Anúncio

Collapse
No announcement yet.

Mudança na linguagem dos quadrinhos

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • #31
    Postado originalmente por oNosferatu
    Postado originalmente por Psyloco
    Postado originalmente por JackFrost
    Essa imagem é de deixar sem folego.
    Concordo.
    Quando a chamada "descompressão" é feita direito, fica ótimo.
    Mas tambem pode ser desculpa pra roteirista e desenhista preguiçosos.
    Mas aí não é culpa de um "estilo" dos anos 00, e sim de roteiristas/desenhistas preguiçosos. Texto não é sinônimo de mais qualidade, que o digam as histórias atuais do CC.

    Comment


    • #32
      BK, pare de MAL DIZER seus colegas foristas!
      Velho INVEJOZZO!

      Comment


      • #33
        Se um filme de aventura tivesse muito falatório, provavelmente reclamariam que abriram mão das cenas de ação pelo blá-blá-blá...
        Here we are, born to be kings
        We're the princes of the universe
        Here we belong, fighting to survive
        In a world with the darkest powers...

        Comment


        • #34
          Postado originalmente por BigJ_MBB
          Se um filme de aventura tivesse muito falatório, provavelmente reclamariam que abriram mão das cenas de ação pelo blá-blá-blá...
          Ah, mas até um filme de ação e aventura precisa ter uma história rolando atrás, né, pretinha?
          Sem contar que no filme você tem o trabalho do diretor, a interpretação dos atores, montagem, som, trilha-sonora...
          Porra, chega a ser burrice crônica comparar mídias tão diferentes!

          O que rola nos quadrinhos é muito simples: melhoraram o papel, melhoraram o desenho mas a história ficou muito, mas muito mais diluída.
          Talvez seja uma tentativa de aproximação com os vídeo-games, com o cinema, com a TV, foda-se.
          A verdade é que antes você tinha muito mais história "textual" rolando e imagens razoáveis.
          Hoje a história quase não existe mas vem aquele desenhãããão poderooooso, lindãããão!

          Há quem goste desse sistema estúpido.
          Eu não apenas não gosto como me recuso a pagar mais caro por um gibi que só tem papel e desenho de luxo.
          Quero ler uma história legal, porra!
          "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

          Comment


          • #35
            é triste ver que a opinião do BK não vale nada!!!

            Ele ta aqui reclamando da quantidade de texto nos gibis americanos e ao mesmo tempo enaltecendo os mangás na pasta de anime... se fude, que texto tem em um mangá???


            Alias, la atras todo mundo dizia e batia palma para a adaptação dos comics ao estilo mangá. Deu nisso!!!
            Homem-Animal - Flesh and Blood
            Avaliação - Muito Boa

            Comment


            • #36
              A pouco tempo atras Quesada estava comentando sobre a recomendação editorial de não se usra mais nem os balõezinhos de pensamentos,nem um tom de amarelo q era comum nos paineis descritivos,e a certo prazo não usar mais tb os balões descritivos.
              Acho valido,na tentativa de se explorar ao maximo os desenhos e sua funcão narrativa,esse tipo de coisa q só funciona qnd o roteirista entende um minimo de desenho.
              Tb gosto do estilo descompressado de hj,da mais profundidade a trama,e evita q tudo pareça muito artificial e os personagens pareçam robozinhos.
              Isso tudo é parte de uma nova estetica q visa deixar a narrativa mais enxuta e aproximar cada vez mais os quadrinhos do cinema.
              Mas tudo tem q ser na medida certa.Um estilo ser bom não quer dizer q o outro tenha q ser extinto.Pois do mesmo jeito q uma historinha descompressada escrita pelo Bendis ou Millar fica genial,outros caras como o Brubaker por exemplo,ja não conseguem fazer algo q prenda a atenção do leitor nesse estilo.Tudo tem q ter um contra ponto.Na arte não pode haver regras de formato.
              Outro lance interessante desses novos estilos de narrativas,são os quadros horizontais("widescreen")do Millar,q da uma noção bem cinematografica(principalmente em CW e Authority),e as pgs duplas e cheias de quadros do Bendis(principalmente em Ultimate Homem Aranha e Alias).
              fotografia é desenho de luz

              Comment


              • #37
                Postado originalmente por BK
                Postado originalmente por Eliéser Snow
                Estamos cada vez menos leitor e mais expectador de quadrinhos.
                Precisamente!

                São cenas deslumbrantes, desenhos magníficos, colorizações com bilhões de matizes, efeitos espetaculares...

                E um fiapinho de história.

                Nessa página aí de cima, quatro quadrinhos imensos, muito bem ilustrados, mas cuja ação é ridícula e que caberia em um único quadrinho.

                E tem trouxa que paga (caro) por essa baboseira e ainda aplaude!
                Tem dó!

