Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[Sala de leitura] ùltimas coisas que li (Hulk de PAD e +)

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [Sala de leitura] ùltimas coisas que li (Hulk de PAD e +)

    Bom vou metendo aqui as últimas coisas que tenho lido sempre que não encontrar tópico com isso (por vezes são coisas antigas da Panini e eu não encontro no pesquisar a avaliação da revista).



    Vingadores Anual #1 - Os Heróis Mais Poderosos da Terra
    Joe Casey, Scott Kollins

    Bom aproveitei estar na fila para os Police e devorei este livro que ainda não tinha lido sequer a versão americana. A edição é como se fosse um TPB, tem 196 páginas uma boa capa que é apelativa e papel com qualidade q.b.

    A história é a mostrar o começo da equipa dos Vingadores, como eles decidiram se organizar e as primeiras missões da equipa. A arte do Kollins é ideal para este tipo de coisas porque ajuda muito a dar aquele ar old school à coisa, e os diálogos do Casey e muito da história foi algo agradável de se ler e de se passar o tempo sendo que deu para ter aquele toque de nostalgia e saudade.

    Vemos no começo o Homem de Ferro como a pessoa que mais luta pela equipa apresentando um Regimento Oficial para todos lerem e assinarem e dar um toque mais oficial e organizado à equipa. Também desde o começo vemos ele e seu alter ego Tony Stark a tentar conseguir o máximo de autorizações possíveis por parte do governo de modo a conseguir efectuar o melhor trabalho possível. Vemos a insegurança do Pym e a volatilidade do Hulk para além do distanciamento e pragmatismo do Thor. Tudo como devia ser e como já conhecíamos.

    De seguida aparece logo o Capitão América e a partir daí o livro passa a ser basicamente do mesmo a dada altura. Foi mostrado como o mesmo foi importante a ajudar a cimentar espírito de equipa nos Vingadores e ajudou a que os mesmo tivessem uma maior aceitação por parte do público e governo. Aparecem vilões como Zemo e Kang e heróis como o Gavião Arqueiro aparecem em plots paralelos que culminam na história principal mais para a frente.

    Neste caso mostra como Clint travou amizade com o Jarvis e este o ajudou a entrar para a equipa de modo a ganhar uma orientação para a sua vida que andava um pouco atrapalhada. O Capitão luta pelas suas lembranças e más memórias enquanto vai travando amizade com o jovem Rick Jones.

    Enquanto o Capitão vai enfrentar o Zemo que havia raptado o Jones, a equipa dos Vingadores decide aceitar o Clint enquanto que vê todos os membros originais a irem-se embora sendo que tudo irá acabar com a chamada Quadrilha do Capitão com as entradas da Feiticeira Escarlate e do Mercúrio.

    Pelo meio aconteceu uma coisa "estranha" já que numa conversa entre o Rick e o Capitão, o jovem fala de "você ainda vive nos tempos da segunda guerra mas hoje a Internet acelera isso tudo". Bom que eu saiba aquilo situava-se nos anos 70 mais ou menos por isso foi um pouco estranho ler aquilo.

    No geral o livro é bem agradável e a arte do Kollins (com excepção para suas expressões faciais que por vezes não me agradam nada) é uma das melhores armas para apresentar aquele feeling que se quer transmitir. Peca por não mostrar mais da equipa e por vezes centrar-se muito no Capitão (o que se percebe pelo final do livro mas pronto).

    No fim vieram as capas todas originais e alguma arte a lápis.


    8,5/10
    http://aindasoudotempo.blogspot.com/

    https://www.facebook.com/indasoudotempo

  • #2
    Re: O que ando a ler

    Postado originalmente por kon-el
    O que ando a ler
    Tente ler parado que você vai curtir muito mais.
    "Uma das pessoas menos agradáveis do MBB." - SJWscott

    Comment


    • #3
      Re: O que ando a ler

      Postado originalmente por Mr. Mojo Risin
      Postado originalmente por kon-el
      O que ando a ler
      Tente ler parado que você vai curtir muito mais.
      LOL ok eu mudo o nome do tópico para algo mais universal nas 2 formas do Português.
      http://aindasoudotempo.blogspot.com/

      https://www.facebook.com/indasoudotempo

      Comment


      • #4


        Hulk Visionaries Peter David #2

        Uma capa brutal e que compila uma das melhores partes, se não mesmo a melhor, do PAD no Hulk com a arte do Todd "vamos encher a cara de rugas" Mcfarlane. A arte do mesmo tem o seu maior expoente na capa como podem ver acima e na primeira história que mostra o Hulk Cinza contra os X-men, mais propriamente o Wolverine. Típica batalha entre os dois e que nos faz lembrar dos bons e velhos tempos em que o Hulk andava à porrada com os heróis e... hmm velhos? ok na altura eram. Ao mesmo tempo continua-se a storyline de que o Clay (fugitivo da SHIELD agora), o Rick Jones e o Hulk/Banner devem encontrar e destruir as bombas Gamma. Na segunda história PAD mostra-nos como sabe escrever coisas que nos deixam completamente agarrados ao livro.

