Anúncio

Collapse
No announcement yet.

[Clown City] Ron & Boz

Collapse
X
 
  • Filter
  • Hora
  • Show
Clear All
new posts

  • [Clown City] Ron & Boz

    Clown City

    Background:
    História policial, estilo Noir.
    Mas... Com palhaços!

    Clown City é uma cidade habitada por palhaços!
    Não só palhaços, mas também malabaristas, domadores, mágicos e demais tipos circenses.
    Mas a maioria da população é constituída de palhaços.

    Eles trabalham e se divertem como em qualquer outra cidade e, alguns, cometem crimes.
    Eis que são apresentados nossos heróis. Dois detetives particulares: Bozo e Ronald Macdonalds.

    A primeira estória deve mostrar como eles se conheceram.
    Bozo é um detetive particular em sociedade com outro palhaço.
    São duas mesas no escritório, mas a outra está vazia.

    O sócio do Bozo morreu de causas naturais e ele foi tocando o escritório sozinho.
    Os negócios não vão bem, mas o dinheiro da viúva mantém o escritório.
    Até que um dia a viúva do sócio do Bozo decide vender sua parte do negócio.

    Obviamente Bozo discorda, tenta mudar as coisas mas não adianta.
    A viúva não quer mais saber do escritório e acaba vendendo sua parte da sociedade.

    No dia seguinte, ao chegar no escritório, Bozo é avisado que tem visitas e também que é o último dia que a recepcionista trabalha sem pagamento.

    Entrando em sua sala ele se depara com outro palhaço sentado em sua mesa.
    É Ronald Macdonalds.
    Ganhou muito dinheiro com sua rede de Fast food e agora quer fazer o que sempre sonhou: ser detetive particular.

    Então temos essas duas figuras completamente diferentes: um é classe baixa, conhece o crime e as ruas.
    O outro é um almofadinha cheio da grana querendo aventuras.
    Personalidades tão distintas não tardam a entrarem em conflito.
    E este será o note da estória.
    As discussões entre os dois deverão ser muito engraçadas.
    Ainda mais porque o Bozo não tem pra onde ir. A sociedade no escritório era tudo que ele tinha.
    Então ele acaba aceitando, muito a contra-gosto, seu novo parceiro.

    Mas não pense que se trata de uma estória infantil.
    O tema será bastante pesado.

    O primeiro caso que os dois pegam é de assassinato.
    Um figurão da cidade foi morto (caracterizado como dono de circo, com cartola e tudo mais) e os dois são contratados para a investigação.

    A idéia é usar e abusar de todos os clichês de filme policial.
    A ambientação em Clown city é o suficiente para renovar esses clichês, tornando a coisa toda bastante original.

    Os coadjuvantes são todos circenses: garoto Juca (garoto de rua, informante, garoto de recados...), mulher barbada (recepcionista, modelo...), homem forte com tanga de oncinha (segurança particular), etc.

    Depois dos personagens principais apresentados, começam a aparecer os antagonistas.
    Uma gangue de palhaços malvados, com maquiagens demoníacas será interessante.

    Por enquanto é só.
    Vou postando detalhes conforme o interesse.

    Alguém está disposto a desenhar, fazer um roteiro?

  • #2
    É baseado naquele filme dos palhaços alienígenas?
    "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

    Comment


    • #3
      Giovanni Giorgio

      Comment


      • #4
        Postado originalmente por BK
        É baseado naquele filme dos palhaços alienígenas?
        Baseado, não.
        Também não é inspirado no filme.

        Essa cultura de palhaços é original.
        Existem marcas de roupas pra skate que tem uma linha de estampas de palhaços.

        Muita gente tatua palhaços demoníacos.

        Acho que afirmar que o filme deu origem a tudo é exagero.

        Comment


        • #5
          Interessante premissa.
          Eu não levaria o tema circense adiante pelo desuso da imagem do mesmo...
          Mas a premissa é interessante mesmo e promete.
          Parabéns pela idéia!
          "AVATAR E ASSINATURA REMOVIDOS POR ULTRAPASSAREM O LIMITE DE 30KB"

          Comment


          • #6
            BK está LIGHT, FINO & XAVEKEYRO desde que largou a umbanda.
            Giovanni Giorgio

            Comment


            • #7
              É tão louco que pode dar certo!!!
              Desenhista agenciado
              http://www.pencilbluestudio.com/inde...=94&Itemid=122
              www.romfreire.blogspot.com

              Comment


              • #8
                Bozo está em sua mesa, vendo o tempo passar. Uma vista no jornal, uma olhada na mesa desocupada a sua frente, uma olhada no telefone. Ele não toca a dias.
                Pela janela ele pode ver os prédios sujos do bairro cigano.
                O bairro decaiu muito ultimamente. Os comerciantes estão se mudando. O crime impera.

                A Agência de detetives Kaput já viu dias melhores. Quando Aspargo era vivo, a dupla de detetives havia desvendado os casos mais bizarros de Clown City. Ele e seu sócio eram famosos e a grana entrava.
                Hoje, tudo o que resta são lembranças.
                Aspargo morreu faz três anos. Sua viúva foi muito bondosa em não se desfazer da sociedade do marido.

                Subitamente Bozo é trazido de volta de seus pensamentos para o mundo real.
                O telefone toca, enfim. É a secretária.
                - Há um homem aqui para vê-lo, senhor Boz. Ah... e hoje é o último dia que fico aqui sem pagamento.

