Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)



    JOHN CONSTANTINE, HELLBLAZER – ORIGENS VOL. 3: NEWCASTLE & A MÁQUINA DO MEDO ATO I

    A jornada de John Constantine tem sido longa e repleta de dificuldades. O custo foi alto e agora o Mago carrega sangue de demônio nas veias e as vozes de velhos amigos mortos na cabeça!

    Com a ajuda de sua língua afiada e astúcia sem par, ele ocupa uma posição única e muito perigosa: faz parte da última linha de defesa mística de um mundo permanentemente sitiado pelas forças do caos e do mal. Mas a caminhada de John não começou hoje e um evento obscuro e que é revelado agora foi crucial para a sua formação: testemunhe o que aconteceu em Newcastle. Contemple também a primeira vitória de John – e que repercute até os dias de hoje – contra seu arqui-inimigo, o demônio Nergal, cujo sangue corre em suas veias. Esta edição também traz o primeiro ato de A Máquina do Medo. Procurado pela polícia e em busca de sua humanidade perdida, Constantine entra em contato com um misterioso grupo que tem planos nada convencionais para os poderes sobrenaturais que o mago possui.

    JAMIE DELANO (Homem-Animal), RICHARD PIERS RAYNER (Estrada para a Perdição) e MIKE HOFFMAN (Monstro do Pântano) são os responsáveis pelas edições aqui presentes. Este volume reúne as edições 11 a 17 da série John Constantine, Hellblazer em 196 páginas de quadrinhos.

    Histórias originais: Hellblazer 11-17
    Continuação a sequência de reimpressões da fase do Jamie Delano em Hellblazer, agora em papel LWC.

    O encadernado já abre com a clássica história Newcastle, que enfim revela o que aconteceu naquele dia que tanto marcou o John Constantine pelo resto de sua vida, envolvendo a menina Astra. Por si só é uma edição importantíssima em termos de mitologia para o personagem, afinal mostra um incidente que há muito vinha sendo citado (sempre de forma mais ou menos vaga) e influenciava tanto o mago. Mas ela além de importante é uma boa história mesmo. Situada no passado do Constantine, ela utiliza boa parte do seu elenco coadjuvante à época (inclusive vários que apareceram - e morreram - lá no arco da Brujeria, em Monstro do Pântano do Alan Moore) e reforça ainda mais a inconsequência do personagem, ao sempre envolver pessoas em seus planos e não poder salva-las ao final.

    Infelizmente, já na edição seguinte, acontece o novo encontro entre o mago e Nergal, e mais uma vez Jamie Delano retoma aquele plot do mundo virtual, onde o Ritchie havia ficado preso. O problema nem é tanto conceito - OK, é bobo e parece fruto de uma visão quase mágica da computação no final dos anos 80. Mas acima de tudo, o tom dela é que ferra tudo, por levar esse conceito bobo a sério demais, como em uma grande aventura épica, uma perseguição virtual entre o demônio e Constantine. E ao final, temos mais um amigo dele se ferrando bonito, Delano martelando mais uma vez que quem se mete com ele, só se fode.

    A edição 13 é uma espécie de one-shot, interlúdio entre arcos, sobre um dia de Constantine na praia tendo alucinações. Cheio das narrações um tanto enfadonhas do Delano, mas no fim das contas gostei dessa "piração", acaba sendo um respiro, fora que compartilho do sentimento do JC sobre pessoas desagradáveis em praias.

    E as quatro edições que fecham o encadernado formam o "Ato I" do arco A Máquina do Medo, sobre Constantine foragido da polícia (acusado pela morte de seus vizinhos - vide Hellblazer #10), e tendo que viver com uns hippies viajantes. E olha...quatro histórias chatas que só. Arrastadas e sem um norte muito definido, só lá ao final delas que a tal "máquina da morte" aparece, e pelo menos por aqui, parece parte de um plot tão aleatório...espero que melhore na conclusão, pois essas aqui não empolgaram mesmo.

    A arte fica majoritariamente por conta do Richard Piers Rayner. Ele é u bom desenhista, sem dúvidas, mas não acho que seu estilo combine com o título. Ainda mais arte-fnalizado pelo Mark Buckingham, são traços muito finso e limpos, e ainda com uma colorização que utiliza uma paleta bem diversa. A diferença para seu predecessor, o fantástico John Ridgway, salta aos olhos. Prefiro a are mais soturna, suja.

    De extras, temos as sete capas originais, um prefácio do editor nacional (prefácio da época da primeira impressão, ou seja, datado nas coisas que fala) biografias dos autores e mais dois textos vindos do SECRET FILES: HELLBLAZER, sobre Newcastle e o Chas. O material dessa edição vem sendo repartido nesses encadernados da fase ORIGENS, e servem de extras interessantes, até mais que se fossem lidos numa tacada só, onde poderiam ficar maçantes. Mas fatiados assim ficam mais palatáveis.

    Last edited by Daft Flores; 17-04-2018, 10:01 AM.
    A nova geração.

  • #2
    Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

    Continuo esperando a publicação de A Hororista, conforme consta no prefácio.