                Efeito especial não faz um bom gibi, negada!
                História, sim.
                Desenho aliado ao roteiro é o que liga.

                Desenho que é delírio visual mas sem roteiro só engana vocês, cambada de moleques imbecis sem noção.
                Velho,não fala bobagem.
                Desde qnd uma historia com mais desenhos do q roteiros é uma "enganação"?!
                Quer dizer q o trabalho do roteirista é mais importante do q o do desenhista???
                Para!Os dois são importates,mas do mesmo jeito q tem gibis q a intenção é explorar mais os roteiros(como vc mesmo disse sobre o Moore em Monstro do Pantano,e q eu acho outra grande bobagem,ja q Stephen Bissete é um ilustrador incrivel)outros tem a intenção inversa.
                Essa pagina só mostra o qnt esse recurso, qnd bem utilizado, pode ser lindo.Nunca q essa ação,descrita em um unico quadro, teria tanta profundidade,ou tanto impacto.Ao meu ver é muito mais dificil vc criar ,mesmo como escritor,nesses paramentros do q nos da velha guarda.
                O complicado é ser simples.Entupir de balões é sempre mais facil,economiza um belo tempo q vc perderia tentando dar o mesmo efeito no leitor utilizando imagem,timing,ação,narrativa,design,roteiro...
                fotografia é desenho de luz

                Comment


                • #38
                  O Morto Muito Louco elucidou a questão, como de praxe. Dança, BK.
                  Inscreva-se na ALMANACÃO, minha newsletter sobre quadrinhos > http://eepurl.com/b3_M4v

                  Comment


                  • #39
                    Eu não sou contra um bom desenho.
                    Acho válido o desenho estar a serviço do roteiro.

                    Porém, o que se vê nos comics mais modinha que vocês adoram é justamente o contrário: a imagem sendo valorizada e o roteiro sendo jogado lá pra escanteio.

                    Para este missivista, isso é um simples retrocesso que agrada as mentes menos favorecidas mas ávidas por consumir superficialismo.
                    Tanto que, em termos de leitura de quadrinhos, não tenho lido quase nada exatamente pela falta de boas histórias pois não acredito em HQ fundamentada apenas no desenho.
                    Não.
                    Desenho + roteiro = diversão.
                    Do contrário terei um gibi pra ver.
                    E eu gosto de LER também.

                    Sinto muito mas é assim que eu penso e chupem.
                    "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

                    Comment


                    • #40
                      Desliga a TV e vai ler um livro.
                      Gibi é gibi.
                      fotografia é desenho de luz

                      Comment


                      • #41
                        Postado originalmente por Marcelo Areal
                        é triste ver que a opinião do BK não vale nada!!!

                        Ele ta aqui reclamando da quantidade de texto nos gibis americanos e ao mesmo tempo enaltecendo os mangás na pasta de anime... se fude, que texto tem em um mangá???


                        Alias, la atras todo mundo dizia e batia palma para a adaptação dos comics ao estilo mangá. Deu nisso!!!

                        Quero ver o BK responder isso...

                        Comment


                        • #42
                          Eu não enalteci mangá nenhum.
                          Valorizei, sim, a utilização do estilo mangá como forma de tornar ágil o já canhestro estilo comics, enferrujado por convencionalismos.
                          E isso deu tanto certo que taí a demanda por títulos de mangá nos EUA explodindo de vender.

                          Mas em momento algum abri mão dos roteiros.

                          Mangá, comics, fumetti ou o estilo de quadrinhos que seja precisam SEMPRE estar fundamentado num bom roteiro e que gere uma boa história.
                          Desenho sem roteiro ger esse lixo burro de super-herói idiota dando bofete feito retardado em histórias que não merecem forrar a gaiola do meu papagaio...

                          Mas que vocês pagam uma nota preta e ainda batem palminha, bando de otários!
                          "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

                          Comment


                          • #43
                            Só mais uma coisa... Roteiro não é só texto. Tirando o que o Jim Lee fazia nos anos 90 (:P), a maioria dos bons roteiristas descreve no roteiro o que quer que o desenhista coloque no papel, seja dando mais, seja dando menos liberdade à visão do artista (Alan Moore é especialmente f*** nisso). Nos últimos anos, isso tem se intensificado, e bons roteiristas e bons artistas têm utilizado narrativa visual, linguagem corporal, expressão facial etc. pra contar uma história, diminuindo o texto.

                            Só porque tem "desenho" não quer dizer que não tem história. Para uma boa dupla criativa, desenho É história.