                Ela desliga e antes mesmo que ele pudesse colocar o fone no gancho, sua sala é invadida por um furação vermelho e amarelo.
                O palhaço adentra a sala rapidamente, olha ao redor e depois para o palhaço atrás da mesa à sua frente.
                Bozzo está sem ação.
                - Você deve ser o Bozo. Meu nome é Ronald. Sou seu novo parceiro!
                - Novo parcei...
                - Essa sala é menor do que pensava... Mas nada que uma faxina e móveis novos não resolvam....
                - Espere um momento! Você não pode...

                Ronald saca um documento de seu paletó e o entrega para Bozzo.
                - Posso sim. Eu posso tudo. Como pode ver, está tudo certo. Comprei a parte da velhota, o que nos torna sócios.
                Fora isso, paguei todas as contas atrazadas.
                Em outras palavras: você está me devendo! Mas em respeito a sua experiência, dividiremos os lucros igualmente.

                Dizendo essas palavras, Ronald senta na cadeira e, num movimento com o braço, arrasta os objetos da mesa do finado sócio, que caem na lixeira e no chão ao redor.
                Bozo está atônito.

                Comment


                • #9
                  Tá ficando bacana.
                  http://cenini.blogspot.com/

                  Comment


                  • #10
                    Quem esse almofadinha pensa que é?- Pensou o palhaço.

                    Ronald tira o telefone do gancho e assopra o aparelho, fazendo levantar uma nuvem de poeira.
                    - Sally, minha querida, traga um café pra gente.

                    Em seguida ele se volta para Bozo.
                    - Paguei os meses devidos e ainda um bom adiantamento pra essa gracinha. Aliás, onde a encontrou?
                    - Foi a agência de empregos que mandou...

                    Em poucos instantes a porta se abre e Sally entra com uma pequena bandeja e duas xícaras coloridas.
                    Uma palhacinha encantadora. Ronald não conseguia tirar os olhos da menina.
                    Uma pele branquinha com sardas na face e lindos olhos azuis.
                    Seu pequeno nariz vermelho é um círculo perfeito. Ronald ficava imaginando que sua bundinha deveria ser firme e tão redondinha quanto seu nariz.
                    Duas tranças rosas que alcançam os seios, perfeitos, e um mini-vestido colado azul e verde-limão que deixava suas belas pernas à mostra.

                    Ela coloca uma xícara em casa mesa.
                    - Aqui está, senhor Boz. Este é o seu, senhor Ron.
                    - Ron? – Diz Bozo.
                    - Sim – responde a menina – Ron e Boz!
                    - Ron e Boz. – repete Ronald. – Gostei!

                    A palhacinha deixa a sala. Ron suspira.
                    - Vamos tratar de negócios. Já temos nosso primeiro caso!
                    - Caso? Que caso? Ninguém ligou o dia todo.
                    - Ora, Boz. Você não leu os jornais? Um figurão do bairro financeiro foi assassinado.
                    - E daí?
                    - Ora, vamos investigar!
                    - Mas não fomos contratados...
                    - Não importa. A polícia não tem pistas. Resolveremos esse caso e vamos aparecer no jornal.
                    - Está bem. O que temos aqui?
                    - Só o que foi publicado. Vamos até o local do crime.
                    - Vamos nessa. Afinal, você é o chefe.
                    - Somos parceiros, Boz.

                    Comment


                    • #11
                      q Bozta.

                      80-82-83-87-92-09

                      Comment


                      • #12
                        A idéia é bem legal mesmo. Primeiro post do Mohamed que eu li que presta, quem diria.
                        É fácil quando se sabe.

                        Comment


                        • #13
                          Pô Mohá, a premissa até que tá legal, mas o desenvolvimento tá muito previsível. Está repetindo os clichês de todos os filmes de parceiros diferentes entre si, mas que precisam aprender a trabalhar juntos. Faltou uma certa demência, um non-sense típico de palhaços.

                          Ó um desenho do Boz:

                          Comment


                          • #14
                            Postado originalmente por Muddy
                            Pô Mohá, a premissa até que tá legal, mas o desenvolvimento tá muito previsível. Está repetindo os clichês de todos os filmes de parceiros diferentes entre si, mas que precisam aprender a trabalhar juntos. Faltou uma certa demência, um non-sense típico de palhaços.
                            A rigor seria isso. Tá certo que é só a introdução, mas já dava pra dar umas pescadas aí numas maluquices.

                            O Laerte tinha aquela hq dos palhaços mudos, onde ele brincava muito com gags visuais. Só não lembro em qual número ou revista saiu (acho que foi a Circo)
                            É bem interessante como referência, se bem que ele escreveu duas hqs dos personagens, até onde lí ao menos.

                            A primeira é excelente , praticamente um clássico do cara. Já a segunda achei bem tapa buraco e desnecessária. Mas vale muito a pena dar uma caçada e lida na primeira.

                            Comment


                            • #15
                              Postado originalmente por Mohamed
                              - Ron e Boz. – repete Ronald. – Gostei!
                              Desenhista agenciado
                              http://www.pencilbluestudio.com/inde...=94&Itemid=122
                              www.romfreire.blogspot.com

                              Comment

                              Working...
                              X