalmente com o Kit ficando boladão com os quatro rs) , toda a movimentação dos cidadãos da cidade contra a ferrovia, aliás que belos coadjuvantes o Manfredi criou, a gente se apega a eles rapidinho e o combate com o sniper no fim , sensacional toda a movimentação aqui, lembrou um belo combate de filme/livro de espionagem com o kit tendo que descobrir onde esta o sniper enquanto o tex faz a limpa la embaixo.

      A segunda etapa eu acho que de uma bela caída de ritmo mas ainda mantem uma certa qualidade, principalmente em sabermos o que aconteceu com todos mostrados na primeira etapa com o passar dos anos.
      Quadrinho Nacional Humilde e Simples
      Capitulo Atual: #4 - Visitante!

      PARA ACOMPANHAR:
      https://www.facebook.com/ucsmanga

      Comment

      Working...
      X