                            Mas... roteiristas e/ou artistas ruins tentam imitar isso e se dão mal. Mas IMHO isso não tem a ver com estilo, tem a ver com o fato de a dupla criativa ser boa ou ruim. Uma história atual de UXM de CC tem TONELADAS de texto e é tão lixo tóxico quanto uma história "silenciosa" de Wolverine do Daniel Way. E nenhuma das duas consegue desenvolver uma narrativa, textual ou visual, quanto um Planetary ou Astonishing ou V de Vingança ou Sandman da vida, umas com mais, umas com menos texto.

                            As HQ's mainstream dos anos 90 mesmo tinham mais texto que as atuais e... Bem, Bob Harras, Image, e vocês já sabem o resto. :P Ali eu até digo que roteiro memso não existia, o que existia era uma desculpa pra os desenhistas "da moda" poderem exibir pin-ups e cenas de pancadaria (vide o processo de produção daquele arco de UXM do Byrne-Lee, que siau aqui nas primeiras Fabulosos, que o Lee desenhava, mandava pro Byrne e ele tentava escrever alguma coisa que encaixasse nos desenhos... Loucura total!). Mas, sob o risco de me repetir, usar a arte como uma ferramenta do roteiro é muito diferente de não usar roteiro.

                            Comment


                            • #44
                              Postado originalmente por JackFrost
                              Só mais uma coisa... Roteiro não é só texto. Tirando o que o Jim Lee fazia nos anos 90 (:P), a maioria dos bons roteiristas descreve no roteiro o que quer que o desenhista coloque no papel, seja dando mais, seja dando menos liberdade à visão do artista (Alan Moore é especialmente f*** nisso). Nos últimos anos, isso tem se intensificado, e bons roteiristas e bons artistas têm utilizado narrativa visual, linguagem corporal, expressão facial etc. pra contar uma história, diminuindo o texto.
                              A narrativa visual visa complementar a narrativa textual.
                              Quando você elimina o texto e carrega na imagem, mais de 80% da qualidade da informação vai pras picas.

                              E os roteiristas consagrados, Moore, Gayman, etc, colocam o desenho a serviço do roteiro e não o contrário. E nem preciso dizer que histórias sensacionais esses caras produziram.

                              Em compensação, quando você eleva o valor da imagem em detrimento do roteiro, você tem cenários magníficos, visuais incríveis mas histórias frouxas, fracas, insignificantes mesmo e verdadeiras sombras se comparadas aos trabalhos que o Moore fez brincando.

                              Acontece que, pra indústria de quadrinhos, é mais barato e mais fácil valorizar a imagem do que o roteiro. O desenhista famoso produz muito, tem legiões de fãs e atrai muito mais leitores sem formação intelectual.
                              É uma forma de se produzir gibis mais fáceis, de maior digestão e, portanto, mais agradáveis à massa de leitores burrinhos e sem noção.

                              Mas isso só rola dentro daquele segmento de produtos infanto-juvenil!
                              Saiu desse segmento e a premissa é outra.
                              Só porque tem "desenho" não quer dizer que não tem história. Para uma boa dupla criativa, desenho É história.
                              Desenho é parte da história.
                              Mas não é a história.
                              Ela sempre nasce do roteiro. Que, preferencialmente, deve ser feito por um roteirista.
                              Mas... roteiristas e/ou artistas ruins tentam imitar isso e se dão mal. Mas IMHO isso não tem a ver com estilo, tem a ver com o fato de a dupla criativa ser boa ou ruim. Uma história atual de UXM de CC tem TONELADAS de texto e é tão lixo tóxico quanto uma história "silenciosa" de Wolverine do Daniel Way. E nenhuma das duas consegue desenvolver uma narrativa, textual ou visual, quanto um Planetary ou Astonishing ou V de Vingança ou Sandman da vida, umas com mais, umas com menos texto.
                              É verdade que um roteiro ruim não tem como ser salvo por um desenho bom.
                              Mas um desenho ruim pode ser salvo por um ótimo roteiro.
                              As HQ's mainstream dos anos 90 mesmo tinham mais texto que as atuais e... Bem, Bob Harras, Image, e vocês já sabem o resto. :P
                              Por mais que eu fique admirado com a qualidade da arte usada nas HQs de hoje, eu não compro absolutamente nada que está nas bancas exatamente por não ter o que se LIDO!
                              O desenho pode ser lindo, maravilhoso, sensacional mas sem uma boa história atrás vira enganação.
                              Claro que existem roteiros imensos e chatos mas é muito mais comum encontrar uma HQ com desenhos excelentes e quase nenhuma história.

                              Mesmo porque, depois que li Alan Moore, qualquer coisa (muito) abaixo do que ele fez, pulo fora!
                              Especialmente super-herói.
                              "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

                              Comment


                              • #45
                                Então levando esses seus critérios,desenhos,pinturas,e pq não esculturas,não tem valor nem pra forrar gaiola?Só livros tem.
                                fotografia é desenho de luz

                                Comment

                                Working...
                                X