        Mostra como uma personagem selvagem quase como o Hulk, anda à solta e a comer e devorar o gado de todos os que habitam por ali. Depois de um confronto com o golias cinza, a personagem dá a entender que quer ser morta devido a não aguentar mais a vida que tem e acaba com uma população armada com forquilhas e tochas prontas para matar a criatura mas que fica impávida sem saber o que fazer quando a mesma começa a chorar.

        A partir da 3ª história entra tudo em alta velocidade porque aparece um dos vilões mais interessantes de se ver quando tenta dominar e matar o Hulk, o Líder. Vemos como ele consegue engendrar um plano que vai culminar na reunião da Betty com o Banner/Hulk, na transformação de dois caça hulks em personagens com poderes acima da média e na explosão de uma bomba gamma que vai destruir uma cidade, mudar o Hulk de novo (apesar de continuar cinza) e transformar uns quantos humanos em seres verdes afectados pela radiação e que muito mais para a frente vão ter papeis importantes na vida do Hulk.

        A história tem sempre bastantes momentos de acção e em especial de emoção conforme vamos vendo os planos do Líder em acção e como eles vão ou não afectar o nosso herói. No final temos já o mesmo na fase "Tira Teima" em Las Vegas e a enfrentar o seu primeiro desafio que se veio a revelar ser o Homem Absorvente. Aparece também a Marlo, outra personagem que mais para a frente vai se mostrar como alguém de importância na vida do Hulk e não só. Um excelente TPB que mostra uma das melhores fases do PAD no Hulk e uma das melhores da personagem também.

        Nota 8,5 em 10

        Cebolinha #1

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        Era das revistas que mais aguardava pois tem como protagonista a minha personagem favorita da Turminha, o Cebolinha. Umas das coisas que chama mais a atenção nestas novas edições, é a capa das revistas ser diferente daquilo que estamos habituados. É mais "papel" do que as anteriores da Globo e Abril que estávamos habituados. Num aspecto mais positivo a mesma apresenta uma arte igual à que estamos habituados a ver dentro da revista.

        A revista começa da melhor forma com uma aventura que envolve o Cebolinha e o Dudu outra personagem que gosto bastante. A história é super engraçada porque o Dudu é retratado da melhor maneira possível, sendo um miúdo chato e irritante para um Cebolinha concentrado em mais um plano infalível. A arte é bem agradável e das melhores que vi nos últimos tempos a retratar expressões faciais e cenas de acção nas aventuras da turminha. Há momentos que é impossível não rir com as confusões do Dudo em querer ajudar o Cebolinha a roubar o coelhinho da Mônica. Muito agradável e super hilariante mesmo. De realçar as reacções do Dudo e a apresentação do plano por parte do Cebolinha que é impossível não rir na mesma.

        Passamos depois para uma história curta do cebolinha e uma do Astronauta que não são o melhor do livro e apenas se lê para passar o tempo mesmo (a do Astronauta é mesmo assim algo que se lê bem). Temos então uma história do Rolo em que o conceito é bem engraçado e mostra o mesmo a participar num Big Brother. A história é interessante a mensagem que transmite acerca deste tipo de programas e sobre a realidade actual é até bem engraçado e dá o que pensar.

        Para terminar 3 histórias do Cebolinha, sendo que a com o Louco é simplesmente HILARIANTE já que retrata um Louco dos mais loucos que jamais vi. Completamente doido mesmo. No fim a revista tem saldo positivo curiosamente devido à primeira e última história.

        Nota 8 em 10.

