Anúncio

Collapse
No announcement yet.

Eclipse Saga

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • Eclipse Saga

    Suikuny.jpg
    Eclipse Saga

    Parte 1 - Origem

    No clamor nos encerramentos das eleições de Iris, o país mais rico do Mundo, era vivenciado uma chuva de alegrias, com poucas pessoas insatisfeitas com o desfecho já previsto pelas pesquisas prévias. Vinte e dois de novembro, o ano é 2027. Iris é um país situado ao norte do oceano atlântico.

    iris.png


    Apelidado também, como o país da ilha redonda, pelo seu formato, Iris foi criado artificialmente em 2022. Um projeto ousado. Construído por Nork. O homem mais rico do Mundo daquele ano. Após investir 97% de sua fortuna, cerca de mais 900 bilhões de dólares. O projeto de sua vida era construir um país totalmente planejado previamente. Mesmo que isso custasse toda a sua fortuna.

    O projeto inicial era construir não só o local em si, mas planejar estradas, aeroportos, super trens, dentre outros locais. Mas devido ao auto custo da construção do país, o valor extrapolou, e muito o valor final projetado. Toneladas, e toneladas de aço, areia, terra, rochas, pedras, e concretos foram gastos ali. Sendo assim, Nork teve que mudar os planos, e ir em busca de mais investimentos.

    O Mundo não viu com bons olhos a criação de um país. Ao menos, não por ter envolvimento de tanto dinheiro assim. outros por sua vez, assumiram a postura de que seria desperdício de dinheiro total. Mesmo assim, alguns bilionários, e empresas, acabaram aderindo ao projeto Iris. Obviamente, com a promessa de ter o direito de escolher alguns privilégios na empreitada nunca antes feita na história.

    Ninguém acreditaria, mas o país foi construído em 1 ano, e meio. Um local plano, e totalmente projetado pela humanidade. Capaz de suportar até terremotos. Iris iniciou com uma longa estrada larga, e alguns prédios. Um aeroporto gigante, um shopping, um hospital, uma rede de energia nuclear como fonte de energia elétrica, um local de tratamento de água e esgoto com dezenas de dessalinizadores de alta tecnologia, cabeamento de internet por todo o país por de baixo das ruas, um quartel militar, e um parque.

    Iris apesar de ser projetada cada centímetro existente, cresceu mais rápida que planejada. Com os arranha céus maiores do Mundo, o país acabou chamando a atenção de muitos turistas. Suas estruturas eram forradas com materiais especiais para isolamento acústico. Verdadeiros lares silenciosos. Portas, janelas, e tudo que se via na ficção, ali era também altamente inteligente, e operado por aplicativos no celular. Iris também inovou com o transporte de corredores inteligentes. Onde pequenos mini-trens, levavam passageiros de estações para estações pelo alto.

    Nork sabia que não viveria para sempre, e desejava que seu país caminhasse com as próprias pernas que ele projetou. Assim sendo, após inúmeras reuniões, e convenções, foi criada a república oficial de Iris. E, consequentemente, chegou o dia de ocorrer as primeiras eleições.

    Iris obviamente era um país totalmente liberal economicamente falando. E as eleições eram o espelho disso. Existiam apenas 4 partidos. E por eleição, foi determinado, que todos poderiam participar. Seriam divididos em 2 turnos. O primeiro com todos os participantes, e o segundo, apenas com os 2 melhores colocados.

    No final, restaram os 2 mais votados. Armlen, um Super Neoliberal. Que idealizava Iris negociando com todo o Mundo de maneira a não proteger o mercado interno. E Zyan. Um militar ultra conservador, que apesar de idolatrar o capitalismo, é a favor de políticas internas protecionistas á Iris. Alegando que o país deveria investir mais em Turismo.

    No final das contas, Armlen no segundo turno, obteve uma incrível votação de mais de 74% dos votos apurados. Armlen, então, na euforia de sua vitória, o carismático, gentil, inteligente, e sutil político, discursou pelo PN. O partido neoliberal.

    Armlen: - Tenho o total privilégio, honra, e magnitude de ser o primeiro presidente do país. O país que ninguém botava um pingo de fé. Mas que hoje, botamos os outros países a sonharem em ter uma pequena fração do que conquistamos. O tal sonhado percentual zero de empregos.

    Aos gritos ensurdecedores da multidão, que se mesclava com festa, e muito champagne, o primeiro presidente de Iris assumiu o direito legal, se exercer o mandato dos seus 5 anos. Sem o direito de uma reeleição.

    Não muito longe dali, em um laboratório das indústrias N, em plena 20 horas de uma noite gélida, 2 amigos cientistas conversam satisfeitos com o resultado, assistindo as celebrações em uma TV ali próxima.

    - Hey, Suikuny. Eu sei que você não bebe, e tal, mas poderia abrir uma exceção esta noite, o que me diz? Ficamos livres daquele projetinho de Banqueiro Nazista.

    Disse ao sacudir duas cervejas artesanais famosas de iris.

    - Ninguém em sã consciência, deveria ingerir álcool. A felicidade as vezes te cega, Tony. Prefiro um Milkshake. - pegou em cima da mesa um Milkshake de Abacate, e tomou.