    LISTÃO DE VENDAS:
    http://www.mbbforum.com/mbb/showthread.php?42803-List%E3o-de-Vendas

    Comment


    • #3
      Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

      Postado originalmente por Daft Flores Ver Post
      E as quatro edições que fecham o encadernado formam o "Ato I" do arco A Máquina do Medo, sobre Constantine foragido da polícia (acusado pela morte de seus vizinhos - vide Hellblazer #10), e tendo que viver com uns hippies viajantes. E olha...quatro histórias chatas que só. Arrastadas e sem um norte muito definido, só lá ao final delas que a tal "máquina da morte" aparece, e pelo menos por aqui, parece parte de um plot tão aleatório...espero que melhore na conclusão, pois essas aqui não empolgaram mesmo.
      Sugiro não criar muitas expectativas nesse sentido.

      Adoro Newcastle, que mostra muito bem o quão FDP Constantine é. Ele se acha o fodão, envolve um monte de amigos numa treta demoníaca e fode todo mundo, por não saber direito o que está fazendo.

      Eu curti essa história do Constantine contra Nergal no mundo virtual. O conceito é bobo mesmo, mas é muito fruto da época em que foi escrita.

      Comment


      • #4
        Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

        Postado originalmente por scatroplauer Ver Post
        Continuo esperando a publicação de A Hororista, conforme consta no prefácio.
        Pois é...e eles meio que já perderam o momento cronólogico, né? A Horrorista é de 1995 - e a publicação da Panini (fase Paul Jenkins) já está em histórias de 1996...
        A nova geração.

        Comment


        • #5
          Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

          Segundo falaram no site da vertigo, há chances de sair um volume com os especiais que o Delano escreveu seria mais ou menos um volume 8 inédito de origens.
          Às vezes as coisas são o que apenas parecem ser, sem nada demais.

          Comment


          • #6
            Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

            Postado originalmente por Ankou Ver Post
            Segundo falaram no site da vertigo, há chances de sair um volume com os especiais que o Delano escreveu seria mais ou menos um volume 8 inédito de origens.
            Aí sim. Provavelmente vão colocar A Horrorista e a mini Bad Blodd, que é inédita por aqui.

            Aí ficaria faltando apenas as minis do Chad e do Papa Midnite. Além de outras coisas que o Constantine participa, tipo Brigada dos Encapotados.


            LISTÃO DE VENDAS:
            http://www.mbbforum.com/mbb/showthread.php?42803-List%E3o-de-Vendas

            Comment


            • #7
              Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

              Talvez no fim dessa reimpressão role.
              Acho difícil, mas quem sabe.
              (respondi no padrão panini)

              Comment


              • #8
                Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

                não é uma visão quase magica da computação dos anos 80, é uma visão de um hippiezão burrico que não entendia nada de nada.
                Giovanni Giorgio

                Comment


                • #9
                  Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

                  Esse material envelheceu mal, a verdade é essa. Mas mesmo assim, essa edição ainda é uma boa edição.

                  Comment


                  • #10
                    Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

                    Eu gosto desse edição da computação, o difícil mesmo são essas edições dos hippes muito arrastado.
                    Às vezes as coisas são o que apenas parecem ser, sem nada demais.

                    Comment


                    • #11
                      Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

                      Bicho, eu vou reler saporra pra comentar, mas essas paradas que o Jamie Delano usava tinha muita coerência sim

                      A viagem astral pelo computador é uma espécie de "metafísica da tecnologia" onde a mente suplanta a máquina. Muito doido. Achei fera na época. Porque se você for pensar bem, como é que funciona essa porra? Você tá colocando informação num monte de letras e dados e números escritos arranhados num disco e você se conecta a outras pessoas ao redor do mundo, puta que me pariu. Isso é muito maluco. Acho que foi o Weber que dizia em Ciência e Política - Duas Vocações que um aborígene tinha mais "conhecimento de seu mundo" do que o homem moderno. Porque o homem moderno utiliza telefone, luz elétrica, geladeira, chuveiro, carro e é completamente ignorante sobre o funcionamento dessas coisas. Enquanto o homem selvagem, mesmo dando explicações mágicas para as coisas - o sol, a chuva, o vento - tinha total conhecimento de sua natureza e seu funcionamento, mesmo sendo uma explicação mágica, enfatizo.

                      A nossa mente viaja entre os dados, a informação corre pelos fios, eu falo com um maluco a mesma hora em outro lugar do mundo que é de dia e chats de bate papo estão cheias de putas que não se agradam com o rosto do cliente. Isso é muito doido.

                      A Máquina do Medo é mais paradona mesmo, mas um grande texto do Delano, cheio de pensamentos do Constantine. Verdadeira aula sobre o personagem.

                      O tom mais reflexivo é notável. O negócio tava além do gibi. Era praticamente literatura com figurinhas. Eu acho do caralho.

                      Minhas edições eu nunca reli, acho que vou começar a reler para desfazer esse pecado e gerar o debate. Infelizmente é preciso de conteúdo e bagagem que eu nem tenho mais. Emburreci foda

                      Comment


                      • #12
                        Re: [AVALIAÇÃO] Hellblazer - Origens Vol 3: Newcastle e A Máquina do Medo Ato I (reimpressão)

                        Postado originalmente por Ankou Ver Post
                        Segundo falaram no site da vertigo, há chances de sair um volume com os especiais que o Delano escreveu seria mais ou menos um volume 8 inédito de origens.
                        Seria 1BOUA!
                        A nova geração.

                        Comment

                        Working...
                        X