        Ronaldinho Gaúcho: Turma da Mônica #1

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        Comprei este título mais pela curiosidade (e pela vontade de ter os #1's todos) e até fui surpreendido pela positiva. Eu era fã da turma do Pelezinho e apesar desta não parecer ter a mesma piada e "charme" que tinha essa primeira, é algo que se lê bem e cativa. Capa também diferente do se está habituado se bem que a arte nela é mais ao nível dos desenhos animados

        O livro começa com o Ronaldinho, Cascão e Cebolinha à procura de um sítio para poderem jogar e montar uma baliza para isso mesmo. A história tem os seus momentos, mas não é nada de hilariante. A arte (competente) também não se adequa ao que a história quer transmitir em alguns momentos. Há momentos engraçados em especial na montagem da baliza e pelo Cascão o que ajuda a salvar a história. O fim é competente também. Uma história que deve apelar muito aos brasileiros porque lembra a infância dos mesmos. Nós como fazíamos balizas somente com duas pedras por exemplo, não nos diz tanto.

        Lê-se logo de seguida duas histórias que apresentam basicamente os membros todos que constituem a família mais próxima do Ronaldinho (os irmãos e a mãe). A primeira história serve para isso basicamente e não é nada de especial, a segunda mostra a irmã dele em destaque e não é nada memorável (lê-se bem). Segue-se uma história da revista engraçada e que envolve o protagonista e a sua irmã mostrando como é por vezes os irmãos com aquela idade.

        Envolve os bonecos predilectos dos mesmos e o que acontece quando ele estraga a boneca da mana. Tem momentos engraçados. A história mais engraçada da revista envolve um Cascão sempre hilariante e que nunca acerta o nome da mãe do Ronaldinho enquanto brinca com o mesmo na casa dele e que leva o mesmo ao desespero. Momentos hilariantes nesta história.

        De seguida temos três histórias curtas que até são bem interessantes. No final vem a história mais interessante da revista e que mostra o irmão caçula do Ronaldinho a querer jogar com o mesmo e este a recusar por achar que o irmão ainda é muito novo. Isso leva este a procurar o Franjinha para este o ajudar e este cria uma chuteira e bola com imans o que provoca momentos bem engraçados quando ele depois vai para o campo jogar com o resto da turma. A história acaba com uma boa mensagem e torna-se bastante interessante também por isso.

        Nota 6 em 10

        Mônica #1

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        Não foi das melhores Mônica's de sempre, mas este longe de ser das piores. Uma revista com lombada quadrada que contém a numeração o que é bom para quem gosta de as ter empilhadas e saber o que vai tirar. A revista começa com uma história engraçada que mostra a Denise a ensinar a Mônica o que é a Lei de Murphy e como esta afecta acontecimentos do dia a dia. Logo de seguida é mostrada uma reportagem com fotos sobre a presença do Maurício no FIBDA e o que este falou e fez no mesmo. É interessante. Seguem-se duas histórias que divertem e uma delas é bem agradável de se ler (mostra como é as paixões platónica da nossa heroína e como o seu cão tem ciúmes disso).

        Passamos para umas 4 histórias daquelas que servem o seu propósito, ajudam a passar o tempo até chegarmos a uma história bem divertida com o Jotalhão e as suas tentativas de arranjar namorada e parecer mais magro para isso. Termina com uma história da Tina e da Pipa que deve ter sido das mais divertidas que li com elas e mostra como nunca deixamos de ser crianças.

        Nota 5 em 10

        Turma da Mônica: Uma Aventura no Parque da Mônica

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        Mais uma capa com cores e desenhos a fazer lembrar os desenhos animados o que é sempre uma boa variável do que se está habituado. A revista acaba por se juntar ao Cebolinha naquelas mais divertidas que li até agora, em especial pela primeira e última história. A primeira mostra a turminha a visitar a nova atracção do Parque com o cebolinha à frente já que a atracção tem o "nome" dele. A arte ajuda a tornar a aventura engraçada e tem momentos bem divertidos. Seguem-se 4 histórias curtas sendo que todas divertem acima da média e uma delas é algo de especial porque mostra como o Rolo ganhou o seu nome.

        As últimas três histórias vão por ordem crescente. A primeira diverte um pouco, mas é mais interessante pela mensagem que transmite (mostra as personagens "especiais" da turma, uma que é cega e outra numa cadeira de rodas, a ensinar como sabem fazer várias coisas mesmo com esta dificuldade) e a última porque traz o sempre impagável Seu Juca em problemas com a Turminha toda para variar. Bem divertido e engraçado.

        Nota 8,5 em 10

        Cascão #1

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        A revista da personagem mais polémica da turminha (e que continua sem tomar o seu banho) comemora a sua entrada na Panini com uma capa com cores diferentes do habitual e um título fluorescente. A primeira história é agradável apesar de já se ter visto a mesma de modo diferente com outras personagens da turma. Em todo o caso foi divertido algumas das reacções do Cascão quando o mesmo entra naquele típico sentimento humano de achar que o vizinho do lado tem vida melhor que a dele que tem que estar constantemente a fugir da chuva.