    Ironizando, seu amigo alfinetou.

    - Cara, sério, eu não sei como a Ane te aguenta. olha esse paladar infantil, fala sério. - hehaheha. Gargalhou.
    - Enfim, eu vou pedir umas 3 pizzas, e comemorar com a patroa, e os pirralhos. Você vem?

    - Vou ficar mais um pouco. Dê um abraço nas crianças por mim. E na verdade, eu que não sei como a Andressa gosta de um barrigudo como você. Sorriu levemente.

    abacate.png







    Na frente do notebook, sentado, e muito concentrado, Suikuny revia o projeto em que a equipe trabalhava por vários meses a fio. O projeto Grifon. Um audacioso projeto, que tinha como finalidade, extrair partículas da matéria escura, e gerar energia para todo o país. E, ao mesmo tempo, gerar um campo de força, para proteger todo o território. Trabalhando por mais de 12 horas, Suikuny era um dos idealizadores do projeto.

    Refletindo.

    - Não entendo como isso não funciona. por mais que eu leia, e releia, eu não consigo entender. Sinto as vezes, que a resposta é tão simples, que esta na minha cara, que passa totalmente batido. Melhor eu ir pra casa, transar, e dormir. Ao menos Zyan perdeu. Isso já valeu a noite.

    Antes de realmente ir embora, por uma viajem mental, e sem muita explicação, ao terminar seu milksheike de abacate, ele imaginou como, e por que, o caroço de um abacate era rodeado pelo fruto. Associando aos átomos, ele pegou uma amostra de uma gota do milksheike, e colocou no microscópico.

    micro.jpg



    Analisando com muita atenção, ele modificou algumas linhas de comando no código fonte, e entendeu algo ridiculamente fácil.

    - Eu sabia que a resposta era estupidamente fácil. A resposta não estava diante do meu nariz, ou de baixo dos meus olhos. Mas na minha língua. Quem diria...sorriu levemente.

    Tentando ligar com uma alavanca a máquina do projeto Grifon para um teste rápido, e iniciando o contador de voltagem, ele ingeriu aquilo que faltava. Duas gotas. Algo tão simplista, mas que ali, continua as respostas que ele tanto buscava.

    Ou não...

    Após iniciar o procedimento padrão, as luzes do laboratório começaram a piscar. E a alavanca emperrou.

    - E agora? Como diabos destravo isso? Seguranças? . Gritou até sangrar a garganta.

    No meio da sala, em um formato de um ovo de páscoa de uns 2kg, e em um formato negro, e girando, Suikuny contemplava algo totalmente impossível.

    - Não pode ser...isso é totalmente impossível.

    Ele estava tendo um pequeno vislumbre, de um mini-buraco negro.

    A força de tração do mini-buraco negro começou a puxar as coisas da sala. Suikuny tentou se agarrar, e evitar ser sugado, e estraçalhado pelo seu próprio experimento. no auge do seus 31 anos, seria a pior das ironias, morrer ali drenado por tal descoberta.

    - Seria este o meu fim?


    Ou, um começo....?

    O mini-buraco negro então, o arrastou. Cravando em seu peito. A dor era tamanha, que todas as fibras do seu corpo, pulsavam em uma dor em uníssono. Após os quinzes segundos mais doloridos de sua vida, o mini-buraco negro cessou. E Suikuny cai desmaiado no chão.

    Com quase todo o laboratório devastado, um dos seguranças chega, tenta reanimá-lo, mas sem sucesso.

    Três dias depois, na cama de um hospital. Suikuny abre os olhos.

    - Eu me sinto estranho. Será que eu morri? onde estou?

    - Você esta em no Hospital Scuti. Sorri a enfermeira.

    - Por quantos dias eu apaguei?

    - Três. Na verdade, três e meio.

    Espantado, Suikuny senta na cama rapidamente.
    - Que? Ninguém veio me visitar? Preciso ir agora. Cadê as minhas coisas? E minha cueca?

    - Senhor. Acalme-se. Você ainda não teve alta. O médico logo virá. - E em seguida, a enfermeira foi chamar o médico responsável.

    Com a mão na testa, Suikuny pensa : - Eu apaguei por 3 dias? pior que me sinto esquisito mesmo. Um comichão no peito. Mas como diabos eu sobrevivi? Era para eu ter virado purê, ou se quer algum átomo do meu corpo existir...

    Neste momento, ao olhar para a parede, Suikuny consegue observar a estrutura molecular da parede.

    - Incrível. Isso é real?

    No mesmo instante, Suikuny se teleporta. E aparece na camada de ozônio. Olhando para o incrível planeta Terra do espaço. Sem entender muito bem o que estava acontecendo. Ele percebia que conseguia respirar no espaço. Se quer, sentia o frio mortal dali. Seu corpo estava normal. Apesar da sensação estranha no peito. Mas ele agora sabia que era real.

    - Não é mentira. Eu estou vivenciando um experimento que deu totalmente errado no laboratório. Mas que de alguma forma, meu corpo absorveu o mini-buraco negro. As possibilidades deu usar este poder, são infinitas...

    Spoiler!
Working...
X