        Depois de pedir ajudar a quem desenha a história, vemos o Cascão a encarnar as diferentes personagens da turma desde o Cebolinha ao Xaveco passando mesmo pela Mônica. No fim percebe que nem sempre a vida dos outros é melhor e decide colocar eles todos como Cascões e enfrentarem o que ele enfrenta quando foge da água.

        A história do Bidu e Bugu é engraçada e ao nível do que esta dupla nos pode dar, mas é a história seguinte do Cascão e do seu pai que merece um especial destaque. A mesma tem o tamanho normal de uma história da turma, mas é feita sem balões e apenas com imagens. Ficou bastante engraçada e foi de certeza um desafio para quem a desenhou. Vem logo de seguida uma história da Morte que ficou divertida pelo facto de a mesma ter que fazer um makeover completo e virar uma "gata" o que não facilitou em nada o seu trabalho. A história final é mais ou menos e envolver o porco de estimação do Cascão que no meio pensa que é um cão.

        Nota 6,5 em 10

        Chico Bento

        Argumento & Arte: Maurício de Sousa Produções

        Nunca desgostei muito da personagem caipira da turma (e quando o Maurício me perguntou se devia haver uma da "roça" portuguesa, não hesitei em recomendar um alentejano porque acho que neste género ficava engraçado) e assim comprei sem receio mais um #1 da Panini com as personagens do Maurício.

        A revista começa logo da melhor maneira com uma história do Chico preso numa sala de aula pela professora em plena sexta feira de sol com tudo a brincar cá fora. Situações engraçadas que envolvem um miúdo que quer tudo menos estar dentro da sala de aula a fazer a tabuada. A arte ajuda muito a que a história seja divertida. O que se segue são duas histórias curtas que cumprem o seu dever, ajudam a passar o tempo.

        Aparece-nos depois o Papa Capim que mais uma vez numa simples história mostra como andamos a poluir o nosso planeta e como isso pode facilmente mudar. Uma das histórias com mais interesse é aquela que mostra como a Rosinha e o Chico se conheceram e começaram a namorar, o que é sempre giro de se saber e ler.

        A revista tem uma série de histórias curtas em que se destaca a do Piteco e da Thuga e inventarem a mesa e o conceito do restaurante. No fim aparece uma história envolvendo o Chico e o seu primo da cidade, a mesma vale pelo final que já aconteceu a todo o mundo e toca numa questão importante da dependência da energia de todos nós.

        Nota 5 em 10

        Almanaque do Cebolinha

        Fã como sou da personagem, o seu almanaque é sempre uma das minhas compras essenciais quando compro algo envolvendo esta turma bem divertida. A prova que este almanaque é sempre dos mais engraçados e bem bolados é o facto de que as três primeiras histórias nos prendem logo do começo ao fim. Duas histórias divertidas envolvendo o Cebolinha, em especial a primeira onde ele tem que tomar conta da sua irmã bébé, e pelo meio uma do Papa Capim, mais uma vez cheia de mensagem ecológica e crítica ao que o homem faz à natureza.

        As histórias que se seguem, mostram o Mingau em acção e o pai do Cebolinha. Esta é bem divertida já que mostra como um grupo de quarentões casados e solteiros tentam se integrar no meio de jovens adolescentes mas falham completamente. Umas quantas histórias curtas com várias personagens da turma e quase sempre daquelas que não servem só para ler, por vezes dá para rir também.

        No fim uma história que envolve duas personagens com uma química fantástica, o Cebolinha e o Dudu. É impossível não rir lendo uma história com estes dois e esta não foge à regra.

        Nota 8

        Almanaque do Cascão

        Se ficarem só pela primeira história da revista, podem dar o dinheiro por bem empregue na mesma. A história é bem divertida e mostra o Cascão a dormir na casa do Cebolinha mas depois decide sair mais cedo porque fez xixi na cama. A questão é que saiu em cuecas com a cabeça tapada por um lençol e foi visto pela vizinhança toda que pensava que era o Cebolinha. Isto cria situações engraçadas e um final muito divertido.

        O resto da revista consiste em histórias curtas com diversas personagens da turma mas nada que mereça muito destaque.

        Nota 4 em 10
        http://aindasoudotempo.blogspot.com/

        https://www.facebook.com/indasoudotempo

        Comment

        Working...
        X